Início WEC 24 Horas Le Mans 2024 WEC – Recap: Vitória da Ferrari nas 24 Horas de Le Mans...

WEC – Recap: Vitória da Ferrari nas 24 Horas de Le Mans – 2024

395
(Foto: Julien Delfosse/DPPI)
Fabricante de Maranello triunfou mais uma vez na competição mais longa da tríplice coroa do automobilismo mundial, com a Toyota logo atrás por poucos segundos, após uma disputa acirrada nos minutos finais.

O World Endurance Championship (WEC) realizou no último final de semana (15 e 15) as 24 Horas de Le Mans, a quarta e mais importante etapa da maior categoria de resistência da FIA, que aconteceu no lendário Circuito de la Sarthe, localizado em Le Mans, cidade a noroeste da França.

A 499P #50 da equipe de fábrica Ferrari AF Corse, guiada pelo trio Antonio Fuoco, Miguel Molina e Nicklas Nielsen, levou a melhor no Circuito de la Sarthe, após largar da quinta colocação (que se tornou quarta após uma penalidade sobre o V-SERIES.R #2 da Cadillac Racing), travar uma batalha épica com o Toyota #7 pela liderança final e garantir a segunda vitória consecutiva da montadora italiana em Le Mans.

Depois de sair em último no grid inicial da classe Hypercar (P23), o GR010 #7 da Toyota Gazoo Racing, guiado pelos pilotos José María López, Kamui Kobayashi e Nyck De Vries, escalou o pelotão, brigou pela liderança com as duas 499P da Ferrari AF Corse na 23ª hora e recebeu a bandeira quadriculada em segundo lugar, uma excelente recuperação do trio da montadora japonesa. O GR010 #8 de Sébastien Buemi, Brendon Hartley e Ryo Hirakawa, finalizou a longa corrida em Le Mans na P5.

Ao se classificar logo à frente da 499P irmã, em quarto lugar (oficialmente terceiro), a Ferrari #51 de Alexander Pier Guidi, James Calado e Antonio Giovinazzi, chegou a ser punida, por Pier Guidi tirar o Toyota #8 de Hartley da pista nas horas iniciais, e participou de uma briga doméstica pela liderança com o #50; apesar de tudo que enfrentou, a 499P #51 cruzou a linha de chegada na P3, uma dobradinha histórica da Ferrari no pódio.

Vale lembrar que o resultado da Ferrari AF Corse também possibilitou a equipe de fábrica assumir a P2 da Toyota no Campeonato de Fabricantes e o terceiro lugar na classificação geral de pilotos.

Fatos curiosos

Diante de vários incidentes, houve três intervenções de Safety Car durante a prova: o primeiro acionado por conta da batida da BMW M #15, após contato com o 499P da AF Corse #83, o segundo momento de chuva que marcou presença na madrugada de domingo e se estendeu até o início da manhã, e o terceiro, gerado pelo acidente do Aston Martin #27 da Heart of Racing de LMGT3.

A paralisação devido à forte chuva foi o período sob Safety Car mais longo da história da competição em Le Mans: mais de quatro horas, que demandou o uso de todos os carros disponíveis (5). Os três primeiros sofreram uma pane seca após pouco mais de duas horas, e foram substituídos por outros. Além disso, seis hipercarros, três LMP2 e seis LMGT3 abandonaram a 92ª edição das 24 Horas de Le Mans, um total de 15 carros.

Resultado geral na Hypercar

A terceira melhor equipe na divisão de hipercarros foi a pole sitter, Porsche Penske Motorsport: o trio do 963 #6, Kevin Estre, André Lotterer e Laurens Vanthoor, ocupou a P1 do grid de largada, mas por falta de ritmo diante da performance confiante da última vencedora, Ferrari, o melhor que a escuderia da marca alemã conseguiu foi a P4 e a P6, com o #6 e o 5# de Matt Campbell, Michael Christensen e Frédérick Makowiecki.

O terceiro Porsche 963 da Penske Motorsport, o #4 do brasileiro Felipe Nasr, do francês Mathieu Jaminet e dö britânico Nick Tandy, abandonou ao faltarem quatro horas para o fim, após Nasr perder o controle do carro em alta velocidade e bater na barreira de pneus na curva Indianápolis.

A Cadillac se classificou bem em Le Mans: o #2 de Earl Bamber, Alex Lynn e Alex Palou, viu o agitar da bandeira verde da primeira fila, na P2, seguido do V-SERIES.R irmão #3 dos pilotos Sébastien Bourdais, Renger Van der Zande e Scott Dixon. Apesar disso, a equipe americana operada pela Chip Ganassi Racing se deparou com um inconveniente que envolveu um de seus carros.

O #2 perdeu a posição na primeira fila, devido a uma penalidade aplicada pelos comissários após o forte acidente gerado por Earl Bamber nas 6 Horas de Spa-Francorchamps, e caiu para a P7, enquanto o #3, convidado da IMSA, foi promovido e subiu para a segunda colocação do grid de largada. Mesmo assim, os dois carros da equipe de fábrica da Cadillac passaram a maior parte do tempo abaixo do top 10 e, no fim, o #2 terminou na P7, enquanto o#3 abandonou por conta de um furo no tanque de óleo.

A equipe privada Hertz Tem Jota, que venceu a etapa anterior em Spa-Francorchamps, pontuou com seus dois 963: o #12, guiado por Will Stevens, Norman Nato e Callum Ilott, concluiu a competição na P8, enquanto o 963 irmão #38 de Oliver Rasmussen, Philip Hanson e Jenson Button, cruzou a linha de chegada logo atrás, na P9.

A estreante deste ano na Hypercar, Lamborghini Iron Lynx, fez uma boa prova, mas conquistou o último lugar no top 10 da zona de pontuação (P10) por um fio, com o SC63 #63, administrado pelos pilotos Mirko Bortolotti, Edoardo Mortara e Daniil Kvyat. O SC63 #19 do trio reserva Romain Grosjean, Andrea Caldarelli e Matteo Cairoli, que estreou na temporada regular do WEC neste fim de semana, finalizou na P13.

Equipes abaixo do top 10 (um ponto por carro)

A dona da casa, Peugeot TotalEnergies, fez uma corrida fora da briga pelas primeiras posições, e acabou com apenas dois pontos conquistados na quarta etapa do Mundial de Endurance, ao receber a bandeirada final na P11 e na P12, com o #94 dos pilotos Stoffel Vandoorne, Paul Di Resta e Loïc Duval, e o #93 de Jean-Éric Vergne, Mikkel Jensen e Nico Müller, de forma respectiva.

Em sua primeira participação nas 24 Horas de Le Mans, a antiga fabricante de carros de luxo italiana, Isotta Fraschini, terminou a longa e desafiadora corrida em Le Mans com o Tipo6-C #11, guiado por Carl Wattana Bennett, Jean-Karl Vernay e Antonio Serravalle na P14. Esse foi um resultado positivo da Isotta, por se sair melhor do que outras montadoras experientes em corridas de resistência.

A equipe privada do IMSA, Whelen Cadillac Racing, cruzou a linha de chegada na P15, com o V-SERIES.R #311, administrado pelos brasileiros Pipo Derani e Felipe Drugovich, e pelo britânico Jack Aitken. Entre os representantes do Brasil na Hypercar, Derani e Drugovich foram os que se saíram melhor na Hypercar, já que o carro de Felipe Nasr não cruzou a linha de chegada.

A segunda equipe cliente da Porsche no grid do WEC, Proton Competition, terminou em penúltimo na divisão principal, especificamente na P16, com o 963 #99 do trio Neel Jani, Harry Tincknell e Julien Andlauer.

A última colocada na divisão de hipercarros, das equipes que conseguiram chegar até o agitar da bandeira quadriculada, foi a BMW M WRT. O V8 Hybrid #20, guiado por Sheldon Van der Linde, Robin Frijns e René Rast, concluiu as 24 horas na décima sétima posição, à frente apenas dos carros que abandonaram.

O outro V8 Hybrid da montadora alemã, o #15 dos pilotos Dries Vanthoor, Raffaele Marciello e Marco Wittmann, deixou a disputa após Vanthoor sofrer um toque da 499P de Robert Kubica na reta Mulsanne, no final da noite de sábado. Kubica foi punido pelo incidente.

Escuderias que não pontuaram

Entre as escuderias que saíram zeradas das 24 Horas de Le Mans, está a AF Corse, com seu 499P #83 do trio Robert Kubica, Robert Schwartzman e Yifei Ye. A equipe cliente da Ferrari fazia uma excelente prova, e chegou a liderar a corrida nas primeiras horas. Porém, devido ao um problema de superaquecimento no sistema de freio, a escuderia italiana terminou sua jornada no pit lane.

A outra dona da casa na Hypercar, a equipe francesa Alpine Endurance, saiu prematuramente  e de forma frustrante da competição, após detectar problemas no motor dos dois A424, no #35 de Paul-Loup Chatin, Ferdinand-Habsburg e Charles Milesi, e no #36 de Nicolas Lapierre, Mick Schumacher e Matthieu Vaxivière. Sem dúvidas, essa foi uma edição da lendária etapa para a Alpine esquecer.

LMGT3

Na divisão de carros turismo, a Manthey EMA conquistou a vitória no Circuit de la Sarthe, com o Porsche 911 #91, administrado por Yasser Shajin, Morris Schuring e Richard Lietz. Com o resultado, a Manthey EMA assume a liderança nos dois campeonatos da LMGT3, no de pilotos e na classificação de equipes, e se encontra empatada com a Manthey Pure Rxcing.

Em segundo lugar na divisão de carros de rua, chegou a BMW M4 #31 da WRT, do brasileiro Augusto Farfus, do britânico Darren Leung e do indonésio Sean Gelael. O outro carro da WRT, o #46 de Valentino Rossi, Ahmad Al Harthy e Maxime Martin, não cruzou a linha de chegada, devido a uma forte batida de Rossi na 10ª hora.

Ao tornar memorável o retorno da Ford ao Mundial de Endurance, o Mustang #88 da Proton Competition completou o top 3 final em Le Mans na classe, após um ótimo desempenho dos pilotos Giorgio Roda, Mikkel Pedersen e Dennis Olsen. O outro Mustang da escuderia alemã, o#44 convidado do IMSA e guiado por John Hartshorne, Ben Tuck e Christopher Mies, terminou logo atrás do carro irmão, em quarto lugar.

O carro do outro competidor brasileiro que viu a bandeira quadriculada, Daniel Serra, a Ferrari 296 #86 da GR Racing, recebeu a bandeira quadriculada na P12, com a condução de Serra e seus parceiros de equipe, Michael Wainwright e Riccardo Pera.

Infelizmente, a McLaren 720S #59 da United Autosports do carioca Nicolas Costa e de seus companheiros James Cttinham e Grégoire Saucy, não concluiu as 24 Horas de Le Mans. Um problema terminal na caixa de câmbio forçou o abandono de Saucy na 20ª hora e tirou o carro do brasileiro de 32 anos da briga em território francês.

Um dos destaques na classe LMGT3 foi um incidente na manhã de domingo, que envolveu o Aston Martin #27 da equipe Heart of Racing. No cockpit, Daniel Mancinelli perdeu o controle do Vantage AMR na curva Indianapolis, bateu lateralmente na barreira de pneus, e virou o carro de cabeça para baixo. Apesar do impacto, o piloto italiano saiu sem ferimentos, mas o acidente tirou o #27 da competição de forma definitiva.

LMP2

Na categoria de protótipos menos potentes e descontinuada do WEC, o Oreca 07-Gibson vencedor foi o #22 da United Autoports, guiado pelo trio Oliver Jarvis, Bijoy Garg e Nolan Siegel.

A segunda colocação ficou com a equipe vencedora das 24 Horas de Le Mans do ano passado, Inter Europol Competition, graças aos pilotos do Oreca 07-Gibson #34 Jakub Smiechowski, Vladislav Lomko e Clément Novalak. A Idec Sport completou o pódio, com o #28 de Paul Lafargue, Job Van Uitert e Reshad De Gérus.

Top 3 do campeonato de pilotos da Hypercar:

1 – André Lotterer, Kevin Estre e Laurens Vanthoor (Porsche Penske Motorsport 6#) – 99 pts;

2 – Antonio Fuoco, Miguel Molina e Nicklas Nielsen (Ferrari AF Corse #50) – 90 pts;

3 – Kamui Kobayashi e Nyck De Vries (Toyota Gazoo Racing #7) – 82 pts.

Top 3 do campeonato de fabricantes da Hypercar:

1 – Porsche – 108 pts;

2 – Ferrari – 99 pts;

3 – Toyota – 96 pts.

Campeonato de equipes privadas da Hypercar:

1 – Hertz Team JOTA #12 – 128 pts;

2 – Proton Competition #99 – 71 pts;

3 – AF Corse #83 – 67 pts;

4 – Hertz Team JOTA #38 – 54 pts.

Top 3 do campeonato de pilotos da LMGT3:

1 – Morris Schuring, Richard Lietz e Yasser Shajin (Mathey EMA #91) – 75 pts;

2 – Aliaksandr Malykhin, Joel Sturm e Klaus Bachler (Manthey PureRxcing #92) – 75 pts;

3 – Augusto Farfus, Darren Leung e Sean Gelael (WRT #31) – 73 pts.

Top 3 do campeonato de equipes da LMGT3:

1 – Manthey EMA #91 – 75 pts;

2 – Manthey PureRxcing #92 – 75 pts;

3 – WRT #31 – 73 pts.

A próxima etapa do WEC será as 6 Horas de São Paulo, nos dias 13 e 14 de julho, no Autódromo de Interlagos.