Início Destaque FÓRMULA 1 – Vitória de Hamilton e outros destaques do GP da...

FÓRMULA 1 – Vitória de Hamilton e outros destaques do GP da Grã-Bretanha – 2024

304
(Foto: Sam Bagnall/Mercedes-Benz Group AG)
Corrida sob clima dinâmico mostrou excelente performance da Mercedes, falta de ritmo da Ferrari, bom resultado da Haas e Aston Martin, e finalização vergonhosa de Perez.

A Fórmula 1 realizou neste domingo (07) o Grande Prêmio da Grã-Bretanha, a décima segunda etapa da temporada 2024 da categoria, que aconteceu no icônico Circuito de Silverstone, na Inglaterra.

O vencedor do GP foi Lewis Hamilton, que largou em segundo, assumiu a ponta do pole sitter George Russell na volta 18/52, perdeu a liderança para Lando Norris ao cair uma chuva leve, retomou a P1 ao faltarem 12 voltas para o fim e levou a posição privilegiada até o final, seguido de Max Verstappen e de Norris.

O parceiro de equipe de Lewis, Russell, abandonou a prova na volta 34/52 por conta de superaquecimento na unidade de potência de seu W15, que ocorreu devido a uma falha no sistema de arrefecimento do carro.

O Piloto do Dia, eleito na votação oficial da Fórmula 1, foi Hamilton, enquanto Carlos Sainz garantiu o ponto extra da volta mais rápida, ao cravar o melhor tempo de 1:28.293s.

Curiosamente, na 75ª edição do Grande Prêmio na Inglaterra, Lewis Hamilton encerrou um jejum de vitórias que durou mais de dois anos; o último triunfo do heptacampeão na Fórmula 1 foi no GP da Arábia Saudita de 2021, que foi a penúltima etapa da temporada mencionada.

Além disso, em sua nona P1 em Silverstone, Hamilton bateu mais um recorde de Michael Schumacher: o de vitórias em um mesmo circuito.

Outro fato curioso sobre a competição em Silverstone foi o grid de largada: três pilotos da casa/britânicos completaram o top 3 inicial: George Russell (P1), Lewis Hamilton (P2) e Lando Norris (P3).

Análise de desempenho
Red Bull Racing

Mas uma vez, essa não foi a corrida da Red Bull, já que apenas Max Verstappen finalizou na zona de pontuação após a bandeirada final, dada pelo lendário guitarrista da banda Queen, Brian May. Depois de largar em quarto lugar, o atual tricampeão se viu em dificuldades para ultrapassar os líderes durante boa parte da disputa, e o melhor que conseguiu foi a P2.

No outro carro da RBR, Sergio Perez mostrou seu pior desempenho em um final de semana de corrida da temporada até o momento, que começou desde o classificatório. O mexicano foi eliminado na primeira fase (Q1), depois de perder o controle de seu RB20 na curva 1 (Copse) e girar em direção à brita, onde ficou preso e gerou uma bandeira vermelha.

Perez largou do pit lane, por conta de uma troca de componentes da unidade de potência que a RBR (ao aproveitar a posição inicial de Sergio em penúltimo) decidiu fazer. No GP, o automobilista de 34 anos não apresentou um bom ritmo para ganhar posições e se aproximar dos dez primeiros colocados. Assim, Perez tomou duas voltas dos líderes e cruzou a linha de chegada na P17. A finalização desconcertante de Sergio gerou a perda da P5 no Campeonato de Construtores.

McLaren

Em seu GP em casa, a McLaren mostrou que seus carros continuam rápidos para brigar pelo ponto mais alto do pódio. Apesar da classificação na P3 e P5, de forma respectiva, Lando Norris e Oscar Piastri pressionaram de perto os pilotos da Mercedes e mantiveram o RB20 de Max Verstappen atrás por um bom tempo, além de assumirem a ponta no cair da chuva algumas voltas depois do apagar das luzes.

Na volta 40/52, ao passar um pouco do slot de parada, Norris perdeu tempo na troca de pneus Intermediários (I) para compostos Macios (S). Consequentemente, o britânico também viu a liderança e (mais para frente) o segundo lugar escorregarem de suas mãos de forma definitiva. Ao receber a bandeira quadriculada, Lando terminou em terceiro, com Piastri logo atrás, na P4, resultado que possibilitou o parceiro de equipe de Norris assumir a P5 de Sergio Perez na tabela de pilotos.

Ferrari

A finalização do GP da Grã-Bretanha foi o segundo pior resultado da Ferrari deste ano, depois do abandono duplo no Canadá. A escuderia com sede em Maranello viu Carlos Sainz e Charles Leclerc largarem na P7 e na P11, respectivamente, após uma qualificação desafiadora em pista parcialmente molhada, mas o domingo foi um contraste de emoções.

Nos minutos iniciais da prova, os dois pilotos da lendária equipe do cavalo empinado ganharam posições e, de repente, ambos estavam no top 7. Porém, no decorrer do GP, Leclerc, além de fazer uma parada tardia que o fez despencar no grid, não conseguiu aumentar o ritmo o suficiente para alcançar a zona de pontos. e, no fim, levou o 14º lugar.

Por sua vez, Sainz subiu dois degraus em relação a de onde viu as luzes se apagarem, concluiu na P5 e foi a salvação da Ferrari em Silverstone. Sem dúvidas, assim como Sergio Perez, a corrida em solo britânico foi decepcionante para Charles, que também tomou volta dos doze primeiros.

Haas

Mais uma vez nesta temporada, Nico Hulkenberg não só salvou a Haas, mas colocou a equipe americana em uma posição final louvável. Depois de se classificar bem, na P6, o alemão de 36 anos mostrou um constante bom desempenho na disputa deste domingo e, praticamente, segurou a P6 até a linha de chegada. Essa foi a quinta finalização de Hulkenberg no top 10 nos cinco GPs em que a Haas marcou pontos até agora.

No outro carro da escuderia de Gene Haas, Kevin Magnussen, que não passou do Q1 na qualificação de sábado e largou na P17, progrediu e avançou durante a corrida, mas o dinamarquês teve que se contentar com a P12 que conquistou. No geral, a Haas apresentou uma boa performance na Inglaterra e, agora, está apenas quatro pontos atrás da Visa Cash App RB.

Aston Martin

Chefiada por Mike Krack, a Aston Martin somou pontos positivos diante de seus fãs conterrâneos, com seus dois carros na zona de pontuação. A segunda parte do fim de semana foi satisfatória: a equipe britânica viu Lance Stroll e Fernando Alonso largarem da oitava e décima posições de modo respectivo.

No GP, apesar de um clima que mudava bruscamente em pouco tempo, os dois competidores da Aston Martin se mantiveram na briga pelo top 10 e concluíram a décima segunda etapa do calendário na P7 (Stroll) e na P8 (Alonso). Esta foi a segunda vez que Lance finalizou na frente de Fernando nas oito ocasiões que a escuderia britânica pontuou nesta temporada.

Williams

Assim como para as suas equipes conterrâneas McLaren e a Aston Martin, a corrida em casa para a Williams foi motivo de comemoração, por gerar poucos mas preciosos pontos no Campeonato de Construtores.

Depois de saírem da P9 e da P12, respectivamente, Alex Albon e Logan Sargeant não retrocederam durante a competição, ao se manterem firmes no páreo do pelotão intermediário. Ao completar a volta 52 de 52, Albon garantiu a P9, enquanto Sargeant ficou a um degrau de pontuar pela primeira vez neste ano; isso indica como o competidor americano está próximo de sair do zero na classificação de pilotos.

Visa Cash App RB

Ao levar um único ponto para casa, a Racing Bulls deixou a Inglaterra com apenas um de seus pilotos no top 10. Tanto Yuki Tsunoda quanto Daniel Ricciardo alcançaram o Q2 no classificatório, e se classificaram, de modo respectivo, na P13 e na P15.

No final da competição em solo britânico, Yuki subiu três degraus e cruzou a linha de chegada em décimo lugar. No outro VCARB01 da escuderia satélite da Red Bull, o melhor que o companheiro do japonês conseguiu no fim foi ganhar duas colocações.

O resultado da Visa Cash App RB na Grã-Bretanha a deixou vulnerável para a Haas, que pode ultrapassar a equipe italiana no Campeonato de Construtores antes das férias de verão, caso não melhore sua performance e se a rival for bem na próxima etapa.

Equipes que não pontuaram no GP

As escuderias que saíram zeradas do Grande Prêmio da Áustria foram a Kick Sauber e a Alpine. Enquanto para a primeira mencionada foi uma prova dentro normal desde a etapa de abertura no Bahrein, para a Alpine foi uma corrida dolorosa.

Pierre Gasly, que recebeu uma penalidade de -50 posições no grid inicial (por trocar por completo a unidade de potência de seu A524 pela quinta vez), começou o GP em último, mas abandonou logo após a volta de apresentação, antes da largada, por problemas na caixa de câmbio. No outro carro da escuderia francesa, Esteban Ocon não alegrou o dia da Alpine, ao receber a bandeirada final em décimo sexto.

Top 10 do Campeonato de Pilotos:

1 – Max Verstappen #1 (Red Bull Racing Racing) – 255 pts

2 – Lando Norris #4 (McLaren) – 171 pts

3 – Charles Leclerc #16 (Scuderia Ferrari HP) – 150 pts

4 – Carlos Sainz #55 (Scuderia Ferrari HP) – 146 pts

5 – Oscar Piastri #81 (McLaren) – 124 pts

6 – Sergio Perez #11 (Red Bull Racing) – 118 pts

7 – George Russell #63 (Mercedes-AMG F1) – 111 pts

8 – Lewis Hamilton #44 (Mercedes-AMG F1) – 110 pts

9 – Fernando Alonso #14 (Aston Martin Aramco) – 45 pts

10 – Lance Stroll #18 (Aston Martin Aramco) – 23 pts

Campeonato de Construtores:

1 – Red Bull Racing Racing – 373 pts

2 – Scuderia Ferrari HP – 302 pts

3 – McLaren – 295 pts

4 – Mercedes-AMG F1 – 221 pts

5 – Aston Martin Aramco – 68 pts

6 – Visa Cash App RB – 31 pts

7 – Haas F1 Team – 27 pts

8 – Alpine F1 Team – 9 pts

9 – Williams Racing – 4 pts

10 – Kick Sauber – 0 pts

A próxima etapa da temporada 2024 da Fórmula 1 será o Grande Prêmio da Hungria, no dia 21 de julho.