Início Automobilismo Paranaense VELOCIDADE NA TERRA – A categoria está de volta a São José...

VELOCIDADE NA TERRA – A categoria está de volta a São José dos Pinhais – 6ª Etapa – 2016

211

O Tomada de Tempo segue com seu objetivo de divulgar todos os esportes relacionados com velocidade. Estaremos acompanhando nos próximos dias 17 e 18 de setembro a 6ª etapa do Campeonato Paranaense de Velocidade na Terra.

Para que possamos conhecer um pouco mais sobre esta categoria e seus pilotos entrevistamos hoje VINICIUS KAVILHUKA, vice líder da categoria Super Chev – B. Curtam muito esta entrevista e fiquem de olho neste piloto que trabalha para chegar no seu Tri Campeonato em 2016.

Primeiro Carro - Campeão 2014-2015 Fonte: Vinicius Kavilhuka
Primeiro Carro – Campeão 2014-2015 Fonte: Vinicius Kavilhuka

Como é sua preparação para as provas?

Na semana que antecede o final de semana da corrida, procuro me concentrar com a prova. Reviso os últimos detalhes no carro, penso nas possibilidades de quebras, de falhas no final de semana, já imagino como trabalhar caso ocorra algum problema e tento descansar (mas é difícil).

Porque escolheu correr na categoria Super Chev – B?

Em 2011 comprei um chevette, o qual iria reforma-lo para andar nas ruas. Mas depois de desmonta-lo vi que ficaria muito caro para deixa-lo do jeito que eu gostaria e parei o projeto. Em 2012 descobri a Chevlight onde o forte do evento eram as corridas de chevette, como sempre quis participar de corridas mas o dinheiro para comprar um carro de corrida eu não tinha, resolvi montar o meu chevette, que ai não gastei tudo de uma vez, foi aos poucos eu ia montando conforme o dinheiro ia sobrando. No final de 2013 que houve a primeira corrida em São José dos Pinhais com nome de Super Chev. Até então corridas de chevette somente aconteciam em Mafra. Em 2014 que resolvi participar da Super Chev, fui para categoria B, pois era a qual meu carro já possuía o motor preparado.

Carro 2016 Fonte: Vinicius Kavilhuka
Carro 2016 Fonte: Vinicius Kavilhuka

Como é a preparação do seu carro?

Como todo carro de corrida, ele é equipado com os equipamentos básicos de segurança: Santo Antônio, banco concha fixo, cinto de segurança 5 pontos, sistema de extintor que sai para motor e tanque com acionamento externo e interno, chave geral interna e externa. Na parte de performance, ele conta com motor original do chevette, cabeçote com retrabalho leve, carburador simples, caixa de chevette 4 marchas, diferencial de chevette, suspensão do chevette com algumas melhorias, radiador de água do chevette, sistema de ignição eletrônica da linha de montagem e sonda banda larga para leitura da queima do combustível.

Algum acidente na carreira?

Graças a Deus até hoje nenhum acidente grave, nenhum capotamento, nenhuma batida forte. Somente alguns barrancos ou toques normais de competição.

Como está sendo essa batalha com Carlos Eduardo Schilipack?

A disputa esta sendo bem interessante. Não há como negar que o Caca é um bom piloto, tem uma tocada constante e um carro com um bom acerto. Infelizmente eu venho enfrentando problemas tentando novos acertos mecânicos neste ano e não tive tantos problemas assim em anos anteriores. Este fator me prejudicou na última etapa em Ponta Grossa, onde não consegui participar da corrida de sábado. Mas num geral a disputa é bem boa.

Percebi que também participam das provas, em outras categorias, outros pilotos com o sobrenome Kavilhuka? Pelo visto o gosto pela velocidade é muito forte na sua família. Poderia nos apresentar esses pilotos?

Minha família entrou no automobilismo em 2004. Inicialmente com meus dois tios (Wilson Kavilhuka e Norival Kavilhuka) e meus três primos filhos do Norival (Carlos Eduardo Kavilhuka, José Henrique Kavilhuka e Luiz Ricardo Kavilhuka), mas como todos que começam, 2004 foi um ano somente de aprendizado.

O Luiz Ricardo (Taio) foi o que se destacou já no inicio das provas:

2005 Campeão Paranaense Categoria Novatos
2006 Campeão Paranaense Categoria Turismo
2006 Campeão Copa SJP Categoria Turismo
2007 3º Colocado Categoria Marcas
2008 3º Colocado Categoria Marcas A
2011 Campeão 100 Milhas São José dos Pinhais – Dupla Wilson Kavilhuka
2012 Vice Campeão 100 Milhas São Bento do Sul

Norival Kavilhuka:

2015 – Vice Campeão Categoria Marcas Chevlight

Wilson Kavilhuka é o piloto da equipe que mais corridas possui no “currículo”:

2007 3º Colocado Paranaense Categoria Novatos
2007 3º Colocado Paranaense Categoria Turismo
2008 Campeão Metropolitano Novatos
2008 3º Colocado Paranaense Marcas B
2009 Vice Campeão Paranaense Novatos injetado
2010 Campeão Paranaense Novatos Injetado
2010 Campeão Paranaense Marcas B
2011 Campeão 100 Milhas São José dos Pinhais – Dupla Luiz Ricardo Kavilhuka
2015 Campeão Paranaense Marcas B
2015 Vice Campeão Copa VNT Marcas B
2015 3º Colocado Categoria Marcas Chevlight

Pódio 2015 São José dos Pinhais Fonte: Vinicius Kavilhuka
Pódio 2015 São José dos Pinhais Fonte: Vinicius Kavilhuka

Nos anos 80/90 acompanhei algumas provas de Velocidade na Terra em São José dos Pinhais e percebi que embora aconteçam muitas disputas na pista, vocês pilotos se respeitam muito e parecem ser muito amigos, como é esta relação?

Hoje eu e os demais pilotos da categoria Super Chev, somos competidores dentro das pistas, mas amigos fora delas. O pessoal se ajuda, fornece peças no que pode, claro há aqueles que temos mais afinidades e aqueles que praticamente só cumprimentamos, mas não há nenhum tipo de rixa fora das pistas.

Observei também que o patrocínio para os carros é muito diferente de outras categorias. Digo isso porque via amigos de alguns pilotos patrocinando com alguns litros de etanol, um pneu, reparo na carenagem, um para brisa, um extintor de incêndio, parecia um ambiente muito caseiro, aconchegante e até romântico. Hoje a estrutura é diferente?

Muitos patrocinadores ainda fornecem peças ou mão de obra como forma de patrocínio, por ser mais em conta. Porém hoje o patrocínio se dá mais pelo fato da amizade do que pelo fato de ter algum retorno real na mídia. Dos meus 8 patrocinadores, dois me ajudam com mão de obra e assistência nas pistas, um com um valor obtido em peças e os outros cinco em dinheiro. Porém o valor total arrecadado com os patrocinadores quase não cobre o custo da etapa, todo mês sai dinheiro do bolso para poder correr. Há o custo de manutenção, inscrição, etanol, alimentação, deslocamento e eu em particular a muitos pilotos, invisto na divulgação da imagem com edições de videos no youtube, matéria uma vez por ano em revista e divulgação de fotos, e essa divulgação na mídia tem um custo.

Pódio 2016 São José dos Pinhais Fonte: Vinicius Kavilhuka
Pódio 2016 São José dos Pinhais Fonte: Vinicius Kavilhuka

Não poderia deixar de perguntar? Qual sua meta para temporada 2016?

Me manter entre os primeiros do campeonato e quem sabe conquistar o título de Tri Campeão da categoria.

Os patrocinadores que estão comigo desde o começo são:

MHF Parafusos e Ferramentas
Italdiesel Injeção Eletrônica Diesel
Nagazava Tintas
Freios Curitiba
Cristalina Transportes e Logística

Patrocinadores 2016 – os 5 citados acima mais:

ECM Contabilidade
Sinko Auto Peças
Brasília Pet Shop

Maior Grid - 5ª Etapa Copa VNT 2015 Fonte: Vinicius Kavilhuka
Maior Grid – 5ª Etapa Copa VNT 2015 Fonte: Vinicius Kavilhuka

Agradecemos toda simpatia, profissionalismo e boa vontade desse piloto em conversar tão prontamente com nosso portal. Com certeza nos encontraremos na próxima etapa do Campeonato Paranaense de Velocidade na Terra. Te desejamos boa sorte e uma boa corrida Vinicius.