Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da...

FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da França – 2021

879
(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

Confira o que pilotos e chefes de equipe esperam da próxima etapa do campeonato.

No próximo final de semana (dias 18, 19 e 20 de junho), a Fórmula 1 retorna a Europa para realizar a sétima prova do calendário 2021: o Grande Prêmio da França, no Circuito de Paul Ricard, este que é um dos traçados mais belos do itinerário da F1.

Essa etapa será a primeira de uma série de três GPs consecutivos nos próximos três finais de semana. Depois do GP francês, haverá duas corridas na Áustria.

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

A organização do GP informou que receberá um total de 15.000 espectadores por dia, distribuídos nas arquibancadas do circuito de Paul Ricard, o que será o maior número de fãs presenciais em uma prova da temporada até agora.

Ano passado, o GP da França foi outra corrida cancelada devido às restrições de saúde e segurança contra o coronavírus, o que consumou a temporada 2019 como a última visita da categoria mais alta do automobilismo ao país europeu.

Esteban Ocon [Alpine] e Pierre Gasly [AlphaTauri] (Foto: Fórmula 1/Divulgação)
A corrida em território francês será a disputa em casa para a equipe Alpine e para os pilotos Esteban Ocon e Pierre Gasly. Apesar disso, os holofotes da mídia estarão sobre a escuderia francesa que, anteriormente, em 2019, perdeu parte dos pontos ganhos por conta de uma punição de limites de pista aplicada em Daniel Ricciardo, este que era piloto da Renault, atual Alpine.

Abaixo, saiba o que os pilotos e chefes de equipe, que se manifestaram, esperam do GP francês, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de construtores.

Red Bull Racing (174 pts)

(Foto: Red Bull Racing/Divulgação)

Max Verstappen #33: Paul Ricard é um circuito rápido. Possui algumas curvas de alta e também exige um maior cuidado com a degradação dos pneus. Estou ansioso para voltar lá.

Sergio Perez #11: Realmente não importa onde estamos agora, é onde terminamos em Abu Dhabi, então só temos que continuar a descascar, garantindo que maximizamos o potencial do nosso carro.”

Christian Horner: Não comentou.

Mercedes (148 pts)

(Foto: Mercedes/Divulgação)

Lewis Hamilton #44: Não comentou.

Valtteri Bottas #77: Não comentou.

Toto Wolff (chefe da equipe): O GP da França significa retornar a um circuito mais tradicional e, com sorte, melhor para nós. É uma pista em que estivemos bem no passado e, com uma vasta gama de velocidades em curva que vão testar o carro em todos os aspectos, é um desafio interessante para enfrentarmos.

Estamos há seis corridas na temporada e ainda há um longo caminho a percorrer. Parece muito próximo na frente e não esperamos que isso mude tão cedo. Vamos tentar transformar o que aprendemos nas últimas semanas em desempenho e entregar um fim de semana muito mais forte com os dois carros.

Ferrari (94 pts)

(Foto: Scuderia Ferrari/Divulgação)

Charles Leclerc #16: Não comentou.

Carlos Sainz #55: Não comentou.

Mattia Binotto: Não comentou.

Mclaren (92 pts)

(Foto: Mclaren F1 Team/Divulgação)

Lando Norris #4: Mudar de uma série de circuitos de rua para pistas mais tradicionais com a França e [em seguida] a Áustria, será um desafio emocionante. É ótimo voltar a Paul Ricard para o Grande Prêmio da França depois de tudo o que aconteceu no ano passado. É uma pista divertida e rápida com uma mistura de curvas e oportunidades para uma boa corrida.

Daniel Ricciardo #3: Estou ansioso para correr em Paul Ricard neste fim de semana. É uma traçado muito mais convencional e tolerante do que Baku, além de oferecer poucos riscos. Então, vamos manter o foco, tentar fazer tudo da melhor forma e ver o que podemos conseguir.

Andreas Seidl (chefe da equipe): Depois dos circuitos de rua em Mônaco e Baku, nossa atenção agora se volta para a primeira rodada tripla da temporada com o GP da França. Como equipe, sabemos o que esperar das demandas de três finais de semana seguidos de prova e estamos bem preparados para a tarefa que temos pela frente.

”Manter um forte impulso operacional, com nossa confiabilidade e gerenciamento de peças de reposição é uma prioridade para superar os desafios únicos que as corridas consecutivas apresentam. O Circuito de Paul Ricard é um traçado diferente em comparação com as corridas anteriores e, portanto, é difícil entender a hierarquia antes do fim de semana. Continuamos focados e determinados a lutar mais uma vez por bons pontos nesse domingo.

AlphaTauri (39 pts)

(Foto: Scuderia AlphaTauri/Divulgação)

Pierre Gasly #10: Vamos enfrentar este fim de semana com a mesma abordagem de antes. Para ser honesto, não fiz nada de especial em Paul Ricard no passado. Colidi com Ocon na minha primeira corrida de F1 lá, e tive que desistir na primeira volta. Em 2019, não foi um fim de semana fantástico e terminei em décimo. Na verdade, Baku foi outra pista que nunca tinha ido bem para mim até este ano, então espero que possamos seguir a tendência e mudar isso nesse fim de semana também.

O circuito é bem especial, com várias zonas de escape, ao contrário das duas últimas pistas. Os riscos não são tão elevados, mas mesmo assim é bastante complicado e técnico porque existem alguns tipos de curvas que não se encontra em outros traçados, como, em particular, a Beausset no setor final, a direita muito longa seguida pela esquerda. Em termos de carro, claramente nosso primeiro trabalho será descobrir a melhor configuração para este layout incomum.

Yuki Tsunoda #22: Já corri em Paul Ricard duas vezes na Fórmula 3, o que significa que é uma situação diferente depois de Portugal, Mônaco e Baku, que eram completamente novos para mim, e isso será um fator positivo. O autódromo francês será diferente em um carro de Fórmula 1 e o Setor 3 será a chave para uma boa volta, com a degradação dos pneus talvez sendo um fator importante.

“É uma pista plana e, ao contrário das duas últimas corridas, não tem paredes. Existem áreas de escape grandes, então não preciso ser tão cauteloso na minha abordagem quando encontro o limite. Em termos de configuração, também será muito diferente do Azerbaijão, onde nosso carro funcionou muito bem. É um traçado completamente diferente em todos os sentidos. Estou ansioso por isso e espero poder terminar nos pontos mais uma vez.”

Aston Martin (37 pts)

(Foto: Aston Martin/Divulgação)

Lance Stroll #18: Minha corrida em Baku terminou em decepção, mas toda a equipe pode tirar vantagens do nosso ritmo de corrida e do impulso que o pódio de Sebastian deu a todos nós. Estou determinado a me recuperar com força na França. Paul Ricard é um circuito bom e testa todos os aspectos de um carro de Fórmula 1, então estou ansioso para ver como o AMR21 se comporta neste fim de semana.

Sebastian Vettel #5: Acho que estamos entrando nessa corrida em alta, depois do sucesso em Baku. Houve tempo para comemorar, mas agora estou totalmente focado em manter nosso ímpeto na França. Trouxemos para casa uma boa soma de pontos em Mônaco e Azerbaijão, e precisamos manter a forma consistente no que está se revelando uma batalha extremamente acirrada no pelotão intermediário este ano.

Otmar Szafnauer (chefe da equipe): Não comentou.

Alpine (25 pts)

(Foto: Alpine F1 Team/Divulgação)

Fernando Alonso #14: Sempre gostei de correr na França. Tive alguns bons resultados na Fórmula 1 e em outras categorias do automobilismo neste país, mas o Circuito Paul Ricard é na verdade uma pista que não conheço tão bem, pois só corri aqui uma vez na Fórmula 1. A pista ressurgiu com alguns ajustes para ajudar a melhorar a corrida, então avaliaremos isso no início do fim de semana.

“O circuito tem algumas seções de alta velocidade e a Curva 10 será divertida nesses carros de Fórmula 1 modernos. Existem algumas áreas de escape ao redor do circuito, o que significa que qualquer erro é menos provável de ser punido por barreiras de ambos os lados. Isso será diferente do que experimentamos em Mônaco e Baku e, com sorte, podemos dar um bom show para os fãs.

Esteban Ocon #31: Parece que foi há muito tempo desde que me alinhei no grid para meu Grande Prêmio em casa, na França, então estou pronto e ansioso para fazer isso mais uma vez neste fim de semana. Obviamente, eu não estava correndo em 2019 e, no ano passado, não houve o GP francês, então definitivamente tenho motivação extra e energia para esta corrida.

“Acho que todos na equipe estão desesperados por uma boa corrida em casa, e vamos trabalhar duro para fazer exatamente isso. É o sul da França, bom tempo, fãs nas arquibancadas e os carros mais rápidos do mundo. Mal posso esperar por isso.

Marcin Budkowski (diretor executivo da equipe): Uma corrida em casa para cada equipe é especial. Alpine é uma marca com sede na França, enquanto a equipe de Fórmula 1 está baseada principalmente no Reino Unido, então podemos dizer que temos duas corridas em casa. É um prazer representar a Alpine em solo francês, especialmente em uma região tão bonita, mas também há atenção redobrada na equipe.

“Desta vez, veremos mais fãs nos apoiando nas arquibancadas, VIPs e executivos do Grupo Renault e, portanto, haverá uma pressão extra. Uma vez que o fim de semana de corrida começa, cada indivíduo está focado em tirar o máximo proveito do carro, dos pilotos e de toda a equipe, como fazemos em todas as provas do calendário.”

Alfa Romeo Racing (2 pts)

(Foto: Alfa Romeo Racing/Divulgação)

Kimi Raikkonen #7: Marcar um ponto da última vez foi obviamente positivo, mas ainda queremos mais de nós mesmos e do carro. Não vai ser muito diferente quando chegarmos à França: as equipes do meio vão estar muito próximas e vai ser uma questão de acertar tudo de sexta a domingo.

Antonio Giovinazzi #99: Mal posso esperar para estar no circuito de Paul Ricard, na França. Sabemos que fizemos grandes melhorias e tudo o que precisamos é de um fim de semana normal para podermos mostrar exatamente o que podemos fazer. A pista francesa pode nos permitir isso.

“Esta será a primeira corrida de três consecutivas, o que significa que vamos passar por um mês intenso. Marcar pontos será uma questão de ser o mais talentoso de todos no pelotão intermediário, não apenas o mais rápido. Estou confiante de que podemos trazer um bom resultado para casa.

Frédéric Vasseur (chefe da equipe): “Viajamos para a França com a determinação de continuar nossa seqüência de pontuações pela terceira corrida consecutiva. Finalmente começamos a ver os resultados do nosso trabalho e sabemos que há muito mais potencial para vir da equipe.

“Estamos cientes de que organizar um fim de semana sem problemas é fundamental para atingir esses objetivos. A qualificação interrompida e a corrida agitada em Baku mascararam um pouco o ritmo real do nosso carro. Por isso, espero que a França seja onde possamos mostrar tudo o que podemos fazer.

Haas (0 pts)

(Foto: Haas F1 Team/Divulgação)

Mick Schumacher #47: A última vez que estive em Paul Ricard foi na F2, mas também corri lá antes, em um teste de Fórmula 3. A pista é muito aberta e há várias zonas de segurança. Além disso, é muito fluida e gera possibilidades de tentar diferentes linhas e outras coisas sem ter grandes consequências.

“Paul Ricard é um circuito onde todos, penso eu, podem encontrar as margens certas em cada curva, porque podemos ultrapassá-las e experimentar quais terão ou não regras de violação dos limites de pista. Isso será a chave para ficar dentro dos limites do traçado e tirar o máximo proveito do carro sem preocupações.

Nikita Mazepin #9: Paul Ricard é uma pista muito especial. É o oposto de nossas últimas corridas em Monte Carlo e Baku. Tem áreas de escape enormes, portanto é uma pista que pode te dar a oportunidade de testar os limites. Tive uma boa experiência lá em 2019. Espero que com nosso carro possamos realizar mais dessas coisas.

Guenther Steiner (chefe da equipe): Não comentou.

Williams (0 pts)

(Foto: Williams Racing/Divulgação)

George Russell #63: Estou ansioso para voltar a correr. Paul Ricard é um circuito muito complicado, com vários tipos de curvas. A 11 é uma das mais desafiadoras fisicamente de todo o calendário, tanto para o piloto quanto para o carro. Também estou empolgado por três corridas consecutivas, à medida que avançamos para a Áustria depois da França, e a temporada está realmente começando a esquentar.

Nicholas Latifi #6: Fico feliz em voltar a correr novamente depois do que achei serem algumas atuações fortes em Mônaco e Baku. Definitivamente, procurarei manter esse ímpeto à medida que avançamos para Paul Ricard.

“A pista francesa é bem diferente daquelas que acabamos de usar, então estou curioso para ver como o carro se comporta em um circuito mais convencional. É também a primeira prova de três seguidas, então espero um bom resultado para definir o padrão para as corridas que se aproximam.”

Roy Nissani #45 (piloto de testes e desenvolvimento da equipe): “Sem dúvidas, estou ansioso para voltar a um carro de F1, é muito viciante. O circuito de Paul Ricard é uma pista especial para mim, adoro o traçado e tenho boas memórias de lá. O último setor geralmente é muito exigente e mal posso esperar para experimentá-lo no FW43B.”

NOVIDADES PARA O GP

Roy Nissani (Foto: Williams Racing/Divulgação)

A Williams confirmou na última terça-feira (15) que o piloto de testes e desenvolvimento da equipe, Roy Nissani, testará o FW43B durante o Treino Livre 1, no lugar de George Russell, este que retornará a partir do Treino Livre 2. Essa será a segunda vez na temporada que o piloto israelense participa de um fim de semana de corrida com a escuderia inglesa.

Romain Grosjean (Foto: Mercedes/Divulgação)

A Mercedes anunciou ontem (16) que o teste de despedida de Romain Grosjean da Fórmula 1 precisou ser adiado mais uma vez, devido a restrições de segurança contra o coronavírus na França, relacionadas ao tempo de quarentena após viagens internacionais.

O primeiro adiamento ocorreu devido a mudança repentina no calendário da F1, um efeito do cancelamento do GP da Turquia, que antecipou o GP da França e gerou conflito com a agenda de Grosjean com a IndyCar, atual categoria do piloto.

A escuderia alemã ainda não marcou uma nova data para o teste do francês, o que pode demorar alguns meses para se concretizar, devido a programação intensa das duas categorias de automobilismo.

Circuito de Paul Ricard (Imagem: Fórmula 1/Divulgação)

O circuito de Paul Ricard possui 5.842 km de extensão, recebe GPs da Fórmula 1 desde 1971 e a corrida terá um total de 53 voltas. O recorde de volta mais rápida nesse traçado pertence a Sebastian Vettel, que marcou o tempo de 1:32.740 na temporada 2019.

As principais características dessa pista são a predominância de trechos de média a alta velocidade, a ausência de paredes ou muros próximos à pista e leves mudanças de elevação.

Diferente do que os pilotos vivenciaram em Baku, a visibilidade no circuito é ampla e, por isso, será comum vermos carros indo por fora do traçado, o que pode gerar punições frequentes de limites de pista no final de semana.

A equipe favorita à vitória é a Mercedes, que venceu as duas edições mais recentes do GP francês, em 2018 e 2019, esta última com direito a dobradinha de Valtteri Bottas e Lewis Hamilton.

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

A corrida acontecerá no próximo domingo, dia 20 de junho, às 10h (horário de Brasília), e será transmitida ao vivo pela Rede Bandeirantes de Televisão.

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa de cada equipe.