Início Destaque FÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Portland – 2024

FÓRMULA E – Aquecimento para o E-Prix de Portland – 2024

221
(Foto: Sam Bloxham/LAT Images/Formula E)
Saiba as principais informações do E-Prix, como os detalhes do circuito, as expectativas dos pilotos brasileiros e o que esperar da penúltima prova da temporada.

A Fórmula E retorna às pistas nesse final de semana (29 e 30) para realizar a rodada dupla do E-Prix de Portland, a décima terceira e décima quarta etapas do campeonato 2023/2024 que acontecerá no Circuito Internacional de Portland, no estado de Oregon, a noroeste dos Estados Unidos.

A cidade de Portland recebeu a categoria elétrica da FIA pela primeira vez ano passado, ao ser a única competição nos Estados Unidos da programação e praticamente substituir Nova Iorque, que não figurou no itinerário da F-E na campanha 2022/2023. Dessa vez, de forma inédita, o E-Prix de Portland será no formato de duas corridas no mesmo fim de semana.

Essa será a disputa em casa para a Andretti, que terá apoio de grande parte da torcida. A escuderia americana se encontra fora da briga pelo título no Campeonato de Equipes e precisa usar o apoio de seus fãs conterrâneos para alcançar um resultado que possibilite terminar entre as três melhores escuderias do grid, já que Portland é também a penúltima etapa da temporada, antes da grande final em Londres.

Layout do circuito americano
Circuito Internacional de Portland (Imagem: Fórmula E/Divulgação)

O Circuito Internacional de Portland possui 3.190 km de extensão, 12 curvas (8-D e 4-E), fluxo no sentido horário e trechos predominantes de alta velocidade, com apenas três seções de baixa. A prova terá 28 voltas, o equivalente a uma distância de 89.320 km.

O gerenciamento de energia será o principal desafio para os pilotos, já que o traçado americano oferece poucas zonas de frenagem, vários trechos de média velocidade e duas retas longas. Por outro lado, devido a superfície de asfalto, o desgaste de pneus será uma preocupação a menos para os competidores.

Diferente dos outros locais de prova americanos que recebem a Fórmula E, esse traçado não é urbano, mas permanente, e costuma receber corridas de classes nacionais americanas, como a IndyCar (Fórmula Indy) e a NASCAR Xfinity Series.

Na edição anterior do E-Prix americano, ocorreram 403 ultrapassagens e, assim, Portland se tornou uma das pistas que mais geram troca de posições entre os pilotos. O Modo Ataque ficará localizado no canto da curva 7, uma área que precede um longo trecho rápido que pode ser o principal ponto de ativação do impulso extra durante a corrida.

Vale lembrar que em 2022/2023, o Circuito Internacional de Portland também possibilitou a quebra do recorde de velocidade máxima na história da F-E, com Sam Bird. O britânico da NEOM McLaren ultrapassou a marca dos 275 km/h.

Expectativas dos pilotos brasileiros
Lucas Di Grassi (Foto: Sam Bagnall/LAT Images)

Lucas Di Grassi #11 (ABT CUPRA): Nós temos em Portland a reta mais longa e a maior velocidade máxima do calendário da Fórmula E, e o vácuo pode proporcionar até um segundo por volta. Podemos esperar duas corridas nas quais a gestão de energia será importante, e acredito que os pilotos vão optar por diferentes estratégias.

Sem dúvidas, consequentemente, vamos ter muita agitação, ultrapassagens e alternativas disponíveis durante toda a prova. O objetivo é passar por tudo isso e marcar o máximo de pontos possível.”

Situação no campeonato: P24 – 2 pontos.

Sergio Sette Camara (Foto: Simon Galloway)

Sergio Sette Camara #3 (ERT): Não comentou até o momento.

Situação no campeonato: P18 – 11 pontos.

Notícia de última hora
Caio Collet (Foto: Divulgação)

Devido a problemas de saúde, o piloto da Nissan Oliver Rowland não participará das duas etapas em Portland neste fim de semana e, por conta disso, fica oficialmente fora da briga pelo título desta temporada. Como uma solução lógica, a equipe japonesa convocou o piloto reserva, Caio Collet, para substituir o britânico. O brasileiro de 22 anos já guiou o Gen3 de Fórmula E no Treino Livre de Novatos em Misano e no Teste de Novatos em Berlim.

Collet comentou sobre a oportunidade de correr em uma etapa dupla da F-E pela primeira vez. “Em primeiro lugar, desejo uma rápida recuperação para Oliver Rowland. Não é desta maneira que eu esperava ter a oportunidade de fazer meu primeiro E-Prix, mas como piloto reserva tenho que estar preparado para chamados em cima da hora como este.

Já acompanhei corridas da Fórmula E no box da equipe Nissan e tive quilometragem nos testes. Agradeço à confiança da Nissan no meu trabalho até aqui e estou pronto para estrear e ajudar o time dando o meu melhor neste final de semana.”

O que esperar do E-Prix nos Estados Unidos
(Foto: Simon Galloway)

Ano passado, a etapa única em Oregon gerou uma corrida acirrada entre os competidores, principalmente entre os líderes, e apenas uma interrupção por Safety Car, nas voltas iniciais. Ao garantir a pole na prova em casa para a Andretti, Jake Dennis foi deixado para trás por Nick Cassidy (na época piloto da Envision Racing) e foi acompanhado de perto pelo competidor da TAG Heuer Porsche, António Félix da Costa.

No final, quem levou a melhor foi Cassidy, que largou da décima colocação, alcançou a liderança, segurou Dennis nas voltas finais e se tornou o primeiro vencedor do E-Prix de Portland da história da categoria elétrica. Logo atrás de Nick, concluíram Jake e Da Costa, com o ponto extra da volta mais rápida conquistado por Mitch Evans, da Jaguar TCS Racing.

Nesta temporada, as duas disputas em território americano prometem ser não só competitivas, mas emocionantes, e oferecerão um verdadeiro show no Circuito Internacional de Portland, como ocorreu anteriormente.

Situação dos campeonatos

Neste ano, pouca coisa mudou em relação a estreia do E-Prix em 2023, já que a equipe dominante desde o início deste ano é a Jaguar, com Cassidy na liderança da briga pelo título. Com uma diferença de 25 pontos sobre o segundo colocado no Campeonato de Pilotos, Pascal Wehrlein, Nick pode levantar o caneco neste final de semana, caso o alemão da TAG Heuer Porsche não pontue na 13ª etapa.

Apesar da possibilidade de se tornar o mais novo campeão no sábado, Cassidy ainda tem outros adversários além de Pascal que podem alcançá-lo na classificação geral: o parceiro de equipe do britânico na Jaguar, Mitch Evans, e Oliver Rowland, que se encontram na P3 e P4 na tabela, respectivamente.

Importante destacar que, caso Evans suba no ponto mais alto do pódio em alguma das duas competições em Oregon, o neozelandês igualará o recorde de Sébastien Buemi e do brasileiro Lucas Di Grassi, quanto ao número de vitórias conquistadas na Fórmula E: um total de 13.

Em relação ao Campeonato de Equipes, a Jaguar TCS Racing está ainda mais confortável e, praticamente, com uma das mãos no troféu de campeã. A vantagem da marca britânica é de 73 pontos sobre a vice-líder, TAG Heuer Porsche, que soma 226 pontos. Em terceiro lugar na tabela, a Nissan segue distante da briga pelo título entre as escuderias, ao ocupar a P3, com apenas 157 pontos marcados até o momento.

Top 10 do campeonato de pilotos:

1 – Nick Cassidy #37 (Jaguar TCS Racing) – 167 pts;

2 – Pascal Wehrlein #94 (TAG Heuer Porsche) – 142 pts;

3 – Mitch Evans #9 (Jaguar TCS Racing) – 132 pts;

4 – Oliver Rowland #22 (Nissan) – 131 pts;

5 – Jake Dennis #1 (Andretti) – 113 pts;

6 – Jean-Éric Vergne #25 (DS PESNKE) – 101 pts;

7 – António Félix da Costa #13 (TAG Heuer Porsche) – 84 pts;

8 – Max Günther #7 (Maserati MSG Racing) – 69 pts;

9 – Stoffel Vandoorne #2 (DS PENSKE) – 53 pts;

10 – Jake Hughes #5 (NEOM McLaren) – 46 pts.

Transmissão no Brasil

O canal BandSports transmitirá a rodada dupla do E-Prix de Portland de Fórmula E ao vivo no sábado e no domingo, a partir de 18h, de acordo com o horário de Brasília. PROGRAMAÇÃO COMPLETA e links de TRANSMISSÃO aqui!