Início Destaque FÓRMULA E – Debrief: E-Prix de Diriyah – 2024

FÓRMULA E – Debrief: E-Prix de Diriyah – 2024

347
(Foto: Sam Bagnall)
Saiba o que rolou nas duas provas da categoria no Oriente Médio, além de uma análise sobre o desempenho das equipes no fim de semana.

A Fórmula E realizou neste fim de semana (26 e 27) a rodada dupla do E-Prix de Diriyah, a segunda e terceira etapas do calendário 2023/2024, no Circuito Urbano de Diriyah, em Riade, capital da Arábia Saudita.

O vencedor na sexta-feira foi Jake Dennis, que largou em terceiro e garantiu a sua primeira vitória neste ano, seguido do pole sitter, Jean-Éric Vergne, e de Nick Cassidy. Dennis também ficou com o ponto da volta mais rápida da disputa, com o tempo de 1:11.399s.

Na prova do dia seguinte, quem levou a melhor foi Nick Cassidy, que conquistou a sua primeira P1 pela Jaguar TCS Racing, além do ponto extra da volta mais rápida. Logo atrás do Neozelandês, concluíram Robin Frijns e o piloto que largou na ponta, Oliver Rowland.

Análise de desempenho

Abaixo, confira uma análise de desempenho das 11 escuderias do grid na rodada dupla do E-Prix de Diriyah, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de equipes.

Jaguar TCS Racing (78 pts)

Com a finalização de Nick Cassidy e Mitch Evans na P3 e P5 na corrida 1, e uma vitória  de Nick na segunda prova na Arábia Saudita, a Jaguar assume a liderança na tabela com uma boa vantagem. A disputa de sábado poderia ser melhor para Evans, mas, pelo menos, o neozelandês concluiu o E-Prix na P10, na zona de pontos.

A equipe britânica, que já demonstrava um bom ritmo na abertura da temporada no México, teve o melhor aproveitamento até aqui, e deixa o Oriente Médio com a sensação de dever cumprido.

DS PENSKE (47 pts)

A DS teve um final de semana mediano em Diriyah, com apenas a P2 de Jean-Éric Vergne na primeira disputa como o melhor momento da equipe. Mesmo assim, o pódio do bicampeão contrastou com a finalização ruim de Stoffel Vandoorne, que concluiu a etapa 2 na P14.

O Round 3 também foi regular para a DS: enquanto Vandoorne cruzou a linha de chegada na P5, Vergne terminou a segunda prova noturna em Diriyah na oitava posição.

Ao olhar o desempenho da escuderia francesa até aqui, fica claro que a DS só está entre as duas primeiras colocadas na tabela graças ao azar de outras equipes.

TAG Heuer Porsche (38 pts)

Do México até a Arábia Saudita, a Porsche apresentou um verdadeiro retrocesso no quesito performance com Pascal Wehrlein, o único piloto competitivo da equipe, já que António Félix da Costa ainda não se encontrou neste ano.

Após garantir a vitória com Wehrlein na abertura da temporada, a escuderia alemã terminou a corrida 1 em Diriyah com uma P8 (WEH) e P16 (DAC) e, na corrida 2, com a P7 (WEH) e a P14 (DAC).

Diferente do ano passado, a TAG Heuer Porsche finaliza a terceira etapa do calendário perto de despencar na tabela, já que apenas 1 ponto a separa das duas escuderias que a seguem no campeonato: Andretti e Envision. Além do baixo desempenho de Da Costa, a Porsche se mostrou menos competitiva no Oriente Médio, em comparação com o E-Prix anterior, no México.

Andretti (37 pts)

Assim como a DS, a Andretti teve altos baixos em Diriyah. Jake Dennis conquistou a primeira vitória da equipe nesta temporada, na corrida 1, enquanto o parceiro do atual campeão, Norman Nato, concluiu a prova inicial na P6.

Este foi um resultado satisfatório, mas a segunda corrida em Riade foi o oposto. Dennis cruzou a linha de chegada na P12, fora da zona de pontos, assim como Nato, que concluiu 4 posições abaixo, na P16. Juntamente com a Porsche, a escuderia americana se encontra em uma situação complicada na briga pelo título.

Envision Racing (37 pts)

A equipe cliente da Jaguar, Envision, também passou por altos e baixos ne rodada dupla em Diriyah. A etapa de número 2 rendeu apenas 1 único ponto, o de Robin Frijns, que recebeu a bandeirada final na P10, duas colocações acima do parceiro, Sébastien Buemi (P12).

A disputa deste sábado para a escuderia britânica foi positiva através de Frijns, que finalizou no pódio, na P2. Por outro lado, Buemi não concluiu o E-Prix e deixou a Envision desfalcada mais uma vez. Sem dúvidas, Robin foi a salvação da Envision Racing neste fim de semana.

NEOM McLaren (30 pts)

A escuderia britânica apresentou um desempenho parecido com o da Envision, já que apenas 1 carro foi competitivo nos dois apagar de luzes em Diriyah. Na sexta-feira, Sam Bird conseguiu a P4 para a McLaren, enquanto Jake Hughes concluiu o primeiro E-Prix na P11.

Na segunda prova, Hughes levou a equipe a garantir a P4 novamente, enquanto Bird abandonou por conta de problemas na suspensão de seu carro. Quanto a situação do campeonato, a McLaren permanece na mesma colocação desde abertura da temporada.

Nissan (26 pts)

A equipe japonesa Nissan saiu da estaca zero e marcou os seus primeiros pontos nesta temporada. Após uma corrida 1 em Riade que não rendeu uma finalização entre os dez primeiros, a etapa seguinte mudou o rumo da Nissan.

Em uma ótima performance, Oliver Rowland conquistou a P3 em Diriyah, depois de largar na pole, enquanto Fenestraz terminou o segundo E-Prix na Arábia Saudita em sexto. Sem dúvidas, a Nissan mostrou que tem potencial para avançar mais na tabela.

Maserati MSG Racing (20 pts)

A equipe monegasca teve um fim de semana que poderia ter sido melhor, já que apenas Max Günther cruzou a linha de chegada na P9 e P7 nas corridas no Oriente Médio, respectivamente.

O parceiro de Max, Jehan Daruvala, não viu a bandeirada final em nenhuma das etapas, o que prejudica o estreante, que precisará trabalhar dobrado na próxima competição da categoria elétrica para provar que é digno do assento na Maserati.

ERT (2 pts)

Como a Nissan, a Electric Racing Technologies somou os seus primeiros pontos em Diriyah, graças ao brasileiro Sergio Sette Camara, que largou em quarto na corrida 1 e concluiu a disputa na P9. O parceiro de Sergio, Dan Ticktum, viu as luzes se apagarem da P19, mas não terminou a competição.

Na prova deste sábado, Sette Camara ficou de fora do top 10, na P18, enquanto Ticktum abandonou o E-Prix novamente. Apesar das dificuldades, os dois pontos conquistados pelo piloto brasileiro na disputa inicial foram bem-vindos para a ERT, uma equipe que raramente marca pontos.

Mahindra Racing e ABT CUPRA (0 pts)

Depois de um final de semana decepcionante em Diriyah, sem finalizações entre os 10 primeiros, a Mahindra Racing e a ABT permanecem zeradas na tabela, e seguem para a quarta etapa, em São Paulo, com o objetivo de conquistar seus primeiros pontos na rodada 2023/2024.

Top 10 do campeonato de pilotos:

1 – Nick Cassidy #37 (Jaguar TCS Racing) – 57 pts;

2 –  Pascal Wehrlein #94 (TAG Heuer Porsche) – 38 pts;

3 – Jean-Éric Vergne #25 (DS PESNKE) – 33 pts;

4 – Jake Dennis #1 (Andretti) – 28 pts;

5 – Mitch Evans #9 (Jaguar TCS Racing) – 21 pts;

6 – Max Günther #7 (Maserati MSG Racing) – 20 pts;

7 – Robin Frijns #4 (Envision Racing) – 19 pts;

8 – Sébastien Buemi #16 (Envision Racing) – 18 pts;

9 – Oliver Rowland #22 (Nissan) – 18 pts;

10 – Jake Hughes #5 (NEOM McLaren) – 18 pts;

A próxima etapa da Fórmula E será no Brasil, o E-Prix de São Paulo, no dia 16 de março.