Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – Com ano decisivo pela frente, Russell é o único...

FÓRMULA 1 – Com ano decisivo pela frente, Russell é o único que pode ameaçar Verstappen e Hamilton em 2022

Jovem inglês tem em mãos a grande chance de quebrar a maior rivalidade dos últimos anos e provar que pode bater de frente com dois campeões mundiais

298

 4 min de leitura

Russell pilotando pela Mercedes, em 2020. Na ocasião, substituiu Lewis Hamilton, infectado com Covid-19 | Foto: F1
Russell pilotando pela Mercedes, em 2020. Na ocasião, substituiu Lewis Hamilton, infectado com Covid-19 | Foto: F1

O jovem George Russell (23) terá a chance de ouro de sua carreira na temporada de 2022 da Fórmula 1. O piloto inglês assinou em 2021 um contrato para correr na Mercedes para as próximas temporadas. Substituindo o contestado finlandês Valtteri Bottas, Russell fará dupla com Lewis Hamilton, detentor de 7 títulos e mais de 100 vitórias na categoria. Com carros iguais, George tem a grande oportunidade de vencer o heptacampeão, e consequentemente, ser o centro dos holofotes da F1 em 2022. Mas será que o inglês conseguirá dar conta do recado?

 

GAROTO PRODÍGIO

Russell não chega à Mercedes por coincidência. Campeão em sequência da Fórmula 3 e Fórmula 2, “categorias de base” da Fórmula 1, o inglês estreou na categoria máxima do automobilismo em 2019, como companheiro de Robert Kubica pela Williams. Apesar do carro fraco da equipe britânica naquele ano, Russell conseguiu números impressionantes contra seu companheiro, superando Kubica nas classificações de todas as 21 provas da temporada. Entretanto, na única oportunidade da Williams obter pontos, Kubica conquistou o único ponto da equipe na temporada.

Em 2020, com o carro da Williams um pouco melhor (ou menos pior), Russell conseguiu levar sua equipe ao Q2 em algumas sessões de classificação na temporada. Na época, a Williams amargurava quase 2 anos sem passar para a segunda fase do qualify. Eis que, em Imola, veio sua primeira chance de marcar pontos na categoria. Em uma corrida maluca, Russell estava em 10º lugar quando rodou ao aquecer os pneus durante o Safety Car, jogando a maior chance de pontos no ano por água abaixo.

Ainda em 2020, Russell substituiu Lewis Hamilton na Mercedes, no GP do Sakhir. O heptacampeão tinha contraído o Covid-19, sendo impossibilitado de participar do fim de semana. Chamado às pressas, Russell dominou os treinos livres, largou em 2º e só não venceu por um furo de pneu de sua Mercedes, no final da prova. A partir dessa corrida, os olhos da F1 se voltaram ao jovem inglês. Um dos motivos foi por George ter superado com facilidade Valtteri Bottas, que já tinha uma boa quilometragem com a Mercedes.

Com um carro mais competitivo porém ainda fraco, em 2021, Russell conseguiu não só os primeiros pontos na carreira (e da equipe em 3 anos), como a segunda posição no grid de largada do GP da Bélgica. Em decorrência da não realização da prova devido às fortes chuvas, Russell conquistou o 2º lugar na corrida, seu primeiro pódio da carreira e o primeiro pódio da Williams desde 2017. 

A GRANDE CHANCE

Em 2022, dividida entre Verstappen e Hamilton, a F1 terá em Russell uma terceira via pela disputa do título. Com a rivalidade de Max e Lewis no limite, o jovem inglês pode se aproveitar dessa guerra pessoal e assumir o protagonismo da categoria. Além disso, a mudança do regulamento dos carros para 2022 (que já é a maior mudança da história da categoria), fará com que todos os pilotos tenham que readaptar sua pilotagem aos novos carros, promovendo ainda mais incertezas no grid.

Fora isso, Lewis Hamilton chegará para a próxima temporada com 37 anos, e em meio a rumores de uma aposentadoria iminente, e de que o heptacampeão estaria desmotivado, Lewis não aparenta querer correr por muito mais tempo. Caberá a Russell assumir o protagonismo da Mercedes, tanto para poder estabilizar sua carreira, como para se mostrar um grande nome do esporte. Quanto antes isso acontecer, melhor para o  inglês. Até porque, se Russell não for capaz, a fila de pilotos que desejam sua vaga é grande.

Com 23 anos, Russell é um dos pilotos mais promissores do grid em 2022. Com todos os olhares voltados ao inglês, resta saber se ele irá corresponder com as expectativas, e claro, lidar bem com a pressão na Mercedes.

A Mercedes lançará seu novo modelo W13 no dia 18 de fevereiro, dias antes dos primeiros testes de pré-temporada, nos dias 23 a 25 de fevereiro, em Barcelona.

MINHAS REDES
SIGA A GENTE
Artigo anteriorCalendários 2022 – Automobilismo – F1, Indy, Stock Car, Moto GP, Nascar, Fórmula-E, DTM, WEC e outros
Próximo artigoFÓRMULA E – Tudo o que você precisa saber antes da temporada 2021/2022 começar