Início Destaque FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da...

FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP da Rússia – 2021

808

 11 min de leitura

(Foto: Maxim Shemetov/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Confira o que pilotos e chefes de equipe esperam da próxima etapa da temporada, dessa vez, em território eurasiático.

No próximo final de semana (24, 25 e 26 de setembro), a Fórmula 1 retorna para realizar o Grande Prêmio da Rússia, a décima quinta prova do calendário, no circuito de Sóchi, este que é dominado pela Mercedes desde a estreia da pista na categoria mais alta do automobilismo.

A disputa no Parque Olímpico de Sóchi será a corrida em casa para um dos estreantes da temporada, Nikita Mazepin, o único competidor de nacionalidade russa do grid. Por isso, Mazepin dará tudo de si para extrair algum bom resultado com o VF-21 que, nesta temporada, é o carro mais fraco do pelotão.

Abaixo, confira o que pilotos e chefes de equipe, que se manifestaram, esperam do GP no país eurasiático, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de construtores.

Mercedes (362,5 pts)

(Foto: Mercedes/Divulgação)

Lewis Hamilton #44: Não comentou.

Valtteri Bottas #77: Não comentou.

Toto Wolff (chefe da equipe): Estamos ansiosos por voltar a correr na Rússia, pois Sóchi é um circuito em que nos saímos bem ao longo dos anos e os nossos dois pilotos obtiveram excelentes resultados nele. Esperamos continuar nossa trajetória de sucesso lá, mas sabemos que este ano é totalmente diferente e esperamos outro fim de semana intenso.

Nosso objetivo é conseguir alcançar um forte desempenho, começando no FP1 e construindo uma sessão de cada vez. Lewis está na décima batalha pelo campeonato de sua carreira na F1 e está focado no que precisa entregar nas próximas oito corridas. Quanto a Valtteri, ele está pilotando melhor do que nunca, como vimos em Monza. A determinação na equipe é calma e lutar por campeonatos, é exatamente o que mais gostamos.”

Red Bull Racing (344,5 pts)

(Foto: Red Bull Racing/Divulgação)

Max Verstappen #33: Temos sido bem competitivos este ano e temos um pacote melhor para o RB16B no momento, então será interessante ver o quão competitivos podemos ser em Sóchi.

Sergio Perez #11: Ao entrar em Monza sabíamos que não era uma boa pista pra nós e foi uma pena perder o pódio, mas há muitos aspectos positivos para se tirar disso. Estamos indo para um tipo diferente de circuito agora e eu realmente espero que possamos começar forte em Sóchi na sexta-feira.

Christian Horner (chefe da equipe): Eu estava olhando os resultados do Grande Prêmio da Rússia e, em 2018, Max foi do último ao primeiro antes de precisar fazer seu pit-stop. Ficamos em segundo lugar no ano passado, mas é um circuito em que nunca vencemos. Sempre foi um reduto da Mercedes.
Para mim, marquei mentalmente Monza e Sóchi como circuitos Mercedes, por isso será um desafio. Também temos a penalidade de grid para o Max, mas em Sóchi não é uma desvantagem devido à força que o vácuo adiciona ao carro de trás. Estou ansioso para ver como vamos progredir lá.

Mclaren (215 pts)

(Foto: Mclaren F1 Team/Divulgação)

Lando Norris #4: Rumo à Rússia, a batalha pelo terceiro lugar no campeonato de construtores ainda é acirrada e parece que deve continuar assim até a última corrida deste ano. Espero que possamos manter o ímpeto vindo da Itália e marcar alguns pontos sólidos para a equipe nesse final de semana.

Daniel Ricciardo #3: Agora é hora de focar no GP da Rússia. Quero repetir o forte desempenho que tive em Monza e vou me esforçar para marcar pontos importantes para manter a luta com nossos concorrentes. Sóchi pode ser um circuito complicado para se percorrer, por isso é importante aproveitar ao máximo a qualificação para nos dar uma melhor chance de pontuarmos na corrida.

Andreas Seidl (chefe da equipe): Depois da pausa de uma semana, a equipe está preparada e pronta para a Rússia. O circuito de Sóchi é dominado por duas longas retas, resultando em uma alta sensibilidade de potência, no entanto, a pista apresenta oportunidades limitadas de ultrapassagem. Sem dúvidas, é fundamental que maximizemos nossos resultados na qualificação para dar a ambos os carros a melhor chance possível de lutar por posições mais altas no domingo.

Ferrari (201,5 pts)

(Foto: Scuderia Ferrari/Divulgação)

Charles Leclerc #16: Não comentou.

Carlos Sainz #55: Não comentou.

Mattia Binotto (chefe da equipe): Não comentou.

Alpine (95 pts)

(Foto: Alpine F1 Team/Divulgação)

Fernando Alonso #14: Corri em Sóchi cinco vezes antes e será bom voltar para lá neste fim de semana. No passado, eu não tive um bom sábado lá, mas na corrida eu consegui subir algumas posições. Então, vamos ver se conseguimos juntar tudo este ano. Precisamos continuar marcando finalizações com pontos duplos, como fizemos na Itália, e aproveitar as oportunidades que surgirem.

Já se passou a maior parte da temporada, mas estou gostando muito de estar de volta às corridas. Os carros são ótimos para pilotar e o clima de equipe que estamos construindo é muito positivo. Temos esperanças para o próximo ano, mas precisamos aproveitar o resto deste e vou continuar lutando para tirar o melhor de mim e do A521.

Esteban Ocon #31: Sochi é uma boa pista para correr. Tem algumas combinações de curvas interessantes e um fluxo decente. A maior parte do circuito é de velocidade média e o principal desafio vem no final da volta, quando a velocidade é mais lenta e os pneus traseiros tendem a superaquecer.

“Existem oportunidades de ultrapassagem na Curva 2 após a longa reta, e o objetivo é estar no mix para aproveitar todas as chances. A atmosfera na Rússia é sempre boa de se experimentar e estou ansioso para ver os fãs lá este ano. Aproveitei meu aniversário de 25 anos na semana passada, então voltar para casa com uma sacola cheia de pontos será o melhor presente atrasado.

Marcin Budkowski (diretor executivo da equipe): Acreditamos que Sóchi é um circuito que deve nos permitir retornar a um nível de competitividade melhor do que Monza, onde sabíamos que não era um traçado adequado às características do nosso carro

Ambos os pilotos estão conseguindo marcar pontos de forma consistente. Fernando e Esteban são a dupla mais próxima no grid este ano, o que demonstra o quão forte nossa formação é no momento. Eles estão trabalhando bem juntos e estamos gostando de suas capacidades de motivar um ao outro e a equipe.

AlphaTauri (84 pts)

(Foto: Scuderia AlphaTauri/Divulgação)

Pierre Gasly #10: Depois de Monza, seguimos para Sóchi, onde, no ano passado, cheguei à Q3 e terminei entre os 10 primeiros. Gosto bastante da pista, mesmo que o layout tenha curvas muito semelhantes umas às outras. O último setor é bastante técnico, as longas retas significam boas disputas e movimentos de ultrapassagem.

“O fato de o circuito estar no Parque Olímpico confere a ele uma atmosfera especial de esportes e o autódromo evoluiu ao longo dos anos. Lembro-me da primeira vez que fui com a Fórmula 2, não havia muita coisa acontecendo, mas agora há um bom ambiente lá.”

Yuki Tsunoda #22: Depois do GP da Itália, em Monza, passei a maior parte do tempo na fábrica, além de alguns dias no simulador e, agora, estou pronto para a corrida na Rússia. Em Sóchi, a maioria das curvas são de 90 graus e muito semelhantes entre si, então você precisa ter uma boa técnica para passar por elas. É necessário um carro que tenha boa tração na saída da curva para ter velocidade suficiente nas retas que as sucedem.

Corri em Sóchi na Fórmula 3 e na Fórmula 2 ano passado. Tenho boas lembranças disso. Consegui a pole position e terminei em segundo na corrida de destaque. Vou continuar com minha abordagem passo a passo, aprendendo, aos poucos, tudo sobre a pista e como o carro está funcionando.

Parece uma pista normal mas, na verdade, é mais um circuito de cidade-rua, então a evolução do traçado é enorme no fim de semana e o efeito na asa frontal é bem grande. Estou confiante de que posso ir bem lá e continuar a progredir durante o fim de semana.”

Aston Martin (59 pts)

(Foto: Aston Martin/Divulgação)

Lance Stroll #18: Estamos preparados para lutar por pontos na Rússia. É uma pista única: larga, rápida e bastante técnica, por isso é preciso encontrar um ritmo. A canhota longa da curva 3 é um verdadeiro destaque, especialmente no início da corrida. Sóchi realmente testa o equilíbrio do seu carro, por isso é importante se sentir confortável imediatamente para que você possa aproveitar esse impulso ao longo do final de semana.

Sebastian Vettel #5: Sóchi é quase o oposto de Monza: muitas curvas e um desafio constante. Existem algumas seções de alta velocidade e uma grande reta principal, mas as curvas lentas e técnicas significam que você precisa de uma boa configuração do carro se for para se sentir confortável ao longo do fim de semana. Vamos tentar maximizar cada volta na pista e depois lutar por pontos no domingo.

Otmar Szafnauer (chefe da equipe): Não comentou.

Williams (22 pts)

(Foto: Williams Racing/Divulgação)

George Russell #63: Estou pronto para voltar a correr na Rússia. É uma pista exigente e com seções complicadas e algumas curvas rápidas que a tornam um desafio. O Parque Olímpico de Sóchi também é um local único para correr: passar por alguns dos locais das Olimpíadas de Inverno cria um cenário espetacular. Após alguns bons resultados nas últimas provas, vamos trabalhar muito para nos manter com esse ímpeto competitivo.

Nicholas Latifi #6: O autódromo russo é interessante, já que costuma gerar uma vibe de circuito de rua. Tem trechos semelhantes, por isso é muito importante ajustar o acerto do carro para se adequar à série de curvas de 90 graus que podem dificultar o ritmo. O último setor também é muito técnico, então você pode ganhar ou perder muito tempo nele.

“Tivemos algumas corridas fortes recentemente, por isso vou tentar manter o ímpeto positivo e aproveitar o máximo das oportunidades que se apresentarem em Sóchi nesse fim de semana.

Alfa Romeo Racing (3 pts)

(Foto: Alfa Romeo Racing/Divulgação)

Kimi Raikkonen #7: Não comentou.

Antonio Giovinazzi #99: Não comentou.

Frédéric Vasseur (chefe da equipe): Não comentou.

Haas (0 pts)

(Foto: Haas F1 Team/Divulgação)

Mick Schumacher #47: Estou animado para conhecer novas pistas e Sóchi parece ser uma interessante. Acho que é um traçado bastante simples, tem muitas curvas de 90 graus, mas obviamente, se você não for bom nisso, pode ser assustador. Se você for bom, está tudo bem.

É legal ver o estádio das Olimpíadas de Inverno e tudo estando bem perto. Há muitos eventos esportivos naquele local e, obviamente, o turismo é forte lá. Não cheguei a ver muito mais além da pista, mas parece ser um lugar interessante.

Nikita Mazepin #9: Em primeiro lugar, estou ansioso por esse final de semana. Já estive em Sóchi algumas vezes, fui lá para o primeiro Grande Prêmio russo da história, em 2014. Naquela época, a Rússia tinha um significado muito diferente para mim. Não corri pelo meu país e não estava nem na Fórmula 3 naquele tempo. Obviamente, ter conseguido seis anos depois significa muito para mim. Sou um dos pilotos sortudos que tem uma corrida em casa e estou ansioso para experimentá-la.

Em minha carreira no automobilismo, já subi duas vezes no pódio em Sóchi e também já conquistei a pole lá. É um circuito que realmente gosto de pilotar. Há uma longa reta com DRS, e nas categorias juniores eu fiz algumas ultrapassagens muito boas nela. É sempre bom estar no pódio em qualquer corrida, e se for o seu GP em casa, é ainda melhor.

Guenther Steiner (chefe da equipe): Acho que a Rússia é sempre uma corrida interessante. É completamente diferente de todas as outras provas na minha opinião. As pessoas são bem receptivas, há um clima bom lá e os organizadores sempre fazem um bom trabalho com isso. Sóchi é um ótimo lugar para ir, especialmente com um piloto russo e, com sorte, teremos muitos fãs torcendo por nós.

Eu vi a programação que Nikita [Mazepin] tem pela frente e o que ele tem que fazer. Por conta da atenção que ele recebe na Rússia, será um fim de semana bastante exigente para ele, mas espero que muitas pessoas o apoiem. Obviamente, ele não está competindo pelo campeonato como Max no momento, então a multidão pode não ser tão grande para ele, mas tenho certeza de que ele tem muitos fãs lá. Além disso, estou interessado em saber até onde podemos levar a Fórmula 1 na Rússia.”

NOVIDADES PARA O GP

Max Verstappen (Foto: Red Bull Racing/Divulgação)

Ao ter sido considerado culpado pelo acidente com Lewis Hamilton em Monza, Max Verstappen foi punido pelos comissários da FIA e irá cumprir a penalidade de -3 posições no grid de largada. Assim, após o término da qualificação no sábado, Max perderá 3 colocações para a corrida, no dia seguinte.

(Foto: Scuderia Ferrari/Divulgação)

Neste fim de semana, a Ferrari introduzirá um novo sistema híbrido no SF-21 de Charles Leclerc. Segundo o chefe da equipe italiana, Mattia Binotto, essa atualização na unidade de potência faz parte de uma experimentação a ser estudada para o desenvolvimento do carro de 2022. Devido a troca de componentes do motor, Leclerc será penalizado e largará na última fila do grid.

Cricuito de Sóchi (Imagem: Fórmula 1/Divulgação)

O circuito de Sóchi possui 5.848 km de extensão, recebe GPs da Fórmula 1 desde 2014 e a corrida terá um total de 53 voltas. O recorde de volta mais rápida no traçado pertence a Lewis Hamilton, que cravou o tempo de 1:35.761, durante a temporada 2019.

Essa pista é caracterizada por possuir trechos predominantes de baixa e média velocidade, várias curvas com ângulos de 90° e poucas áreas abertas, já que, assim como em Baku e Mônaco, é cercada de paredes. Apesar de oferecer duas zonas de abertura da asa móvel (DRS), as ultrapassagens nesse traçado são difíceis e pouco frequentes.

Diferente de Monza, Zandvoort, Paul Ricard e outros circuitos, largar na pole em Sóchi não é vantajoso: a reta principal é longa e, por isso, fazer uma ultrapassagem ao pegar carona no vácuo do carro à frente é mais fácil.

O favorito à vitória nesse final de semana é Lewis Hamilton, este que venceu 4 das 7 edições do GP russo realizadas até o momento. Apesar disso, o britânico terá que segurar Max Verstappen na disputa de domingo, para reassumir o lugar mais alto na classificação de pilotos, atualmente ocupado pelo holandês, este que está 5 pontos à frente de Hamilton.

Transmissão no Brasil

A corrida acontecerá no próximo domingo, dia 26 de setembro, às 9h (horário de Brasília), e será transmitida ao vivo pela Rede Bandeirantes de Televisão.

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa de cada equipe.

Artigo anteriorFÓRMULA INDY – Resultado Final – Laguna Seca – 2021
Próximo artigoFÓRMULA 1 – Programação, horários e transmissão – GP da Rússia (Sochi) – 2021