Início WEC WEC – O que é a Tríplice Coroa?

WEC – [TDT em Le Mans] O que é a Tríplice Coroa?

99
O Peugeot 908 de Jacques Villeneuve em Sarthe (Foto: WikiMedia)

O sonho de todo piloto é conquistar o título da categoria que compete. Parece justo dizer que a afirmação anterior é ainda mais verídica se o referido campeonato for o Mundial de Endurance, a IndyCar ou, obviamente, a F1. Certo?

Ser campeão, às vezes, significa o auge da carreira de um piloto – tal como vimos Nico Rosberg fazendo em 2016. Outros, mais ambiciosos, querem atingir marcas dificilmente equiparáveis (como Valentino Rossi e sua caçada pelo decacampeonato da motovelocidade). Mas, além de todas essas conquistas, existe algo que marca a glória máxima no automobilismo. Um feito tão incrível, inacreditável e inigualável que muitos tentaram e apenas um conseguiu.

Aproveitando os 7 dias para o final de semana mais célebre dos esportes a motor, com o GP de Mônaco e as 500 Milhas de Indianápolis, o Tomada de Tempo explica o que é a Tríplice Coroa, e como outro piloto pode conquistá-la antes de Fernando Alonso.

Tríplice Coroa?

O termo “tríplice coroa” é amplamente utilizado no cenário esportivo. No futebol, por exemplo, se refere à conquista do campeonato nacional, copa nacional e torneio intercontinental (como o Manchester United, em 1999). Um dos primeiros registros do título no âmbito das corridas data de 1853, quando o garanhão puro-sangue West Australian venceu três etapas do circuito inglês: 2000 Guineas Stakes, Epsom Derby e St. Leger Stakes.

Mas e nos carros?

Um piloto conquista a Tríplice Coroa do Automobilismo quando vence o GP de Mônaco, as 500 Milhas de Indianápolis e as 24 Horas de Le Mans – não necessariamente no mesmo ano.

O mito que tem a Tríplice Coroa: Mônaco, Le Mans e Indy 500 (Foto: Adaptação)

O termo surgiu em 11 de junho de 1972, quando Graham Hill venceu pela primeira (e única) vez as 24 Horas de Le Mans. O britânico, então, se tornou o único até então a receber a bandeira quadriculada nos três eventos.

Norman Graham Hill
Grande Prêmio de Mônaco: 1963, 1964, 1965, 1968, 1969
500 Milhas de Indianápolis: 1966
24 Horas de Le Mans: 1972

Existe, no entanto, uma polêmica envolvendo a Tríplice Coroa. Isto porque Hill, em 1975, declarou que a conquista é dada pelo título da F1, e não pela vitória no Principado. Obviamente que tal decisão não afetaria o “Mr. Mônaco”, que foi coroado campeão da categoria em 1962 e 1968, mas gera discussões sobre quem está mais próximo de repetir o feito…

O próximo?

Desde a vitória de Graham Hill na França, em 72, nenhum outro piloto conseguiu acumular os méritos nos três países (lendas como Bruce McLaren, Jim Clark, Jochen Rindt, Mario Andretti e Emerson Fittipaldi venceram apenas 2 das três “pernas” da Coroa).

O canadense Jacques Villeneuve, em entrevista para a Reuters em 2008 (pouco antes de participar das 24 Horas de Le Mans daquele ano) disse ser favorável à opinião de Graham.

Mônaco é apenas uma corrida que faz parte da F1. Você pode competir apenas na Indy 500 ou Le Mans por conta própria, mas não em Mônaco. Acho que algumas pessoas pensam isso (sobre Mônaco ser requisito para a Coroa) por que nos anos 50 era diferente, quase uma corrida em separado. Mas é o campeonato que vale.

O filho de Gilles chegou perto da conquista, mas terminou a prova no segundo lugar.

Para os que consideram a vitória em Mônaco como requisito o piloto mais próximo da Tríplice Coroa, atualmente, é nosso querido e memorável Juan Pablo Montoya, que tem uma vitória no traçado monegasco, em 2003, e é “bicampeão” da Indy 500 (2000 e 2015). Além disso, o colombiano testou o Porsche 919 Hybrid em 2015 e se mostrou bem empolgado com o carro, mas acabou não participando da etapa em Le Mans do ano seguinte.

Será que veremos uma cena parecida com essa nos EUA? (Foto: ESPN UK)

Seja com título da F1 ou vitória em Mônaco, é certo que uma vitória na 101ª Indy 500 deixará Fernando Alonso mais próximo do que nunca do auge do automobilismo mundial. E, para aqueles que acreditam em uma possível “disputa” entre o espanhol e o colombiano pela Coroa, Montoya também estará na pista no próximo dia 28. Resta saber quem se inscreverá em Le Mans antes.