Início WEC WEC – 24 HORAS DE LE MANS – Do céu ao inferno:...

WEC – 24 HORAS DE LE MANS – Do céu ao inferno: Nelsinho Piquet perde pódio em Le Mans – 2017

90
Foto: José Mario Dias / Fotos Públicas

E a festa brasileira em relação ao 3º lugar na classificação GERAL da 85ª edição das 24 Horas de Le Mans 2017 durou muito pouco! Nesta segunda-feira a organização da prova anunciou a desclassificação do Vaillante Rebellion de numeral #13 (LMP2), justamente o conjunto pilotado pelo brasileiro Nelsinho Piquet em conjunto com David Heinemeier Hansson e Mathias Beche.

O motivo? Algo absurdamente inaceitável para uma equipe de tal porte! Todos sabemos que modificações clandestinas em partes previamente homologadas pela comissão e organização são PROIBIDAS e sempre causam penalizações! E assim o fez a equipe Rebellion. Os caras modificaram a carenagem do carro (anteriormente fiscalizada e autorizada), criando um BURACO durante a prova para que fosse possível acesso ao motor de arranque e auxiliar na solução de um problema com a peça! O problema se ampliou quando passaram a usar o mesmo BURACO para ligar o carro em todos os pit-stops seguinte, não precisando retirar a carenagem! Tempo ganho nos pits, prova ganha na pista e troféu perdido em seguida! Arriscaram e se deram mal. Uma pena para o Nelsinho, que apesar de Eu não morrer de amores por ele, merecia muito o conquistado em pista!

Foto: José Mario Dias / Fotos Públicas

O carro de Nelsinho chegou apenas 3 voltas atrás da Porsche #2, vencedora da prova na LMP1. E depois, 2 voltas atrás do carro da equipe de Jackie Chan (LMP2) de numeral #38 com Oliver Jarvis, Thomas Laurent e Ho-Pin Tung. Assim a Rebellion ficou em 2º na classe e 3º no geral! Logo atrás veio mais um carro da equipe de Jackie, o #37 de Alex Brundle, Tristan Gommendy e David Cheng, que com a punição ao #13, herdam o segundo posto da LMP2 e consequentemente o 3º lugar e pódio no GERAL. Festa de Jackie Chan: “Parece um Oscar”. Ao menos um outro brasileiro ganha com a situação, o #35 da Signatech Alpine (Brazuka André Negrão, Pierre Ragues e Nelson Panciatici) assumem o pódio da LMP2 em 3º e ficam e 4º na GERAL.

A comissão justificou o seguinte em relação à desclassificação:

“… Orifício criado pelo competidor no lado direito da carenagem do motor, feito para dar aos mecânicos da Rebellion acesso ao motor de arranque que teve problemas durante a prova e foi utilizado nas paradas de box seguintes, não precisando remover a carenagem… desta forma o #13 disputou a parte final da corrida com uma carenagem que não havia sido homologada e sem danos decorrentes de acidente ou outra interferência externa…”.

VEJA TAMBÉM