Início Destaque FÓRMULA E – Debrief: E-Prix de Misano – 2024

FÓRMULA E – Debrief: E-Prix de Misano – 2024

234
(Foto: Alastair Staley/Fórmula E)
Saiba o que rolou nas duas provas da categoria em território europeu, além de uma análise sobre o desempenho das equipes no fim de semana.

A Fórmula E realizou no último final de semana (13 e 14) a rodada dupla do E-Prix de Misano, a sexta e sétima etapas do calendário 2023/2024, no Circuito Mundial Marco Simoncelli, em Rímini, na Itália.

O vencedor no sábado foi Oliver Rowland, que largou em quinto e garantiu a sua primeira vitória neste ano, seguido de Jake Dennis e de Max Günther. O ponto da volta mais rápida da disputa ficou com Rowland, com o tempo de 1:19.730s.

Na prova de ontem (14), quem levou a melhor foi Pascal Wehrlein, que conquistou a sua segunda vitória neste ano pela TAG Heuer Porsche, além do ponto extra da volta mais rápida. Atrás do alemão, finalizaram Jake Dennis e Nick Cassidy.

Importante destacar que as duas corridas próximo ao Mar Adriático proporcionaram um verdadeiro show de ultrapassagens e, assim, certas escuderias alcançaram resultados sólidos para a classificação geral da temporada.

Análise de desempenho

Abaixo, confira uma análise de desempenho das 11 escuderias do grid na rodada dupla do E-Prix de Misano, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de equipes.

Jaguar TCS Racing (128 pts)

A Jaguar terminou com apenas um carro nas duas provas no Circuito Marco Simoncelli. Na disputa de sábado, Mitch Evans largou na pole, mas não conseguiu transformar a posição privilegiada em uma finalização no top 3, e terminou na P5; o parceiro do neozelandês, Nick Cassidy não cruzou a linha de chegada, devido a uma colisão e, em seguida, a uma falha técnica terminal.

No dia seguinte, aconteceu o contrário: Cassidy pontuou, ao subir ao pódio como o terceiro colocado, mas Evans abandonou a sétima etapa da temporada também por uma falha em seu I-TYPE 6. Apesar do resultado geral não tão bom, a Jaguar TCS Racing ainda se mantém no topo da tabela de equipes, mas a diferença para a nova segunda colocada é pouca.

Andretti (112 pts)

O final de semana foi positivo para a Andretti, que acumulou uma boa quantidade de pontos no montante das duas corridas. No sábado, Jake Dennis subiu ao pódio, na P2, enquanto o companheiro do atual campeão, Norman Nato, terminou na P7, uma pontuação dupla para a escuderia americana.

No domingo, Dennis repetiu o resultado, ao concluir em segundo lugar, mas Nato não fez uma boa prova e recebeu a bandeirada final na P16. Os dois pódios de Jake e o sétimo lugar de Norman foram o suficiente para a Andretti ultrapassar a Porsche na classificação.

TAG Heuer Porsche (109 pts)

A Porsche teve um desempenho regular em Misano, apesar de cruzar a linha de chegada na P1 nas duas provas na Itália. Na primeira, António Félix da Costa largou da P13, escalou o pelotão e venceu o E-Prix, enquanto Pascal Wehrlein concluiu na P16. Apesar da P1, a notícia ruim ia chegar para Da Costa: o português foi desclassificado da corrida algumas horas depois por uma irregularidade no acelerador de seu carro.

Na etapa seguinte, a TAG Heuer Porsche respondeu a penalização com outra vitória, mas uma dentro do regulamento. Dessa vez, Wehrlein levou o troféu de primeiro lugar e, António, a P17. Ao apresentar uma performance de altos e baixos, a escuderia alemã caiu para a P3 na tabela de equipes, mas ainda permanece no páreo para brigar pela P2 com a Andretti na próxima etapa.

Nissan (100 pts)

A única escuderia japonesa do grid teve um fim de semana parcialmente bom em território italiano: no sábado, Oliver Rowland viu as luzes se apagarem da 5ª posição e passou pela bandeirada final em segundo, com Sacha Fenestraz em nono. Com a desclassificação de Da Costa, Oliver foi promovido a vencedor da corrida 1 em Misano.

O domingo foi de altos e baixos para a Nissan: enquanto Fenestraz concluiu o E-Prix em quinto lugar, Rowland abandonou, devido a um problema no software de seu 40RCE 04. Mesmo com a vitória na sexta etapa, assim como a Jaguar, a Nissan não aproveitou bem a rodada dupla inaugural na Europa.

DS PENSKE (75 pts)

O final de semana da DS foi parecido com o da Nissan: os dois pilotos marcaram pontos na corrida de sábado, com Jean-Éric Vergne em sexto e Stoffel Vandoorne em oitavo. Porém, no dia seguinte, Vergne finalizou em sétimo, mas Vandoorne não recebeu a bandeira quadriculada.

Por conta do resultado, a equipe francesa permanece na mesma posição que ocupava na tabela depois do E-Prix de Tóquio: em quinto lugar, uma estagnação que a DS PESNKE precisa vencer a partir das próximas etapas.

Maserati MSG Racing (65 pts)

A Maserati sofreu altos e baixos em Misano; na corrida 1, Max Günther conquistou o pódio, ao terminar na terceira posição, mas o parceiro de Max, Jehan Daruvala, abandonou a prova, algo que tem se tornado frequente na temporada de estreia do piloto indiano.

Na corrida de domingo, Daruvala conquistou seus primeiros pontos na Fórmula E, ao concluir em nono lugar, e se tornou o primeiro competidor nascido na Índia a realizar tal feito. No outro carro, Günther finalizou na P12, um contraste com a primeira disputa, ao não pontuar. Em resumo, o único ponto alto da Maserati no final de semana foi o pódio de Max.

NEOM McLaren (63 pts)

A McLaren apresentou um desempenho ruim em solo italiano: na prova de sábado, nenhum dos pilotos terminaram na zona de pontuação, pois Jake Hughes foi o P13 e Sam Bird abandonou a estreia do E-Prix, ao receber um toque que furou o pneu traseiro esquerdo e danificou a suspensão de seu carro.

No dia seguinte, as coisas melhoraram um pouco para a equipe britânica: Hughes largou na pole e o melhor que conseguiu foi a P8, enquanto Sam Bird também pontuou, ao receber a bandeirada final na P10. A McLaren regrediu desde o E-Prix de São Paulo, e precisa aproveitar melhor as próximas corridas para voltar a competir no grupo de dianteira.

Envision Racing (41 pts)

O final de semana em Misano foi um pesadelo para a Envision. Na disputa de sábado, nenhum dos pilotos marcaram pontos, já que Sébastien Buemi e Robin Frijns concluíram na P12 e P17, respectivamente.

No domingo, aconteceu o pior: os dois pilotos abandonaram a corrida por contato com outros pilotos. Sem dúvidas, esse foi um fim de semana para a equipe britânica esquecer.

ERT (23 pts)

A rodada dupla do E-Prix de Misano foi sensacional para a ERT, com um ótimo aproveitamento da escuderia chinesa em solo europeu, ao considerar o fraco desempenho do carro nesta temporada. Na corrida 1, Dan Ticktum fez uma proeza, ao finalizar em quarto, enquanto Sergio Sette Camara terminou na P15.

Apesar do resultado ruim na primeira parte do E-Prix, o brasileiro deu a volta por cima no domingo, ao receber a bandeirada final em sexto lugar, com Ticktum, dessa vez, fora da zona de pontos, na P14. No geral, a ERT somou pontos preciosos na Itália e foi uma das equipes que aproveitou as oportunidades no circuito de Misano.

ABT CUPRA (19 pts)

Outra escuderia que se deu bem foi a ABT CUPRA, que também conquistou pontos importantes no campeonato. Na primeira prova, o brasileiro Lucas Di Grassi garantiu a última posição do top 10, seguido de seu companheiro, Nico Müller, que concluiu na P11.

No dia seguinte, Müller foi o destaque, ao concluir em quarto, a uma colocação do pódio, enquanto Di Grassi foi o décimo primeiro. Esse foi um impulso importante para a ABT, que praticamente, precisava de um milagre para pontuar.

Mahindra Racing (0 pts)

Mais uma vez, a Mahindra concluiu um E-Prix zerada na classificação. Na prova de sábado, apenas Nyck De Vries recebeu a bandeira quadriculada, ao finalizar na P14; já Edoardo Mortara se retirou, ao sofrer problemas em seu M10 Electro.

No domingo, Mortara e De Vries finalizaram na P13 e P15, respectivamente, fora da zona de pontos. Mesmo com a oportunidade de participar de duas corridas em uma pista que facilitou muito o ganho de posições, a escuderia indiana não soube aproveitá-la, e permanece como a única equipe sem pontos marcados nesta temporada.

Top 10 do campeonato de pilotos:

1 –  Pascal Wehrlein #94 (TAG Heuer Porsche) – 89 pts;

2 – Jake Dennis #1 (Andretti) – 89 pts;

3 – Oliver Rowland #22 (Nissan) – 80 pts;

4 – Nick Cassidy #37 (Jaguar TCS Racing) – 76 pts;

5 – Max Günther #7 (Maserati MSG Racing) – 63 pts;

6 – Jean-Éric Vergne #25 (DS PESNKE) – 53 pts;

7 – Mitch Evans #9 (Jaguar TCS Racing) – 52 pts;

8 – Sam Bird #8 (NEOM McLaren) – 38 pts;

9 – Jake Hughes #5 (NEOM McLaren) – 25 pts;

10 – Norman Nato #17 (Andretti) – 23 pts.

A próxima etapa da Fórmula E será o E-Prix de Mônaco, no dia 27 de abril.