Início Destaque FÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Berlim – 2022

FÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Berlim – 2022

355

 5 min de leitura

(Foto: Sam Bloxham/LAT Images)
Saiba os detalhes e o que esperar da disputa em território alemão, sobre um tipo diferente de pavimento.

Nesse final de semana (14 e 15), a Fórmula E retoma o calendário deste ano com a clássica rodada dupla do E-Prix de Berlim, as etapas 7 e 8 da temporada 2022, no aeroporto desativado de Berlim Tempelhof, na Alemanha.

O E-Prix de Berlim faz parte da programação da categoria elétrica desde a rodada inaugural (2014/2015), e é o único E-P que esteve presente em todos os campeonatos realizados até o momento.

Vale lembrar que a pista de pouso de Tempelhof não sediou todos os E-Prixs na capital da Alemanha. Na temporada 2015/2016, houve uma indisponibilidade do aeroporto, e a Fórmula E alterou o local da disputa para um traçado urbano que passava pelas praças Strausberger Platz, Alexanderplatz e pela avenida, Karl-Marx-Allee. Em 2016/2017, a FE retornou de forma definitiva para o histórico aeroporto europeu.

Donos da casa
(Foto: Sam Bloxham)

Essa etapa em especial terá vários anfitriões: a escuderia TAG Heuer Porsche e seus pilotos alemães, André Lotterer e Pascal Wehrlein, o competidor da Nissan e.dams, Max Guenther, e a equipe Mercedes EQ.

A Porsche e a Mercedes lutarão acirradamente entre si para ver quem terminará na frente e dedicará o melhor resultado para os fãs nas arquibancadas.

Layout do circuito de Berlim
(Imagem: Fórmula E/Divulgação)

O Circuito urbano de Berlim Tempelhof possui 2.355 km de extensão, 10 curvas e trechos predominantes de média velocidade, com apenas dois trechos de alta e algumas curvas de baixa. O recorde de volta mais rápida no traçado pertence a equipe Jaguar Racing: Mitch Evans marcou 1:08.350 na temporada 6 (2019/2020).

Um fato curioso é que o pavimento em Tempelhof não é de asfalto, mas de concreto. Isso torna o gerenciamento de pneus um fator que requer atenção especial dos pilotos, devido a alta abrasividade da pista.

Este ano, a Fórmula E vai usar duas direções de fluxo no final de semana da rodada dupla do E-Prix de Berlim. No sábado, os 22 carros correrão em sentido anti-horário, enquanto que, no domingo, o traçado será em sentido horário.

No sábado, a zona de ativação do Modo Ataque ficará no canto da curva 5, esta que, na corrida do dia seguinte, se tornará a curva 6, e a ativação da potência extra de 25 kW permanecerá no mesmo lugar.

O que esperar da disputa em Berlim Tempelhof
(Foto: Alastair Staley/LAT Images)

As corridas no circuito de Berlim Tempelhof costumam ser fluidas, já que o traçado tem vários setores abertos. As vezes, surgem algumas intervenções da direção de prova por conta de acidentes na pista. Ano passado, na corrida 1, Lucas Di Grassi foi o vencedor, ao ganhar a P1 de António Félix da Costa na corrida e a manter até o fim. Edoardo Mortara e Mitch Evans completaram o pódio.

Já na prova do dia seguinte, as coisas começaram tensas na largada: Evans teve problemas em seu carro antes das luzes se apagarem e ficou parado no grid. Em seguida, Mortara, que não o viu, bateu na traseira do neozelandês e ambos deixaram o segundo E-Prix em Berlim. A corrida 2 em solo alemão gerou um vencedor inédito na categoria: Norman Nato, que dividiu o pódio com Oliver Rowland (P2) e Stoffel Vandoorne (P3).

Com a ideia de utilizar dois sentidos de fluxo na pista de Tempelhof neste fim de semana, a Fórmula E acrescenta mais um pouco de imprevisibilidade e, por isso, tudo pode acontecer nessa rodada dupla na Alemanha.

Expectativa dos pilotos brasileiros
(Foto: LAT Images)

Lucas Di Grassi #11 (ROKIT Venturi Racing):Estatisticamente, Tempelhof é um dos meus melhores circuitos, pois ganhei seis pódios e duas vitórias. Berlim também é uma cidade em que gosto de correr. Até agora este ano, mostramos um ritmo forte e, embora nossos resultados nem sempre estejam alinhados, sabemos que temos potencial para conquistar pódios e vitórias. Esse é o objetivo neste fim de semana.”

Posição no campeonato: 9° (37 pts).

(Foto: Divulgação)

Sergio Sette Camara #7 (DRAGON/PENSKE AUTOSPORT):Tenho boas memórias de Berlim, já que foi onde fiz minha estreia na categoria. É uma etapa diferente das outras, porque corremos em sentidos opostos em cada dia, o que mistura um pouco as coisas no grid. Acho que Berlim é uma pista razoável para o nosso carro, pois sempre tivemos resultados medianos nela.

“Particularmente temos certas dificuldades nas corridas em Tempelhof, principalmente pelo fato do traçado ser largo, o que facilita as ultrapassagens e gera mais disputas. Mas tudo é possível e vamos com tudo em busca de um bom resultado.

Posição no campeonato: 21° (0 pts).

Situação dos campeonatos

O atual líder na classificação de pilotos é Stoffel Vandoorne, que se encontra com 81 pontos, logo a frente de Jean-Éric Vergne, e de Mitch Evans, estes que possuem 75 e 72 pontos, respectivamente.

Apesar de ocupar a 4ª posição na tabela, Robin Frijns ainda está no páreo para brigar pelo campeonato. O holandês está com apenas 10 pontos de desvantagem em relação a Vandoorne. Abaixo dele, na P5, Edoardo Mortara está longe dos líderes, com 49 pontos no total.

Nos construtores, a equipe Mercedes-EQ segue na liderança, com 120 pontos, 15 a mais que a segunda colocada, DS TECHEETAH, e 26 de distância da Jaguar TCS Racing, esta que ocupa a P3 no campeonato.

A outra dona da casa, TAG Heuer Porsche, está classificada em sexto lugar, com 85 pontos, e é a sexta escuderia com potencial de brigar pelas primeiras colocações.

Transmissão no Brasil

A TV Cultura e o SporTV2, transmitirão o E-Prix de Berlim no sábado e no domingo, às 9h30, segundo o horário de Brasília. A programação completa você encontra aqui, incluindo os links de transmissão!

Artigo anteriorFÓRMULA 4 BRASIL – F4 Brasil estreia nesse final de semana no Velocitta – 2022
Próximo artigoSTOCK CAR – O que esperar da quarta etapa da temporada – 2022