Início Destaque STOCK CAR – Rio de Janeiro se aproxima de marco histórico no...

STOCK CAR – Rio de Janeiro se aproxima de marco histórico no Galeão – 2022

2391

 8 min de leitura

(Foto: Duda Bairros)
Categoria mais alta do automobilismo brasileiro retorna à Cidade Maravilhosa, e em grande estilo.

Nos dias 9 e 10 de abril, a Stock Car Pro Series estará de volta para realizar a terceira etapa da temporada: o inédito GP do Galeão, na área do RIOgaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim. Será a primeira vez em que uma série do esporte a motor brasileiro correrá em uma pista de pouso, e um retorno da Stock Car ao Rio de Janeiro após 10 anos, desde a sexta competição da temporada 2012 no extinto Autódromo Internacional Nelson Piquet.

Assim como foi em Goiânia, a disputa em território carioca será dividida em duas provas de 30 minutos + 1 volta cada, com inversão do grid entre os 10 primeiros finalistas da corrida 1. A capital fluminense também irá receber a Stock Series, a categoria de acesso da Stock Car, esta que realizará a sua segunda etapa do campeonato.

Para fazer desse evento uma prova inesquecível e torná-lo realidade, a promotora oficial da Stock Car, Vicar Promoções, contou com a ajuda dos patrocinadores da corrida, a Naturgy Energy e a Light (companhia de energia da cidade), e com o apoio do Governo do Estado do Rio, além da verba da Prefeitura através da Lei de Incentivo ao Esporte.

Transformando um aeroporto em um autódromo
(Foto: RIOgaleão/Divulgação)

Diferente das outras etapas do campeonato onde há autódromos com circuitos montados e prontos para receber corridas, um aeroporto não foi especificamente criado para sediar competições de automobilismo.

Por isso, tudo se torna um grande desafio, e deve ser montado do zero: estrutura da pista  com zebras e muros de proteção, paddock, área dos boxes/garagens, arquibancadas, além das torres com os ficais de prova e narradores oficiais da disputa.

Toda essa mobilização logística gera custos bem elevados, equivalentes a montar um festival de música de grande porte. Devido a esse fato, o valor dos ingressos sobem, e saem pelo mesmo valor de um Rock in Rio por exemplo, mas para os 2 dias do GP (sábado e domingo).

Um fato curioso, é que a programação de pousos e decolagens do aeroporto continuará normalmente, tanto antes quanto durante os eventos. Isso só é possível devido ao RIOgaleão possuir duas pistas para operações de voos.

O circuito
(Imagem: RIOgaleão/Divulgação)

O Circuito Cacá Bueno, nome dado em homenagem ao piloto carioca e pentacampeão da categoria, foi desenvolvido pelo presidente da Comissão Nacional de Circuitos da CBA, Luís Ernesto Morales, com a ajuda de Cacá, este que fez um vídeo promocional para o GP do Galeão.

O traçado homologado é rápido, terá 3.225m de comprimento, conta com 7 curvas de média/baixa velocidade e uma longa reta oposta que promete gerar uma das maiores velocidades médias da temporada, atrás do anel externo do Autódromo Internacional Ayrton Senna, de Goiânia.

Por estar montado em uma pista de pouso, o chão do circuito é de concreto, o que torna desafiador para os pilotos controlarem o consumo dos pneus e freios, devido a forte aderência oferecida pela superfície. Além disso, o aproveitamento do vácuo do carro à frente é crucial para o ganho de posições nas corridas.

O fato do circuito estar totalmente a céu aberto, com tudo no mesmo nível, gera a possibilidade de ventos laterais fortes e mais um fator que merece atenção dos competidores. Esses desafios, unidos, contribuem para uma disputa imprevisível e emocionante para os fãs de automobilismo.

Curiosidades sobre o traçado
Layout do circuito Cacá Bueno com a nomeação oficial de cada trecho (Imagem: Divulgação)

No Galeão, a Stock Car vai trazer à memória dos fãs cariocas os pilares que ajudaram a asfaltar e desenvolver a cultura automobilística na Cidade Maravilhosa. Cada curva recebeu um nome de um local histórico que recebeu corridas, desde 1908, quando Petrópolis montou o traçado que tinha início na capital fluminense, até a última etapa da Stock no Autódromo de Jacarépaguá, em 2012.

Assim, a curva 1 se chama Jacarépaguá, a 2, Complexo Gávea, as 3 e 4, Petrópolis, a 5, Fundão, a 6,São Gonçalo e, a 7, Barra, onde esta última menciona o bairro que sediava corridas em um circuito de rua de 1958 a 1970. Além disso, a reta dos boxes se chama Apoteose, em homenagem a cultura carnavalesca do Rio. A oposta, integra o Complexo Gávea.

A importância dessa prova para os fãs cariocas
(Foto: Duda Bairros)

Desde a demolição do Autódromo Internacional Nelson Piquet (antigo Autódromo de Jacarépaguá) em 2012, para dar lugar ao Parque Olímpico, o Rio de Janeiro ficou fora do mapa do esporte a motor nacional e de fora do país.

O retorno da Stock Car ao Rio significa uma tentativa ousada dos organizadores do GP do Galeão de trazer o mundo do esporte a motor de volta a cidade, uma mais adequada se comparada ao de construir um autódromo em uma área de proteção ambiental em Deodoro.

Além disso, é um bom chamariz para outras categorias nacionais e internacionais, ao mostrar um local de fácil acesso, amplo e possível para sediar corridas.

Palavras do último vencedor no Rio de Janeiro
Allam Khodair, vencedor da 6ª etapa da temporada 2012 no Rio de Janeiro (Foto: Fernanda Freixosa/Vicar)

Na última disputa no Rio, em 2012, o atual piloto da Blau Motorsport, Allam Khodair (#18), foi o grande vencedor da etapa no Autódromo Internacional Nelson Piquet. O paulista, que na época corria na equipe Vogel Motorsport, conquistou a vitória após largar na pole e também garantiu a volta mais rápida, algo que marcou a última corrida da categoria no circuito carioca.

Allam Khodair falou, com exclusividade, sobre suas expectativas e destaca os desafios esperados em correr sobre uma pista de pouso de forma inédita na Stock Car, além de o que significaria vencer na capital fluminense em seu retorno após 10 anos.

Em primeiro lugar é preciso dizer que estou muito feliz com a volta da Stock Car ao Rio de Janeiro depois de tantos anos. Lembro da minha última vitória aqui, na despedida de Jacarepaguá, o autódromo estava lotado. A Stock Car no Rio sempre foi um grande evento e este retorno só mostra o quanto a categoria está crescendo.

Agora, em relação ao traçado, ele vai privilegiar bastante os carros que conseguirem desenvolver maior velocidade de reta, o que deve favorecer os carros da Toyota. Ainda não tive contanto com a pista, então é difícil dizer o que esperar de uma corrida com um stock sobre concreto. Vamos aguardar os primeiros treinos e o Track Walk para poder fazer uma avaliação mais assertiva em relação a isso.

A vitória na despedida de Jacarepaguá foi muito especial e marcou minha carreira. Seria muito bom marcar este retorno da categoria com mais uma conquista como esta. Além disso, estamos vindo de uma etapa na qual tivemos problemas e perdemos muitos pontos em Goiânia. Então, para o campeonato, vencer no Rio também será muito importante“, finalizou Khodair.

Novidades para o GP do Galeão

A estreia de mais um piloto carioca no grid

Thiago Vivacqua, piloto estreante da RKL Competições (Foto: Divulgação)

A RKL Competições anunciou que Thiago Vivacqua fará sua estreia na Stock Car Pro Series pela equipe, e será o novo parceiro de Gustavo Frigotto e do recém chegado na escuderia, Renato Braga.

Vivacqua estava no automobilismo europeu, e disputou provas da GT Open, Euro Fórmula Open e Fórmula Renault, com vitória em quase todas as categorias em que passou.

Thiago é o segundo piloto do grid nascido no Rio de Janeiro a participar do GP do Galeão, junto com Cacá Bueno, e correrá com o carro número #7, patrocinado pelo Grupo PetraGold, especializado em investimentos, e pela NHJ do Brasil, especialista em estrutura pré-fabricada e de rápida instalação.

Layout do carro de Thiago Vivacqua para a temporada 2022 da Stock Car (Foto: Divulgação)

O automobilista de 25 anos iniciará sua carreira na Stock Car Pro em casa e, em entrevista, destacou o que essa prova significa para ele. “Estou muito feliz em estrear na principal categoria do automobilismo brasileiro, ainda mais na minha casa, no Rio de Janeiro. Correr em casa, com os amigos e a família por perto e ainda mais na Stock Car é um sonho de infância que enfim se realiza. Me lembro de quando era criança e tinham as provas em Jacarepaguá.

Agradeço muito o Grupo PetraGold e NHJ do Brasil por me ajudarem nessa caminhada, o percurso é longo, mas tenho certeza que vai dar tudo certo, estou contente e com pensamento positivo para o GP do Galeão”, concluiu o piloto do carro #7.

O que esperar
Felipe Baptista, seguido de Gabriel Petecof e Nelson Piquet Jr (Foto: Duda Bairros)

Dentre os 34 pilotos do grid, há veteranos e novatos na Stock Car Pro mas, na verdade, ninguém terá vantagem, pois todos estão no mesmo “avião”. Por ser a primeira prova de automobilismo brasileiro em um aeroporto, nenhum dos competidores sabe como serão as coisas no sábado e domingo, é o que reforçou o piloto da equipe KTF Sports e campeão da Stock Series de 2021, Felipe Baptista.

Os pilotos que estiveram em Jacarepaguá correram numa pista totalmente diferente da que vamos correr agora. Vai ser uma pista nova para todo mundo e teremos que nos adaptar.  Todos irão começar do zero. Creio que o piloto que se adaptar mais rápido vai sair na frente. Temos que nos acostumar com o tipo de piso e entender como será o desempenho do carro na pista“, explicou o piloto do carro #121.

Troféu oficial do GP do Galeão
Troféu de primeiro lugar do GP do Galeão (Foto: Duda Bairros)

A Stock Car revelou ontem (05) o layout do troféu que o vencedor da etapa carioca levará para casa. O formato tem a temática do local de prova sem precedentes na história do esporte a motor do país. O competidor que cruzar a linha de chegada na P1, terá em sua estante uma verdadeira relíquia do automobilismo brasileiro.

Classificação atual do campeonato de pilotos

Após 2 etapas, o atual campeão, Gabriel Casagrande, permanece na liderança, com 63 pontos, 1 de vantagem sobre o segundo colocado, Thiago Camilo, e 7 a mais em relação a Rubens Barrichello, este que se encontra em terceiro lugar com 56 pontos.

Programação do final de semana

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa dos pilotos/equipes.

Artigo anteriorFÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Roma – 2022
Próximo artigoSTOCK CAR – O retorno da categoria ao Rio em números – 2022