Início Destaque FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP do...

FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP do Bahrein – 2020

501

 11 min de leitura

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

Confira o que pilotos e chefes de equipe esperam da décima quinta etapa do calendário.

Após uma semana de intervalo, as equipes da Fórmula 1 retomam suas atividades nos dias 27, 28 e 29 de novembro, para disputar o Grande Prêmio do Bahrein, esta que é a primeira das últimas três corridas da temporada 2020 da categoria.

A partir do próximo final de semana, as três etapas finais ocorrerão no Oriente Médio, de forma consecutiva: duas disputas no Circuito Internacional do Bahrein e uma em Abu Dhabi, no circuito de Yas Marina. Diferente das rodadas duplas do início da temporada (em Red Bull Ring e Silverstone), a programação dupla no Bahrein ocorrerá na mesma pista, mas em traçados diferentes.

VEJA TAMBÉM: Programação completa para GP do Bahrein!

Abaixo, saiba o que os pilotos e chefes de equipe, que se manifestaram, esperam do GP do Bahrein, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de construtores.

Mercedes (504 pts):

(Foto: Mercedes/Divulgação)

Lewis Hamilton: Não comentou.

Valtteri Bottas: Não comentou.

Toto Wolff (chefe da equipe): “Agora seguimos para o Bahrein e voltamos a um circuito familiar. Sempre apresenta um desafio interessante, devido à variação nas condições da pista e temperaturas entre as sessões. O TL1 e TL3 são disputados nas temperaturas mais quentes do dia, mas no TL2, a qualificação e a corrida acontecem nas noites mais frescas. Isso torna difícil configurar o carro e coletar as informações certas quando é preciso. Tivemos algumas atuações fortes no Bahrein haá alguns anos e é sempre uma pista que produz corridas interessantes. Os dois títulos podem já estar decididos, mas ainda vamos dar o nosso melhor e seguiremos com interesse em batalhar por mais pontos.”

Red Bull Racing (240 pts):

(Foto: Red Bull/Divulgação)

Max Verstappen: Não comentou.

Alex Albon: Não comentou.

Christian Horner (chefe da equipe): Não comentou.

Racing Point (154 pts):

(Foto: Racing Point/Divulgação)

Sergio Perez: É sempre uma ótima sensação revisitar o circuito do Bahrein e relembrar a temporada 2014. Foi um momento muito especial na minha carreira e é incrível pensar que aconteceu apenas na minha terceira corrida com a equipe. Certamente será uma prova emocionante e divertida. Acho que o tráfego pode ser um problema na qualificação e na corrida, então isso pode ser um grande fator no sábado.”

Lance Stroll: Creio que teremos uma boa corrida no domingo. Não existem muitos circuitos com apenas 11 curvas. O layout sugere que será extremamente apertado na qualificação, com alguns tempos de volta muito próximos. Isso vai potencialmente produzir um grid emocionante. Vamos nos preparar o melhor que pudermos para um novo layout e todos estarão no mesmo barco no fim de semana. As rápidas mudanças de direção nas curvas 5 e 6 são empolgantes e em alta velocidade, mas a curva mais desafiadora segue não muito depois na curva 9 – é muito fácil travar a roda frontal esquerda e isso pode afetar nossa restrição e corrida. Mas, como sempre, a Curva 1 será o ponto chave de ultrapassagem.”

Mclaren (149 pts):

(Foto: Mclaren/Divulgação)

Carlos Sainz: Queremos marcar o máximo de pontos possível e lutaremos até a bandeira quadriculada em Abu Dhabi. Além desta última etapa no circuito de Yas Marina, teremos uma rodada dupla no Bahrein nesse final de semana, com isso, serão três corridas finais intensas. Não é uma tarefa fácil depois de um calendário tão comprimido este ano, mas como equipe estamos preparados e prontos para correr. O Bahrein é uma pista de que sempre gostei e estou ansioso para correr nela novamente.”

Lando Norris: “Mal posso esperar para voltar ao ritmo das corridas consecutivas. Definitivamente vai ser um desafio complicado, já que não temos uma rodada tripla há algum tempo, mas vamos com tudo. A Turquia mostrou que ainda estamos na luta e tudo pode acontecer. Precisamos apenas fazer com que cada sessão conte e, acima de tudo, focar em nós mesmos. O circuito do Bahrein geralmente oferece boas corridas roda a roda, com muitas chances de ultrapassagem, especialmente com as três zonas de DRS. Olhando para o ano passado, o Bahrein foi uma das minhas melhores corridas e é onde marquei meus primeiros pontos na Fórmula 1. Espero que possamos continuar marcando alguns pontos importantes neste fim de semana e dar início a última programação tripla de GPs.”

Andreas Seidl (chefe da equipe): Vamos ao Bahrein esta semana para começar a rodada tripla final do calendário, já que a temporada está bem próxima do fim. Temos três corridas muito emocionantes e igualmente desafiadoras, com duas no Bahrein – que é um local muito especial para a McLaren e uma corrida de casa longe de casa – seguidas pela corrida final em Abu Dhabi. Olhando para trás, para o início da temporada, sabemos o que esperar de três GPs seguidos em nossas costas. Claro, as demandas e desafios que vêm com este formato intenso ainda permanecem os mesmos e como uma equipe estamos prontos para a tarefa que temos pela frente.”

Renault (136 pts):

(Foto: Renault/Divulgação)

Daniel Ricciardo: Estou ansioso para voltar ao calor do Bahrein. Sei que estivemos em algumas pistas incríveis pela Europa recentemente e, embora todas tenham sido divertidas por vários motivos, o tempo está muito frio para mim. Prefiro muito mais o calor e ainda é bastante quente no Bahrein durante a noite, o que é ótimo. Duas das três sessões de treinos são durante o dia, quando está muito quente, e tanto a qualificação como a corrida são à noite, quando o circuito está muito mais fresco. Isso torna a preparação para esta corrida um desafio, além da adaptação a diferentes configurações, o que é importante. O circuito em Sakhir no Bahrein é bom, sempre gostei de correr lá e as sessões noturnas são sempre divertidas de participar. Nos últimos anos, não tive os melhores resultados nesse traçado, mas quero melhorar isso neste fim de semana. Existem alguns pontos de ultrapassagem decentes, especialmente a Curva 1, que é provavelmente o melhor lugar para atacar.”

Esteban Ocon: O Bahrein é uma pista onde pilotei pela primeira vez em 2015 na GP3 [atual F3] e um circuito onde corro regularmente desde então. Eu realmente gosto de pilotar lá, pois é um traçado completo com muito a oferecer. É também a primeira corrida noturna do ano e correr sob o céu noturno e com holofotes é sempre uma ótima experiência. Dá uma sensação de velocidade ainda mais do que normalmente temos durante o dia. Além disso, vai ser muito mais quente do que vimos recentemente, principalmente em comparação com Portimão e a Turquia, onde estava muito mais fresco. Estamos de volta a um fim de semana mais normal em termos de condições climáticas.”

Ferrari (130 pts):

(Foto: Ferrari/Divulgação)

Charles Leclerc: O Grande Prêmio do Bahrein é bastante incomum porque, por vários fatores, a situação muda continuamente ao longo do fim de semana. Nas primeiras sessões, a pista está muito suja de toda a areia que sopra em seu local desértico. Aos poucos, à medida que a pista se limpa, sua natureza abrasiva dificulta os pneus. A luz e a temperatura também mudam o tempo todo, começando ao entardecer em um circuito muito quente e com o sol baixo no céu, mas com o desenrolar da corrida a temperatura cai e você tem que adaptar seu estilo de pilotar. Tenho boas lembranças do ano passado, mesmo que não tenha acabado tão bem quanto poderia. Espero que possamos continuar a tendência das últimas provas em que temos sido cada vez mais competitivos.”

Sebastian Vettel: “O circuito de Sakhir sempre foi muito exigente para os pilotos e os carros. De dentro do cockpit, a temperatura ambiente é uma característica, pois neste local desértico, em alguns momentos do dia o calor pode ser muito alto. As características da pista aumentam a tração e também fornecem um teste severo para os freios, que passam por muito estresse ao longo de uma volta. É o que nós, pilotos, chamamos de pista para parar, porque você está continuamente tendo que frear fortemente e depois acelerar forte. Nunca corremos no Bahrein até o final do ano, mas não vai mudar muito em termos de temperatura. Vimos que o carro melhorou nas últimas corridas e estou ansioso para ver o quão competitivo podemos ser nesse traçado.”

AlphaTauri (89 pts):

(Foto: AlphaTauri/Divulgação)

Pierre Gasly: Diferente do GP da Turquia, o GP do Bahrein não deve gerar problemas para aquecer os pneus. Deve haver um retorno às condições mais normais. É um circuito que normalmente se adequa ao nosso carro, especialmente se pensarmos em 2018, quando terminei em quarto lugar, que na época foi meu melhor resultado na F1. Eu realmente gosto da pista. Estaremos lá em uma época do ano diferente do normal, como geralmente estamos lá em abril, mas nessa parte do mundo, a mudança de temperatura não é tão significativa de mês para mês. O layout tradicional do Bahrein, a versão em que corremos antes, tem algumas retas, o que é bom para ultrapassagens, ajudado pelo fato de ser bastante larga. Existem alguns cantos interessantes e é bastante técnico.”

Daniil Kvyat: Depois de um fim de semana muito difícil para todos na Turquia com aquelas condições de pista incomuns, será bom voltar a algo mais normal no Bahrein. Deve haver menos surpresas neste fim de semana, pelo menos em termos de clima. Esta será a minha sétima corrida no Bahrein. É uma pista interessante, com muitos tipos de curvas diferentes e algumas boas oportunidades de ultrapassagem. Como de costume, a chave será colocar nosso carro na janela de trabalho certa o mais rápido possível na sexta-feira e, então, veremos como as coisas vão a partir daí.”

Alfa Romeo Racing (8 pts):

(Foto: Alfa Romeo/Divulgação)

Kimi Raikkonen: Teremos um pouco de tudo nas próximas duas semanas: corremos em um circuito que todos conhecemos bem, Bahrein, e depois em um layout completamente novo desse autódromo que nunca usamos antes. Correr em uma nova pista é algo que fizemos algumas vezes nesta temporada, então espero que todas as equipes tenham uma abordagem experimentada e testada para este desafio e, portanto, não acho que teremos grandes surpresas.”

Antonio Giovinazzi: Estou animado para as últimas três corridas da temporada e acho que teremos a oportunidade de ir bem. Fiz uma boa corrida no Bahrein no ano passado, perdendo pontos apenas na minha segunda corrida de volta ao esporte, e geralmente me sinto bem com o circuito.”

Frédéric Vasseur (chefe da equipe): “Mostramos na Turquia, com Kimi e Antonio se classificando entre os dez primeiros, que estamos progredindo, e a corrida que tivemos na segunda parte da temporada, marcando em metade dos eventos em que participamos, nos dá confiança. Podemos continuar a ter um bom desempenho. O Circuito Internacional do Bahrein é uma pista que promove boas corridas e o novo layout para a segunda corrida é um grande salto no escuro para todas as equipes. Precisamos estar preparados para tudo.”

Haas (3 pts):

(Foto: Haas/Divulgação)

Kevin Magnussen: No traçado original do Bahrein, você precisa de boa tração, mas também de uma boa frente. É uma pista difícil para os pneus, por isso na corrida você deve ser capaz de controlar especialmente os pneus traseiros. Na qualificação, você precisa do mesmo de sempre, um carro bem equilibrado. O principal das corridas noturnas é que nesses fins de semana de corrida você faz duas das sessões de treinos livres do dia. Os carros e pneus se comportam de maneira muito diferente durante o dia, em comparação com a noite, já que a pista é bem mais fria à noite e isso obviamente afeta o comportamento do carro. Montar o carro nesses fins de semana pode ser um desafio.”

Romain Grosjean: Acho que, em geral, o Bahrein é um circuito muito legal e bom para correr. Ele tem um asfalto bastante abrasivo, então a estratégia normalmente desempenha um grande papel nele. É dominado por curvas de baixa velocidade e tração na traseira. Eu acho que se você tem um bom carro em tração e não destrói muito os pneus traseiros, normalmente você é muito rápido. Todo mundo está ansioso por essas últimas corridas. Vamos lá e terminar o melhor que pudermos com a Haas.”

Guenther Steiner (chefe da equipe): A pista do Bahrein sempre serviu para o nosso carro – pelo menos a partir de 2016, 17 e 18. Acho que estávamos no lugar certo na hora certa nessas corridas. Não há nenhuma mágica especial nisso, pois sempre parecemos correr muito forte lá. A única coisa que eu diria é que adoraria ver isso acontecer novamente este ano.”

Williams (0 pts):

(Foto: Williams/Divulgação)

George Russell: Estou ansioso por estas três corridas finais, tem sido uma temporada muito intensa e tem voado absolutamente. O Bahrein é um circuito de que sempre gostei, pois a corrida acontece ao anoitecer, o que gera uma dinâmica emocionante de experimentar de novo. Temos muito o que esperar, queremos terminar esta temporada fortes e estaremos satisfeitos com o trabalho que fizemos antes de partir para as férias de inverno de 2021.”

Nicholas Latifi: Estou empolgado em ir ao Bahrein para a próxima e ultima rodada de corridas. A primeira pista do Bahrein é aquela em que tenho muita experiência, também é onde fiz meu primeiro teste com a Williams no ano passado. Espero que isso me ajude a acelerar melhor. Vai ser bom correr com um tempo quente, especialmente depois de uma corrida complicada na Turquia.”

Roy Nissany (piloto de testes): Bahrein é uma pista muito especial para mim e pilotar um carro de Fórmula 1 pela primeira vez significa muito. É sempre uma grande oportunidade de se desenvolver em um caminho tão técnico e exigente.”

NOVIDADES PARA O GP:

Mattia Binotto (Foto: Ferrari/Divulgação)

O chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto, não estará presente no GP do Bahrein. Em entrevista à Sky Sports, ele comentou que sua presença nas corridas só é necessária em situações de crise. “Estou feliz por não precisar estar no circuito. O meu papel é estar presente em tempos difíceis. Eu sabia que o carro estava melhor e esses resultados são bem-vindos. Assim, não estarei no próximo GP, no Bahrein. Os nossos pilotos ficarão bem. O nosso carro melhorou e eles estão mais confortáveis ao volante. No geral, mostramos que somos competitivos […]. O SF1000 melhorou e isso é um bom sinal”, afirmou Binotto.

Essa será a segunda etapa seguida em que o engenheiro italiano deixará de acompanhar a escuderia presencialmente.

Circuito Internacional do Bahrein (Imagem: Fórmula 1/Divulgação)

O Circuito Internacional do Bahrein possui 5.412 km de extensão, recebe GPs da Fórmula 1 desde 2004 e tem como principal característica a predominância de curvas de baixa velocidade que exigem dos pilotos uma melhor estratégia nas frenagens e retomadas.

O recorde de volta mais rápida nesse traçado pertence ao ex-piloto Pedro de la Rosa, que cravou 1:31.447 com a Mclaren durante a temporada 2005. Assim como no ano passado, a pista oferecerá três zonas de DRS, o que pode gerar mais chances de ultrapassagem na disputa.

A corrida acontecerá no próximo domingo, às 11h10 (horário de Brasília), e será transmitida ao vivo pela Rede Globo de Televisão. Programação COMPLETA AQUI!

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa de cada equipe.