Início FIA Fórmula 2 FÓRMULA 2 – Conheça as equipes e pilotos – 2021

FÓRMULA 2 – Conheça as equipes e pilotos – 2021

2240

 9 min de leitura

Fonte: fiaformula2.com

A Formula 2 revela muitos pilotos que podem ou não chegar à F1. Casos como o de Nyck De Vries – campeão da temporada 2019 que, por falta de vagas “boas” na categoria acima preferiu disputar a Formula E, permanecendo como piloto de testes da Mercedes – não são raros, então vale a pena acompanhar os 22 nomes que disputam o título.

Vale citar também que algumas das equipes da F2 têm fortes laços com times da F1, o que favorece o trânsito de alguns pilotos entre as categorias.

PREMA RACING

Uma equipe de automobilismo italiana cuja cor principal é o vermelho. Precisamos mesmo falar qual é a maior parceira da Prema?

Disputando diversas categorias de acesso ao redor do mundo (F3, Formula Regional Europeia, F4 Italiana e outras), foi campeã de equipes da F2 em 2021 com Mick Schumacher (campeão de pilotos) e Robert Shwartzman após uma péssima temporada em 2020, quando foi penúltima colocada.

#1 Robert Shwartzman – piloto da Academia da Ferrari, o russo de 21 anos disputou o título de 2020 até a última rodada, porém acabou apenas na 4ª colocação. Campeão da F3 em 2019, é um forte candidato ao caneco desta temporada.

#2 Oscar Piastri – campeão da F3 de 2020, o australiano de 19 anos assume a vaga deixada por Mick Schumacher, e terá um forte concorrente dividindo os boxes. Está em uma boa equipe e deve disputar pódios assim que acostumar com o carro.

UNI-VIRTUOSI

Antiga Russian Time, que disputou a GP2 Series desde 2013 e conquistou dois títulos (2013 e 2017), mudou de nome no final de 2018 e, desde então, ficou com o vice-campeonato de times nas duas oportunidades.

Callum Ilott, mais um pupilo da academia da Ferrari, quase levou o título em 2020, perdendo na última corrida para Schumacher. Para 2021, com 22 anos, ficou apenas como piloto reserva e de testes da Scuderia (além de mudar para os carros de turismo).

#3 Guanyu Zhou – o chinês de 21 anos era amplamente cotado para a vaga remanescente da despedida de Daniel Riccardo da Renault (da qual faz parte da Academia desde 2018), porém a chegada de Alonso na Alpine o manteve pela terceira temporada na F2. Caso conquiste o título, é uma séria ameaça à vaga ocupada hoje por Esteban Ocon.

#4 Felipe Drugovich – o brasileiro foi apenas 16º na temporada 2019 da F3, porém conseguiu uma vaga na MP Motorsport no ano seguinte e surpreendeu, com 3 vitórias e 6 Top-5 em 2020. Com a saída de Ilott, o paranaense de 20 anos tem chances de brigar pelo título em 2021, mas enfrentará forte concorrência.

CARLIN

Uma das equipes mais tradicionais da F2, é responsável por inúmeros pilotos de sucesso na F1, como Vettel, Rosberg, Kubica e Riccardo. Além disso, desde 2018 disputa em tempo integral a F3 e Formula E, além dos circuitos de rua da IndyCar.

Terceira colocada em 2020, viu o japonês Yuki Tsunoda comandar a equipe desde a segunda corrida da temporada, conquistando 3 vitórias e 3 segundos lugares e fechando o Top 3 dos pilotos – e, apoiado pela Academia da Red Bull, conseguiu a vaga de Daniil Kyvat na Alpha Tauri para 2021.

#5 Dan Ticktum – O piloto de 21 anos venceu 2 vezes o tradicional GP de Macau enquanto era da Academia da Red Bull, foi vice-campeão da F3 em 2018 e teve uma péssima passagem pela Super Formula, porém voltou para a F2 e busca apresentar mais consistência em seus resultados para chegar à F1 – onde é piloto de desenvolvimento da Williams.

#6 Jehan Daruvala – O indiano de 22 anos disputou a temporada de 2019 da F3 pela Prema, sendo terceiro colocado geral na temporada. Recrutado pela Academia de Pilotos da Red Bull, foi engolido pelo companheiro Tsunoda em 2020, porém conseguiu terminar a temporada com uma vitória na rodada final.

HITECH GP

Estreante na categoria em 2020 (após uma fracassada parceria com a Piquet Sports em 2004 na GP2 Series), terminou a temporada em uma boa quarta colocação. Trazendo Nikita Mazepin, da ART e Luca Ghiotto, da UNI-Virtuosi, a equipe inglesa conseguiu 3 vitórias na temporada (sendo 2 com o russo) mas deixou pontos escaparem com fracas performances do italiano.

Com Mazepin conquistando a vaga na HAAS e a baixa de Ghiotto, a Hitech aposta na total reformulação da equipe para a temporada 2021.

#7 Liam Lawson – Com 19 anos, o neozelandês da Academia da Red Bull terá sua primeira chance na categoria, vindo de dois anos disputando a F3 e a Toyota Racing Series, a qual foi campeão em 2019 (e vice para o brasileiro Igor Fraga em 2020).

#8 Jüri Vips – Outro membro da Academia da Red Bull, o estoniano de 20 anos disputou 4 rodadas da F2 de 2020 pela DAMS após a lesão de Sean Gelael, além da Super Formula (Japão) e a Formula Regional Europeia, e agora terá a primeira chance de uma temporada completa na categoria.

ART GP

Uma das equipes mais famosas da GP2, onde conquistou 4 títulos de equipe e piloto (2005 com Rosberg, 2006 com Hamilton, 2009 com Hülkenberg e 2015 com Vandoorne), a francesa ART ainda não conseguiu repetir a façanha na remodelada F2 – apesar de ter garantido o título de pilotos de Nyck de Vries em 2019.

Após o terceiro lugar geral na temporada anterior, as 2 únicas vitórias (de Christian Lundgaard) em 2020 deixaram os franceses na módica quinta colocação de times. Vale citar o baixo rendimento de Marcus Armstrong – piloto da Academia de Pilotos da Ferrari –, que após 2 Top-3 na rodada dupla da Áustria brigou no pelotão intermediário do grid.

#9 Christian Lundgaard – Com 19 anos, o piloto da Academia da Alpine entra em sua segunda temporada na F2.

#10 Théo Pourchaire – Uma carreira meteórica na F3, onde se tornou o mais jovem piloto a vencer uma corrida e uma rodada dupla, ficou a 3 pontos de distância do título, porém credenciou o garoto de 17 anos à vaga na F2.

MP MOTORSPORT

Desde 2013 na GP2 Series, a equipe holandesa nunca teve destaque no campeonato de acesso à F1, porém conseguiu 4 vitórias em 2020 (3 com Felipe Drugovich) e repetiu seu melhor desempenho histórico: sexto lugar.

Com a saída de Drugovich para a UNI-Virtuosi e de Giuliano Alesi, filho do ex-piloto Jean, a total reformulação da equipe é a esperança para chegar ao improvável Top 5. Vale citar que Caio Collet, piloto brasileiro de 18 anos, campeão da F4 Francesa e membro da Academia da Alpine é piloto da equipe na F3.

#11 Richard Verschoor – O holandês de 20 anos disputou 3 temporadas da F3 pela equipe, e após o nono lugar de 2020 recebeu a chance de competir na F2.

#12 Lirim Zendeli – Com 21 anos, o alemão (que também é albanês e macedônio) deixa a F3 e a Toyota Racing Series após o oitavo lugar em ambas, e focará exclusivamente na F2 em 2021.

CHAROUZ RACING SYSTEM

Sediada na República Tcheca, a equipe correu a temporada de 2019 como Sauber Junior Team – onde um de seus pilotos era Juan Manuel Correa, envolvido no fatídico acidente de Spa-Francorchamps – e retornou ao nome original em 2020.

Com Louis Delétraz e Pedro Piquet, a equipe caiu uma posição na tabela de equipes em relação ao ano anterior. Com péssimos resultados do brasileiro – que ficou entre os 10 primeiros em apenas duas rodadas, em comparação com os 17 Top-10 de Delétraz, incluindo 5 Top-3 – e a saída do suíço para as corridas de Endurance, a Charouz mudou sua dupla de pilotos para 2021.

Aqui também vale citar: Igor Fraga, brasileiro nascido no Japão e campeão da Toyota Racing Series em 2020, foi piloto da equipe na F3 no ano passado.

#14 David Beckmann – Com 20 anos, o alemão disputa campeonatos da F3 desde 2016 (pela F3 Europeia e a GP3 Series), e foi sexto colocado daquela categoria em 2020, pela Trident.

#15 Guilherme Samaia – O paulista de 24 anos foi campeão da Fórmula 3 Brasileira em 2017 e, desde então, partiu para carreira na Europa. Chegou à F2 em 2020, pela Campos (sendo companheiro de Jack Aitken, que disputou a última corrida da temporada 2020 da F1 pela Williams), onde não conseguiu pontuar e terminou na última colocação entre os pilotos que disputaram todas as rodadas do campeonato.

DAMS

Outra potência da F2, bicampeã de equipes da GP2 Series e tricampeã de pilotos com Grosjean (2011), Valsecchi (2012) e Jolyon Palmer (2014), a francesa DAMS é mais uma das equipes que competiu em diversas categorias de monopostos e protótipos ao redor do mundo, focando atualmente apenas na F2 e na Formula E.

Campeã de equipes em 2019, quando Nicholas Latifi e Sérgio Sette Câmara tiveram boas oportunidades de faturar o campeonato de pilotos, a francesa fundada por René Arnoux em 1988 teve a pior temporada de sua história desde 2008 e amargou a triste oitava posição do campeonato.

#16 Roy Nissany – O israelense/francês de 26 anos estreou na F2 em 2018, quando foi substituído após a décima rodada do campeonato pelo seu fraco desempenho. Tentou retornar em 2019, porém uma lesão durante um treino o afastou da temporada. Retornando em 2020 pela Trident conseguiu 2 Top 10, mas repetiu o baixo rendimento da temporada retrasada. Já testou por equipes da F1 e atualmente é piloto de testes da Williams.

#17 Marcus Armstrong – Membro da Academia de Pilotos da Ferrari, o neozelandês de 20 anos foi campeão da F4 Italiana e vice-campeão da F3 em 2019, disputando sua primeira temporada na F2 em 2020 pela ART.

CAMPOS RACING

Fundada pelo ex-piloto de Formula 1, Adrián Campos, a equipe espanhola disputa desde a F4 do país até a F2, onde desde 2017 já teve pilotos como Lando Norris, Luca Ghiotto, Roy Nissany e Jack Aitken.

Ficando à frente da HWA e da Trident graças aos pontos conquistados por Jack Aitken – agora totalmente integrado ao programa da Williams –, a equipe trocou a dupla de pilotos mesclando a experiência na competição com a juventude promissora de um campeão da F3 Regional Europeia.

#20 Gianluca Petecof – Paulista de 18 anos, estreia na F2 após brilhante temporada na Formula Regional Europeia, onde foi campeão sobre Arthur Leclerc (o irmão, sim). Piloto da Academia da Ferrari, acreditava-se que Gianluca poderia participar da F3 através da Prema, onde disputou o Europeu, porém anunciou o término de seu vínculo com a montadora italiana no começo de fevereiro de 2021.

#21 Ralph Boschung – Suíço de 23 anos, disputa a F2 desde sua inauguração em 2017 (quando correu pela própria Campos Racing). Passou pela MP Motorsport e Trident antes de deixar a competição em 2020. Retornou à Campos no final de 2020 para completar a vaga de Jack Aitken, que disputaria o GP do Bahrein pela Williams, e permaneceu para a temporada de 2021.

HWA RACELAB

A marca responsável pelo desenvolvimento de veículos e peças para a AMG (sim, aquela) é uma clássica participante do DTM, onde conquistou inúmeros títulos. Em 2019, a marca que já disputava a F3 fez uma parceria com a Arden para integrar o pelotão da F2 e, no ano seguinte, tomou controle definitivo das operações da equipe.

Se a Arden já não ia bem em 2019 (considerando, também, o acidente que vitimou Anthoine Hubert), a performance só piorou em 2020. Artem Markelov chegou a ter 3 companheiros de equipe diferentes durante o ano (Giuliano Alesi, Jake Hughes e Théo Pourchaire) e nenhum dos 4 conseguiu bons resultados, com Alesi e Markelov conquistando 2 sextos e oitavos lugares, respectivamente.

#22 Matteo Nannini – Italiano de 17 anos e filho do ex-piloto Alessandro Nannini, disputou a F3 e a Formula Regional Europeia em 2020, porém sem resultados expressivos em ambas.

#23 Alessio Deledda – Italiano de 26 anos, disputa a F3 desde 2019 pela Campos Racing, além de outros campeonatos regionais e a F3 Asiática em 2019/20. Sua primeira tentativa na F2 acontece pouco tempo depois de uma polêmica sobre direção imprudente na Itália, a qual gerou repercussão negativa por parte da mídia especializada.

TRIDENT

Por fim, a Trident. A italiana fundada em 2006 fez uma temporada pífia em 2020, conquistando apenas 6 pontos no campeonato (contra 13 da HWA e 48 da Campos, únicas a ficarem abaixo da marca centenária), e viu Roy Nissany e Marino Sato abandonarem 9 rodadas (de 24).

Apesar dos bons resultados na F3 em 2019 e 2020, a equipe parece ter dificuldades em manter o ritmo com os concorrentes na F2, figurando na última posição do campeonato desde sua criação, em 2017.

#24 Bent Viscaal – Depois de duas temporadas sem muito destaque na F3, o holandês de 21 anos terá sua primeira chance na F2.

#25 Marino Sato – O japonês de 21 anos (e que não tem nenhum parentesco com nosso querido Takuma) fez duas fracas temporadas na F3 e estreou na F2 pela Campos, em 2019. Chegou na Trident em 2020, onde conquistou 1 ponto.