Início Destaque FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da...

FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da Hungria – 2021

625

 13 min de leitura

(Foto: Mark Thompson/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Confira o que pilotos e chefes de equipe esperam da última etapa antes das férias de verão.

Para concluir a primeira metade da temporada, no próximo fim de semana (30, 31 de julho e 1° de agosto), a Fórmula 1 realizará a décima primeira prova do calendário: o Grande Prêmio da Hungria, em Budapeste, capital do país europeu. O circuito que receberá os 20 pilotos da categoria mais alta do automobilismo é o Hungaroring, um traçado clássico que faz parte da programação da F1 desde a década de 80.

Tradicionalmente, o GP na Hungria finaliza a primeira parte da temporada, pois precede as férias de verão, uma pausa nas atividades do campeonato, onde todos os envolvidos na Fórmula 1 tiram três semanas de descanso, longe das pistas.

Abaixo, saiba o que os pilotos e chefes de equipe, que se manifestaram, esperam do GP húngaro, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de construtores.

Red Bull Racing (289 pts)

(Foto: Red Bull Racing/Divulgação)

Max Verstappen #33: Eu gosto da Hungria como pista e espero que haja um pouco menos de dificuldades no caminho para o grid, já que, ano passado, os mecânicos fizeram um milagre ao consertarem meu carro a tempo para a corrida.”

Sergio Perez #11: Estou totalmente focado no GP da Hungria e planejamos nos recuperar. Estamos muito motivados como equipe e vamos fazer tudo o que pudermos para voltar fortes.”

Christian Horner (chefe da equipe): A Hungria será um desafio diferente para o carro e a equipe, mas estamos motivados a manter a liderança do campeonato. Max não se preocupa mais com nada de Silverstone e quer apenas manter seu desempenho na pista. Ele está determinado a deixar esse incidente para trás e usá-lo como motivação adicional para o resto da temporada, assim como nós.

Mercedes (285 pts)

(Foto: Mercedes/Divulgação)

Lewis Hamilton #44: Não comentou.

Valtteri Bottas #77: Não comentou.

Toto Wolff (chefe da equipe): Tem sido uma longa e intensa primeira metade de temporada e estamos quase nas férias de verão. Queremos garantir que vamos para o intervalo com o pé direito, antes de termos a chance de recarregar, fazer um balanço de tudo o que aconteceu até agora e depois voltarmos na segunda metade.

O Hungaroring é um circuito de alta força aerodinâmica, apertado e sinuoso. Quase como uma versão grande de uma pista de kart. A Hungria será, portanto, uma esfera diferente em comparação com a última corrida, e é uma pista que provavelmente se adequará mais aos nossos concorrentes, mas vamos dar tudo o que temos.”

Mclaren (163 pts)

(Foto: Mclaren F1 Team/Divulgação)

Lando Norris #4: Estou ansioso para voltar para a Hungria, uma pista que gera boas memórias para mim, depois da minha estréia oficial nos testes de F1 lá, em 2017. Tivemos um bom início de temporada até agora, e pretendemos terminar a primeira metade do ano em alta, antes de uma pausa devido ao fechamento do verão.

O Hungaroring pode ser um circuito complicado de acertar, e sabemos que será um desafio superar nossos rivais mais próximos no campeonato de construtores. Mas vamos com tudo para continuar a construir essa lacuna e nos preparar para uma segunda metade de temporada forte.

Daniel Ricciardo #3: Mal posso esperar para ir a Budapeste, é uma das minhas pistas favoritas do calendário e uma corrida que já ganhei no passado. É um circuito muito estreito e técnico com altos níveis de downforce [pressão aerodinâmica] exigidos do carro, mas isso só aumenta o desafio e a emoção para mim.

Nesse traçado, as ultrapassagens podem ser difíceis, por isso vamos trabalhar muito para maximizar o nosso desempenho no sábado, o que deve nos alinhar para um domingo um pouco mais fácil. Como sempre, vamos continuar trabalhando duro para marcar o máximo de pontos que pudermos e continuar aumentando nossa pontuação na classificação de construtores.

Andreas Seidl (chefe da equipe): O Hungaroring apresenta à equipe um desafio interessante em comparação com as pistas de velocidade relativamente alta da Áustria e Silverstone. Com altos níveis de downforce e um layout estreito e tortuoso, não é surpresa que muitos descrevam o circuito como Mônaco sem paredes.

Os desafios colocados pelo circuito Hungaroring podem não se adequar ao nosso carro, mas grande parte da luta pelo terceiro este ano será decidida por quão bem atuamos em pistas que não se adequam ao MCL35B. A equipe vai dar tudo neste fim de semana antes de termos a chance de se reagrupar e recarregar as energias durante as férias de verão.”

Ferrari (148 pts)

(Foto: Scuderia Ferrari/Divulgação)

Charles Leclerc #16: Não comentou.

Carlos Sainz #55: A corrida anterior em Silverstone nos dá boas vibrações para o GP da Hungria e para a segunda parte da temporada. Continuaremos em busca de melhores resultados.”

Mattia Binotto (chefe da equipe): Agora estamos olhando para a próxima corrida na Hungria. É um tipo de pista muito diferente de Silverstone e vamos tentar confirmar o progresso visto nas últimas corridas.

AlphaTauri (49 pts)

(Foto: Scuderia AlphaTauri/Divulgação)

Pierre Gasly #10: Agora será importante ter um bom final para a primeira parte do ano em Budapeste. Já me saí bem no Hungaroring antes, vencendo na Fórmula 2 e marcando pontos algumas vezes na Fórmula 1. É um circuito que gosto muito, pois há muitas curvas e retas curtas, então, no cockpit sempre estamos fazendo alguma coisa – freando, girando ou controlando o acelerador. Por isso, acho muito agradável pilotar nesse traçado.

Vimos nos últimos fins de semana que a McLaren e a Ferrari deram um grande passo à frente. Sabemos que lutamos pelo quinto lugar no campeonato com a Alpine e Aston Martin e é essa a meta que devemos almejar. Acho que em Budapeste teremos a chance de estar no mesmo nível dessas duas equipes, mas vamos precisar de um fim de semana muito bom, aproveitando todo o potencial que está no nosso pacote.

“O intervalo de verão será bom para todos depois de uma primeira parte do ano intensa. Sabemos que a próxima parte da temporada vai ser muito exigente, por isso, poder descansar num ano com 23 corridas planejadas, será importante.

Yuki Tsunoda #22: Como uma pista, eu realmente gosto do Hungaroring, pois é muito desafiador, exigindo o máximo de downforce do carro. Um lado interessante é quanta velocidade em curvas você pode alcançar e geralmente é uma pista divertida para correr.

Fisicamente, a Hungria é exigente devido ao tempo quente e ao fato de não haver trechos retos para descansar, pelo que penso que pode ser difícil. Não sei como vou me virar, mas me sinto pronto. Depois disso, vêm as férias de verão, algo pelo qual estou ansioso. Como recentemente me mudei para a Itália, acho que vou passar a maior parte do tempo arrumando a casa onde pretendo morar.

Aston Martin (48 pts)

(Foto: Aston Martin/Divulgação)

Lance Stroll #18: Mostramos muita determinação e luta ao convertermos um desafiador Silverstone em pontos, e vamos levar esse impulso conosco para a Hungria. Hungaroring é uma pista única, com poucas oportunidades de ultrapassagem, então isso dá mais importância à nossa qualificação e uma estratégia clínica de pneus no domingo é extremamente importante.

Sebastian Vettel #5: Acho que estamos progredindo com o AMR21, embora tenha sido uma pena não conseguirmos obter os pontos fortes que esperávamos em Silverstone. Estamos perto de uma merecida pausa de verão, mas precisamos nos manter focados até a última volta na Hungria antes de ter algum tempo de inatividade. Ultrapassar é difícil lá, então uma boa estratégia e ritmo de uma volta serão importantes nesse fim de semana.

Otmar Szafnauer (chefe da equipe): Não comentou.

Alpine (40 pts)

(Foto: Alpine F1 Team/Divulgação)

Fernando Alonso #14: Estou ansioso para esse fim de semana. Obviamente, o traçado húngaro não nos dá muito tempo para respirar, já que possui muitas curvas fechadas. Parece um grande circuito de kart. Acho que todos nós amamos correr lá porque o piloto tem um pouco mais de controle do que em outros circuitos.

Particularmente, tive alguns resultados bons na Hungria, principalmente em 2003, quando conquistei minha primeira vitória na Fórmula 1. Sinto que a equipe está melhorando o tempo todo, especialmente depois do desempenho em Silverstone, onde os dois carros terminaram na zona de pontos, então temos esperança de outro bom fim de semana.

Esteban Ocon #31: O Hungaroring é uma das minhas pistas favoritas e um ótimo lugar para se pilotar um carro de Fórmula 1, pois tem um bom fluxo e ritmo. Se trata de maximizar curvas e juntar tudo. Fico feliz em ir para a Hungria depois de um fim de semana promissor em Silverstone, onde o carro estava muito melhor do que nas rodadas anteriores.

“A equipe e eu continuamos trabalhando duro em nossa preparação no simulador para estar pronto para esse final de semana em Budapeste. É a última rodada antes das férias de verão, e o objetivo é marcar mais pontos para encerrar a primeira parte do ano em uma tendência positiva.

Marcin Budkowski (diretor executivo da equipe): O Hungaroring é uma pista apertada, sinuosa e notoriamente difícil de ultrapassar. Isso significa que a qualificação será importante e precisaremos aproveitar o potencial do carro no sábado para nos colocar em um lugar onde possamos lutar melhor por posições na corrida.

“Chegamos a fase do ano em que a fadiga dos Grandes Prêmios começa a aparecer. Foi um grande esforço desde o início da temporada. O foco agora mudou para 2022 em ambas as fábricas, o que significa que há menos peças novas chegando, mas a segunda metade do calendário é um cronograma extenuante e todos na equipe estão ansiosos para o intervalo. Apesar disso, antes que possamos relaxar, queremos outra exibição forte na Hungria.

Alfa Romeo Racing (2 pts)

(Foto: Alfa Romeo Racing/Divulgação)

Kimi Raikkonen #7: A última corrida em Silverstone nos viu chegar muito perto dos pontos: eu estava em décimo quando vim junto com Perez e sinto que poderíamos ter lutado por esse ponto até o final da corrida. Saímos sem nada, mas podemos esperar levar essa forma para a Hungria, uma pista em que podemos nos sair bem.

“Como sempre, esperamos que o sábado e o domingo estejam próximos, mas se fizermos nosso trabalho, podemos nos sair bem.

Antonio Giovinazzi #99: Terminar a primeira metade da temporada com um bom resultado seria uma ótima maneira de ir para as férias de verão e um grande impulso para a confiança de todos na fábrica. A Hungria é uma pista completamente diferente de Silverstone e espero que possamos nos dar bem lá.

“Sabemos que nosso ritmo é bom o suficiente para nos manter à frente de muitos de nossos rivais, mas precisamos entregar quando é preciso: se fizermos isso, podemos ter um bom fim de semana.

Robert Kubica #88 (piloto reserva da equipe):É sempre bom estar de volta ao carro, especialmente em Budapeste, que é a corrida mais próxima da Polónia no calendário. Sempre há muitos fãs poloneses nas arquibancadas e sei que haverá muitas bandeiras para me dar as boas-vindas quando eu sair da garagem na sexta-feira.

“É claro que, uma vez dentro do carro, o foco é fazer o melhor trabalho possível para a equipe e ajudar nossos engenheiros na configuração do carro. As margens são realmente pequenas no pelotão do meio, então cada melhoria pode ser crucial.”

Frédéric Vasseur (chefe da equipe): “Nos aproximamos da corrida final antes do intervalo com objetivos inalterados – dois carros no 2º trimestre e pontos no domingo. Não me canso de dizer: temos batido às portas dos dez primeiros e só precisamos que as coisas se alinhem para darmos esse passo final.

“Passamos a maior parte da última etapa em posições que pagam pontos e ficamos na P10 até algumas voltas para o final em Silverstone, que é uma pista que realmente não combina com o nosso carro, então esperamos poder extrair ainda mais do nosso potencial em um local que é diferente da Grã-Bretanha. Seria uma maneira ideal de entrar no intervalo e levar o ímpeto para a segunda parte da temporada.

Williams (0 pts)

(Foto: Williams Racing/Divulgação)

George Russell #63: Estou ansioso para o GP húngaro neste fim de semana. O Hungaroring é um circuito que adoro, principalmente o segundo setor; é rápido, fluido e não tem uma pausa da curva 4 para a 11, mas quando o carro se acerta, é uma sensação fantástica extrair tudo daquela sequência de curvas. Vou dar o meu melhor para ter a certeza de que terminaremos a primeira metade da temporada com força, especialmente vindo de várias corridas fortes recentemente.

Nicholas Latifi #6: Estou bastante animado para o circuito da Hungria. É uma pista que se adaptou muito bem ao carro nos últimos anos, então esperamos poder maximizar todas as oportunidades que surgirem lá. Budapeste costuma ser muito quente e, por isso, acho que a gestão dos pneus será fundamental.

“Costumamos desejar que a última corrida antes do intervalo termine de forma positiva, para que possamos partir para as férias de verão com uma sensação boa, por isso vou tentar terminar esta primeira metade da temporada em alta.

Haas (0 pts)

(Foto: Haas F1 Team/Divulgação)

Mick Schumacher #47: Essa pista na Hungria sempre foi muito boa para mim e pela qual estou sempre ansioso. O GP no Hungaroring sempre conclui um capítulo, pois é a corrida que antecede as férias de verão, então para todos é um bom momento para nos reunirmos e tirarmos uma folga.

“O circuito torna a qualificação essencial, pois onde você se qualifica é onde termina a corrida, porque há poucas retas e o DRS não faz muita diferença, mas é uma ótima pista de se percorrer. Tem um bom fluxo e geralmente é bastante quente, o que é bom. Por outro lado, o Hungaroring é um traçado difícil e técnico. Porém, acho que devemos ser otimistas, fazer o nosso melhor, e esse é o nosso objetivo.”

Nikita Mazepin #9: O Hungaroring é um lugar legal para se estar. Normalmente é muito quente, por isso, exige bastante do nosso fisico, mas depois de ter sido repavimentada alguns anos atrás, essa pista oferece muitas condições de aderência com o novo asfalto e sempre gostei de pilotar lá, embora correr possa ser um pouco difícil.

“O objetivo realista da equipe é tentar maximizar nosso desempenho no Hungaroring. Ele exige muito downforce e aderência porque há várias curvas de alta. Lá, a velocidade mínima é a chave, então vamos tentar maximizar o que temos.

Guenther Steiner (chefe da equipe): Após o GP na Hungria, será muito importante para a equipe ter um tempo de folga, especialmente durante os tempos de COVID-19, onde há muitas rodadas triplas, e também descansar antes de entrarmos na segunda metade da temporada, que será difícil, se não mais difícil. É muito importante que os nossos pilotos tenham um tempo em casa com suas famílias, mesmo que no momento estejam muito cansados.”

NOVIDADES PARA O GP

(Foto: Leonhard Foeger/Pool via Getty Images/Red Bull Content Pool)

A Red Bull confirmou que Max Verstappen usará o motor de Silverstone no Hungaroring, o mesmo que foi destruído na forte batida do holandês após um contato com Lewis Hamilton, durante a curva Copse.

A Honda anunciou em nota que, após o GP britânico, a unidade de potência foi transferida para o departamento de motores da marca, no Japão, e foi considerada como apta para uso. Assim, Verstappen testará o motor restaurado nos Treinos Livres de sexta-feira e a RBR, juntamente com a montadora japonesa, vão analisar se o motor poderá ser utilizado normalmente no domingo.

Robert Kubica (Foto: Alfa Romeo Racing/Divulgação)

A Alfa Romeo anunciou que o piloto reserva da equipe, Robert Kubica, irá correr na primeira sessão de Treinos Livres (TL1) do GP da Hungria e guiará o carro de Kimi Raikkonen. Essa será a terceira vez que polonês irá participar das atividades de sexta na temporada, após ter participado do TL1 nos GPs da Estíria e Espanha.

Circuito Hungaroring (Imagem: Fórmula 1/Divulgação)

O circuito Hungaroring possui 4.381 km de extensão, recebe GPs da Fórmula 1 desde 1986 e a corrida terá um total de 70 voltas. O recorde de volta mais rápida no traçado pertence a Lewis Hamilton, que marcou o tempo de 1:16.627 na temporada 2020.

A pista tem como características principais a predominância de trechos de média e baixa velocidade; sequências de curvas rápidas com ângulos variados e oferece menos espaço para erros. Esses fatores unidos, tornam a disputa nesse traçado um esforço mental e físico mais intenso para os competidores.

A grande dificuldade para os pilotos no dia da corrida será a tomada de posições. Devido aos setores estreitos, as ultrapassagens no Hungaroring são pouco frequentes, o que torna a classificação no sábado mais importante do que a prova no domingo.

Lewis Hamilton com o troféu da vitória do GP da Hungria de 2020 (Foto: Mercedes/Divulgação)

O favorito à vitória nesse final de semana é Lewis Hamilton, este que venceu o GP húngaro 8 vezes e, atualmente, é o piloto mais vezes vencedor no país. No sábado e no domingo, o britânico poderá entrar para a história do GP da Hungria se:

  • Conquistar sua 8ª pole na qualificação e, enfim, ultrapassar Michael Schumacher (este que se classificou como líder da primeira fila 7 vezes);
  • Finalizar dentro do top 3 no fim da corrida e, assim, alcançar o maior número de pódios no circuito, com um total de 10 (desempatando com Kimi Raikkonen).

O próximo fim de semana será decisivo em relação ao campeonato de pilotos, pois apenas 8 pontos separam o atual líder, Max Verstappen, do segundo colocado, Lewis Hamilton. Devido a este fato, a disputa promete ser intensa entre os dois favoritos ao título, pois quem cruzar a linha de chegada em primeiro, estará mais confiante após as férias de verão.

Nos construtores, a Red Bull continua na liderança e está com 4 pontos de vantagem em relação a Mercedes, o que também pode mudar em Budapeste.

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

A corrida acontecerá no próximo domingo, dia 1° de agosto, às 10h (horário de Brasília), e será transmitida ao vivo pela Rede Bandeirantes de Televisão.

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa de cada equipe.

Artigo anteriorDTM – Resultado Final + Melhores Momentos (Corrida 2) – Lausitzring / Alemanha – 2021
Próximo artigoFÓRMULA 1 – Programação, Horários e Transmissão – GP da Hungria – 2021

1 COMENTÁRIO