Início Destaque FÓRMULA 1 – A consagração de um garoto: a trajetória de Max...

FÓRMULA 1 – A consagração de um garoto: a trajetória de Max Verstappen ao título mundial – 2021

Do início aos 4 anos no kart à prematura estreia na Fórmula 1 aos 17, Verstappen teve uma carreira meteórica dentro e fora das pistas

492

 4 min de leitura

Verstappen foi o primeiro piloto não-Mercedes a ganhar o campeonato desde 2013. | Foto: F1 no Twitter
Verstappen foi o primeiro piloto não-Mercedes a ganhar o campeonato desde 2013. | Foto: F1 no Twitter

 

Deixando as polêmicas decisões da FIA de lado, Abu Dhabi viu no último domingo (11) a consagração de Max Verstappen como campeão mundial de Fórmula 1. Em um seleto grupo de apenas 34 pilotos que puderam acabar um campeonato de Fórmula 1 na primeira posição em 72 temporadas, o holandês entrou para a história da categoria ao cruzar a linha de chegada na primeira posição, à frente de seu rival Lewis Hamilton. Com apenas 24 anos, Verstappen teve uma trajetória meteórica – e vencedora – no automobilismo.

 

O CAMINHO ATÉ O SUCESSO

Começando nas pistas com 4 anos de idade, Max chegou ao kart incentivado por seu pais, Jos Verstappen, ex-piloto de Fórmula 1, e Sophie Kumpen, ex-pilota de kart. Apesar das polêmicas histórias que circulam na internet sobre o jeito autoritário que tratava seu filho, o fato é que Jos criou um piloto que beirava uma máquina em questão de velocidade. Nos dias de hoje, para um piloto chegar à Fórmula 1, é necessário (e até natural) correr em algumas categorias menores de monopostos, como Fórmula Renault, Fórmula 3, Fórmula 2, entre outras, para que o piloto, ainda muito inexperiente, possa adquirir “quilometragem” ao guiar. No caso de Max, o holandês subiu do kart para a Fórmula 3, e com apenas uma temporada, chegou em 3º lugar no campeonato, ganhando 10 corridas no ano. 

Na época, especialistas já conseguiam perceber que Max era fora do comum. Pulando a Fórmula 2 (o caminho natural até a F1), Max, em 2014, assinou com a Red Bull para integrar o programa de jovens pilotos da equipe, sendo anunciado para a temporada de 2015 como piloto de F1 pela Toro Rosso (atual Alpha Tauri). Com 17 anos, Max foi o piloto mais jovem a entrar na categoria.

Na direita, Max em 2010, com 13 anos. Na esquerda, com 24, após vencer o campeonato, no último domingo. | Foto: F1 no Instagram
Na direita, Max em 2010, com 13 anos. Na esquerda, com 24, após vencer o campeonato, no último domingo. | Foto: F1 no Instagram
ESTREIA E PRIMEIROS ANOS NA FÓRMULA 1

A primeira temporada de Max na Fórmula 1 não foi muito tranquila. Pagando por sua inexperiência, foi responsável por diversos acidentes, fosse sozinho, fosse com outros pilotos, sendo apelidado até de “Crashtappen” pela internet. Apesar dos erros, Verstappen tinha um claro talento e velocidade, que apenas precisariam ser lapidados. No final de sua temporada de estreia, o holandês ficou em 12º lugar, com um 4º lugar como melhor resultado e superando seu companheiro de equipe, o também estreante Carlos Sainz, pelo placar de 49 a 18 pontos.

No ano seguinte, após polêmicos acidentes cometidos pelo piloto Daniil Kvyat, da Red Bull, o russo foi rebaixado para a co-irmã Toro Rosso, deixando a vaga livre para Verstappen. Em sua primeira corrida pela equipe principal, Max aproveitou da colisão entre Hamilton e Rosberg para vencer o Grande Prêmio da Espanha, se tornando o piloto mais jovem a vencer uma corrida, com 18 anos e 228 dias.

Nos anos de 2017 até 2020, Max sempre figurou entre os ponteiros. Apesar da dominância dos carros da Mercedes no período, Verstappen se aproveitava dos raros erros que a equipe alemã cometia, para assim, poder abocanhar vitórias e pódios.

 

A GRANDE OPORTUNIDADE

Com a temporada de 2021, vieram pequenas mudanças feitas pela FIA no regulamento dos carros que visavam retirar (ou diminuir) a hegemonia da Mercedes na categoria, que cada vez mais começava a ser criticada pelo público e por outros pilotos. E funcionou. A Mercedes, além de piorar, viu a Red Bull evoluir. Com o modelo desenhado pelo projetista Adrian Newey, conhecido como o “gênio da aerodinâmica”, a equipe taurina dominou parte da temporada, dividindo o posto de favorita com a Mercedes, corrida após corrida.

Verstappen, pela primeira vez na F1, teria carro para disputar o título. E a briga foi dura do início ao fim. Com espalhadas, toques e batidas entre Verstappen e Hamilton, o público pôde presenciar uma das temporadas mais disputadas da história, onde cada pequeno erro se tornava um deslize gigante. Onde cada curva, cada ponto, era disputado como se valesse o título. E foi assim até a última volta da última corrida, a qual Max ultrapassou Hamilton, graças a uma estratégia “tudo ou nada” da Red Bull, que aproveitou do Safety Car e chamou o holandês para colocar pneus mais novos.

Frisando que nesse artigo deixaremos de lado as polêmicas decisões ao longo de 2021 do diretor de prova, Michael Masi, e da FIA, Verstappen não teve culpa da falta de consistência da direção de prova, fazendo tudo certo e aproveitando cada espaço dado para brigar com unhas e dentes pelo título mundial. Afinal, não é nada fácil para um jovem de 24 anos derrotar um heptacampeão detentor de quase todos os recordes da categoria.

Apesar das torcidas para A ou para B, quem ganhou foi o público ao ver uma disputa eletrizante por 22 etapas ao longo do ano. Max e Lewis recolocaram a Fórmula 1 na boca do povo, e fizeram com que diversas novas pessoas assistissem à categoria. 2021 ficou marcado na história e vai deixar saudades. Com a gigantesca mudança de regras para a próxima temporada, só incógnitas cercam a Fórmula 1. Entretanto, o que podemos ter certeza é de que Verstappen e Hamilton protagonizarão mais capítulos dessa rivalidade incrível.

 

MINHAS REDES
SIGA A GENTE
Artigo anteriorSTOCK CAR – Resultado Final – Interlagos/SP (Grande Final) – 2021
Próximo artigoFÓRMULA 1 – O que você precisa saber para a temporada de 2022