Início Automobilismo Virtual AUTOMOBILISMO VIRTUAL – Igor Fraga vence 2018 FIA GT Championship Nations Cup

AUTOMOBILISMO VIRTUAL – Igor Fraga vence 2018 FIA GT Championship Nations Cup

171
Igor Fraga vence o campeonato (Fonte: YouTube)

 

O brasileiro Igor Fraga se tornou hoje o primeiro campeão da FIA GT Championship Nations Cup, campeonato de Gran Turismo Sport (PS4) certificado pela FIA.

As finais, disputadas no Principado de Mônaco, contemplaram jogadores do mundo inteiro classificados através de regionais disputadas na Asia-Oceania, Europa/Oriente Médio/África e Américas. Os top-10 de cada região participaram de uma semifinal na sexta, 16, onde apenas 16 obtiveram acesso às quatro rodadas finais – disputadas neste domingo.

Fraga, após se classificar em primeiro na rodada semifinal (levando 10 pontos para a disputa final) na sexta-feira, venceu com facilidade a etapa de Tokyo Expressway (na primeira exibição pública do traçado, que estará disponível gratuitamente para todos os jogadores de Gran Turismo Sport no próximo mês), teve dificuldades em Interlagos e Monza, porém conseguiu uma recuperação fantástica no Circuit de la Sarthe e ficou com o título.

SEMIFINAIS (16/11/2018)

O Autódromo Lago Maggiore GP recebeu 15 competidores do Grupo A, pilotando veículos da categoria Gr. 3. Fraga venceu a etapa com mais de 8 segundos de vantagem, e garantiu sua vaga na final junto à Coque López (ESP), Jeffrey Gallan (CAN), Fabián Portilla (CHI), Tomoaki Yamanaka (JAP) e Patrik Blazsán (HUN).

O Grupo B levou os carros da categoria Gr. 3 para Dragon Trail Seaside II, onde Mikail “Lightning” Hizal (ALE), campeão da seletiva europeia, conseguiu a vaga junto com Ryota Kokubun (JAP), Shogo Yoshida (JAP), Kai Hin Jonathan Wong (HK), Yat Lam Law (HK) e Adriano “Didico” Carrazza (BRA).

A repescagem, disputada pelos 7º ao 14º piloto de cada grupo, se deu com a categoria Gr. 4 na famosa Red Bull Ring, de propriedade da marca de energéticos e costumeira etapa da Fórmula 1. Cody Nikola Latkovski (AUS), Nicolás Rubilar (CHI), Giorgio Mangano (ITA) e Adam Suswillo (GBR) ficaram com as 4 vagas restantes para a disputa de domingo.

FINAIS (18/11/2018)

A rodada final foi composta de 4 corridas, sendo que a última teria pontuação dobrada. A troca de pneus era obrigatória ao menos uma vez nas 3 primeiras corridas, sendo que a etapa final exigia o uso dos 3 compostos disponíveis.

A corrida 1 aconteceu no inédito traçado de Tokyo Expressway, dando uma sensação de “igualdade” para os pilotos, uma vez que o primeiro contato dos mesmos com a pista fora nos treinos realizados mais cedo. Utilizando a categoria N500, Igor Fraga abriu larga vantagem logo na largada e apenas administrou o uso de pneus, conduzindo sua BMW M4 ’14 à dobradinha brasileira com Carrazza. Yamanaka, Latkovski, Yoshida, Lopez, Hizal, Mangano, Portilla e Suswillo completaram o Top 10.

Carrazza defendeu seu segundo lugar até o final (Fonte: YouTube)

Mantidas as posições da corrida 1 para a largada em Interlagos, Fraga era tido como favorito para a 2ª etapa. A bordo do Jaguar F-Type Gr.3, o campeão da F3 Academy nacional liderou 8 das 9 voltas, porém sofreu com a pressão de Yamanaka e acabou cedendo a posição. Perdendo ritmo, ainda foi ultrapassado pelo espanhol López e pelo australiano Latkovski, vendo sua vantagem na tabela de pontos diminuir para apenas 3 pontos. Carrazza largou em 2º, porém teve rendimento bem abaixo do esperado e terminou apenas em 11º.

Fraga foi ultrapassado por Yamanaka no Laranjinha, e por López no Pinheirinho (Fonte: YouTube)

Os protótipos do Gr. 1 alinharam no traçado de Monza (sem a famosa chicane da reta principal) e Yamanaka forçou seu Audi R18 ’16 nas primeiras voltas, abrindo boa vantagem para os adversários. Fraga, cercado ao entrar na Variante della Roggia, tocou sua Sauber Mercedes C9 ’89 em López e acabou caindo para a 6ª posição, porém errou de estratégia com os pneus e acabou sendo o único piloto a fazer 2 paradas nos boxes, terminando a etapa com um salvador 10º lugar que lhe rendeu um ponto no campeonato. Carrazza, acertando ao deixar os pneus macios para o stint final, terminou em uma satisfatória 8ª colocação.

Carrazza até tentou, mas acabou com o 8º lugar (Fonte: YouTube)

A etapa derradeira aconteceria no enorme Circuit de la Sarthe, nivelada por cima com todos os pilotos utilizando o futurístico protótipo de Adrian Newey, o Red Bull X2014 Standard Gr. X. Yamanaka largou na pole levando uma boa vantagem de 8 pontos sobre Fraga, seguido por Latkovski e Hizal que também miravam o título. Os ponteiros calçaram os pneus macios e buscavam abrir vantagem logo no primeiro stint, porém viram Fraga fazer uma excelente corrida de recuperação com o composto duro e ganhar 6 posições em 3 voltas. Com uma estratégia inteligente, e fazendo seu pitstop antes dos adversários diretos pelo título, o brasileiro partiu para 4 voltas com o pneu médio, conseguindo uma boa aproximação do top 3 contando com uma ajuda do vácuo de Carrazza, mais veloz pelo uso dos pneus macios. Após sua última parada nos boxes, Igor era visivelmente mais veloz que Hizal e Latkovski (com pneus duros recém colocados), não tendo dificuldade para ultrapassar ambos e levar o título.

Fraga ultrapassa Hizal pouco antes da Indianapolis, e locutores portugueses vão à loucura (Fonte: YouTube)

Igor Fraga tem 20 anos e é natural de Ipatinga-MG. Neto de japoneses, iniciou sua carreira correndo de kart na Ásia, e em 2017 foi campeão da F3 Academy brasileira, além de conquistar um segundo lugar na FIA F4 NACAM neste ano. Atualmente, além de piloto de e-sports, Igor atua pela Exclusive Autosport, da USF2000 – uma das categorias de acesso da IndyCar.

Hizal, Fraga e Latkovski (Fonte: YouTube)

Kaiuã Costa

“Tifosi, um dos pacientes do dottore Rossi, tricampeão da Nascar no Playstation, maluco por WRC e em relacionamento aberto com o Mundial de Endurance” – Kaiuã é um parceiro/colunista voluntário do Tomada de Tempo e escreve sobre as mais diversas categorias de esporte a motor no Brasil e no Mundo!