Início Destaque NASCAR – Truex Jr. repete 2018 e vence no misto de Sonoma...

NASCAR – Truex Jr. repete 2018 e vence no misto de Sonoma – 2019

117
NASCAR virando para a direita, não se vê muitas vezes. Créditos : Sean Gardner | Getty Images (nascar.com)

Salve salve fãs da Nascar ! Sabemos que a essência da NASCAR são os circuitos ovais, de todos os tamanhos, e por isso mesmo, é interessante e divertido ver essas “naves” nos raros momentos que viram algumas curvas para a direita.

Então chegamos ao misto de Sonoma, conhecida como a terra do vinho e que abriga uma etapa do calendário da NASCAR desde 1989. Apesar de ser um circuito misto, o sistema é o mesmo, ou seja, três segmentos, o último valendo a vitória. No grid, 38 carros alinhados, e na pole, o inconstante Kyle Larson e ao lado dele, a promessa veloz de 21 anos, que ainda não venceu na Cup, William Byron, ambos de Chevrolet.

Para mim, surpreendeu a largada limpa, sem incidentes, mas não me surpreendeu que Byron pulou na frente e em poucas voltas abriu vantagem. Enquanto isso, o pole Larson a cada volta ia perdendo terreno.

Quem conseguiu pressionar a P1 do tradicional carro #24 foi Chase Elliott. Pois é, nesse ponto da corrida tínhamos na P1 um jovem de 21 anos e na P2 outro de 23 anos. Acho ótimo ver a moçada dando trabalho para os veteranos da categoria. Mas, realmente experiência conta muito, e o “pulo do gato” veio na estratégia de pits.

Faltando poucas voltas para o fim do primeiro segmento, vários pilotos abriram mão dos pontos para os Top10 e foram para os pits para a troca de pneus e reabastecimento. Com isso, Byron venceu este estágio da corrida, seguido por Denny Hamlin e Joey Logano.

Então na bandeira amarela regulamentar, que acontece entre os segmentos, quem ficou na pista pegando alguns pontos, foi para os boxes, e quem fez a troca faltando poucas voltas, pulou para a frente. Estava dada a dica para quem pensava em brigar pela vitória na parte final da corrida.

Iniciado o segundo segmento, Truex Jr. tomou a ponta e mostrou que a vitória do ano passado não foi por acaso. E firme na liderança, faltando poucas voltas para o fim desse estágio, ele e vários outros pilotos repetiram a dose e foram para os pits, incluindo o amado e odiado Kyle Busch, que já aparecia na briga.

Ficaram na pista e fecharam o segundo segmento, Denny Hamlin, Brad Keselowski e William Byron, nessa ordem. Bandeira amarela regulamentar e lá foram os remanescentes para os boxes. Keselowski andou atrás na corrida o tempo todo e justificava a busca pelos pontos de segmento, mas Hamlin e Byron tinham ritmo para brigar pela vitória e ao permanecerem na pista, praticamente abriram mão de vencer a corrida. No caso de Byron, fica ainda mais difícil entender, tendo em vista que seu chefe de equipe é Chad Knaus, que trabalhou com o heptacampeão Jimmie Johnson por 17 anos.

Ultrapassada a rodada de pits, grid formado para o início do terceiro e último segmento. E na P1 estava Martin Truex Jr., enquanto isso, Denny Hamlin estava na P23 e William Byron, que liderou a corrida por 21 voltas, na P24.

Nessa altura, alguém pode estar se perguntando: e as bandeiras amarelas durante a prova? Nada, nenhuma. Num oval, qualquer risco é corretamente interrompido por uma bandeira amarela. No misto, com boas áreas de escape, isso mudou. Foram vários incidentes e rodadas, pilotos como Aric Almirola, Paul Menard, Ryan Prece e Michael McDowell se atrapalharam. Aliás, este último mostrou muita dificuldade em sair de um oval, pois aprontou mais de uma vez.

Iniciado o terceiro segmento, Truex Jr. rapidamente mostrou que a vitória já tinha dono e seria um BI de Sonoma (2018/2019). Kyle Busch ainda se esforçou e exerceu alguma pressão no final da corrida, mas Truex Jr. negociou bem com os retardatários, suportou a pressão e foi para o pódio tomar uma bela taça de vinho. Quarta vitória na temporada, se igualando ao próprio Kyle Busch que chegou na P2. Martin Truex Jr. é craque, seria muito bom vê-lo em outras categorias e de olho nele nos playoffs.

Truex Jr. leva o troféu e o vinho. Créditos : Jonathan Ferrey | Getty Images (nascar.com)

Destaques finais. Simplesmente sensacional a colocação do ítalo-americano Matt DiBenedetto. A P4 alcançada é a melhor colocação de sua carreira e devemos lembrar que a “Leavine Family Racing” é uma equipe modesta. Dêem um carro bom para esse rapaz em 2020. Outro que merece a citação é o “Rocket man” Ryan Newman. Vindo lá de trás, chegou numa boa P7, que o mantém na briga por uma das 16 vagas dos playoffs.

E os outros pilotos favoritos dessa coluna? O heptacampeão Jimmie Johnson e seu #48 seguem num incômodo jejum de vitórias e está suando para ficar no Top16 que vão aos playoffs. E o “rockeiro gente boa” Bubba Wallace? Bem, estou começando a achar que é melhor curtirmos ele tocando sua bateria. Torço muito para que queime a minha língua.

https://www.instagram.com/p/BhKdDVjl9D-/?igshid=1mnoaxwyifj4a

Segue a tabela com os 30 primeiros em busca das 16 vagas dos playoffs. Faltam 10 etapas para definirem quem estará entre os 16 que lutam pelo título. O atual campeão Joey Logano segue na ponta e para mim, do 12º Clint Bowyer até o 18º Erik Jones, é “briga de foice no escuro”.

A NASCAR volta no próximo fim de semana com suas três categorias (Truck Series, Xfinity e Monster Cup) no “Chicagoland Speedway”. Até lá e viva a NASCAR!

E como diria Kal-El: “Para o alto e avante !!”

MELHORES MOMENTOS

SIGA A GENTE