Início Stock Car STOCK CAR – O que esperar da quarta etapa da temporada –...

STOCK CAR – O que esperar da quarta etapa da temporada – 2022

518

 4 min de leitura

(Foto: Duda Bairros)
Categoria mais alta do automobilismo brasileiro segue para Mogi Guaçu, em um autódromo conhecido pela beleza natural de seus arredores.

Após correr pela primeira vez em uma pista de pouso no GP Galeão, a Stock Car Pro Series retorna para São Paulo nesse fim de semana (13, 14 e 15) para realizar a quarta etapa da temporada 2022, no Autódromo Velocitta, em Mogi Guaçu, município do interior paulista.

A prova terá duas corridas de 30 min + 1 volta e será a primeira disputa deste ano dentro da normalidade: a prova de abertura em Interlagos (SP) foi uma corrida de duplas, a segunda, em Goiânia, ocorreu no incomum anel externo do circuito Ayrton Senna (GO) e, a terceira, no RIOgaleão – Aeroporto Internacional Tom Jobim (RJ).

Assim, os 34 pilotos do grid se sentirão “em casa”, pois, dessa vez, participarão de uma disputa sem ajuda externa a categoria e em um autódromo com traçado original.

Informações sobre o circuito
Autódromo Velocitta (Foto: Duda Bairros/Vicar)

O Autódromo Velocitta possui 3.443 km de extensão, 12 curvas, fluxo no sentido anti-horário e tem como características principais mudanças de elevação e setores predominantes de média velocidade. As ultrapassagens nesse circuito são difíceis, o que torna o classificatório um fator que deve ser levado em conta para bons resultados.

O Velocitta exige muito do sistema de freios dos carros, pois a frenagem é acionada em 1/4 (25%) da volta. Por isso, a principal preocupação dos 34 pilotos nesse traçado é manter a temperatura ideal das pastilhas de freio durante as duas corridas.

O setor 3 é a área mais desafiadora: há a sequência de curvas “saca-rolhas”, um trecho que começa no final da reta oposta e é seguido pelas curvas 8 (E), 9 (D) e 10 (E), estas que acontecem em um declive acentuado. Por isso, os freios dianteiros são os mais afetados na volta.

Curiosamente, esse final de semana será um marco para o Autódromo localizado no interior paulista: além de receber a etapa inaugural da Fórmula 4 brasileira, o Velocitta comemora domingo, 10 anos de sua homologação pela CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) para receber corridas.

Palavras do último vencedor em Mogi Guaçu
Thiago Camilo garantiu a vitória na corrida 2 da décima etapa da temporada 2021 (Foto: Duda Bairros)

Ano passado, o último vencedor do GP Mogi Guaçu foi o piloto #21 da Ipiranga Racing, Thiago Camilo. O paulista largou em terceiro na corrida 2 e, após fazer sua parada antes do até então líder da prova, Gabriel Casagrande, ultrapassou o atual campeão na reta dos boxes, ao faltarem menos de 12 minutos para a volta final.

O Autódromo Velocitta é especial para Camilo, já que é o maior vencedor da categoria nela, com duas vitórias em 2019 e uma em 2021. Importante lembrar que a estreia da Stock Car no circuito, em 2017, também foi o primeiro ano do piloto na equipe Ipiranga, e o maior pontuador do fim de semana, com duas finalizações na P4.

Thiago falou, com exclusividade, sobre as características da pista, o estilo de pilotagem e o tipo de acerto do carro no traçado em Mogi Guaçu: “O Velocitta é um circuito muito técnico e desafiador: curvas de alta e baixa, um desnível de 45 metros entre o ponto mais alto e o mais baixo e tem asfalto abrasivo. Por isso, numa etapa de duas corridas, onde o que conta é o total de pontos do fim de semana, você precisa encontrar um acerto para ser rápido e conservar pneus. Não é uma equação fácil, mas a nossa equipe já mostrou que tem competência para encontrar essa configuração.”

Novidades

Carro da RCM com uma nova pintura

(Foto: Divulgação)

O piloto da equipe RCM Motorsports, Bruno Baptista, correrá nesse fim de semana com um novo design em seu Corolla. O paulista de 25 anos usará um novo esquema de pintura em preto e laranja, além de alterar o número do carro para #44.

Segundo o próprio, Baptista alterou o layout e seu número no campeonato em homenagem ao atual campeão de Fórmula 1, Max Verstappen, e com os dois dígitos do heptacampeão de F1, Lewis Hamilton. Essas alterações visuais permanecerão durante o restante da temporada. Curiosamente, foi no Velocitta que Bruno conquistou sua primeira vitória na Stock, em 2019.

O que esperar
(Foto: Marcelo Machado de Melo)

Por ser um circuito com trechos apertados e poucas zonas de aceleração forte, é de se prever duas disputas travadas e um pouco conturbadas, principalmente pelo fator clima. A previsão do tempo aponta chuva a qualquer hora para o domingo. Isso poderá trazer mais desafios e, até mesmo, gerar ocupantes inesperados no pódio.

No campeonato de pilotos, o tricampeão, Daniel Serra, lidera com apenas 1 ponto de vantagem sobre o segundo colocado da A.Mattheis Vogel, Gabriel Casagrande. Thiago Camilo segue em terceiro, com 78 pontos, 20 a menos que Casagrande, e vai lutar para manter o recorde de vitórias no Velocitta.

Programação do final de semana da Stock Car Pro Series

A programação completa da STOCK CAR PRO SERIES, incluindo também a STOCK SERIES, COPA HB20 e F4 BRASIL, você encontra aqui!

Artigo anteriorFÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Berlim – 2022
Próximo artigoSTOCK CAR – Programação, horários e transmissão – Velocitta/SP (4ª Etapa) – 2022