Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP de...

FÓRMULA 1 – Saiba as expectativas das equipes para o GP de Portugal – 2020

386

 12 min de leitura

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

Confira o que pilotos e chefes de equipe esperam da etapa de número 12 da temporada, em um circuito inédito na categoria.

No próximo final de semana (de sexta a domingo) a Fórmula 1 vai consumar a décima segunda corrida de seu calendário 2020, em Portimão, para o Grande Prêmio de Portugal. A pista que irá receber todos os 20 carros da F1 será o Autódromo Internacional do Algarve, este que sedia pela primeira vez um GP da categoria.

Outro fato curioso é que o país europeu volta a ter uma prova da F1, após ficar sem uma corrida da classe mais alta do automobilismo desde 1997. O último vencedor do GP de Portugal (em 1996) foi Jacques Villeneuve que, na época, corria na Williams.

Abaixo, saiba o que os pilotos e chefes de equipe, que se manifestaram, esperam do GP português, em ordem decrescente da classificação atual do campeonato de construtores.

Mercedes (391 pts):

(Foto: Mercedes/Divulgação)

Lewis Hamilton: Não comentou.

Valtteri Bottas: Não comentou.

Toto Wolff (chefe da equipe): “Portimão é o segundo circuito completamente novo da temporada, o que adiciona alguma variabilidade ao potencial e desempenho. Tivemos uma corrida emocionante em Mugello, a primeira nova pista este ano, e desde então temos nos concentrado em nos preparar da melhor maneira possível para os outros novos circuitos e maximizar a taxa de aprendizado quando formos para uma nova pista – algo que será especialmente importante durante o fim de semana de dois dias em Ímola na próxima semana. O desempenho do carro foi bom nos últimos eventos, tanto na qualificação quanto na corrida e esperamos poder manter o ritmo.”

Red Bull Racing (211 pts):

(Foto: Red Bull/Divulgação)

Max Verstappen: Não comentou.

Alex Albon: “Estou muito animado para ir lá. Algarve é uma pista muito legal e um lugar legal. Eu já corri nela quando estava na Fórmula 3, em 2015. Quando você olha para o circuito, pode ver muito dele e a primeira coisa que surpreende é a mudança de elevação. É realmente impressionante. Não consigo lembrar os nomes das esquinas, mas depois das curvas sete, oito e nove, você sobe uma colina, fica quase cego e sente que o carro vai decolar. É aí que ele desce através de um plano à esquerda na colina e então sobe abruptamente em um canto completamente cego. Você vira, freia e não sabe para onde está indo e então a curva aparece à direita e depois desce maciçamente novamente à direita. É incrível. Há escoamento, como qualquer uma das novas pistas, mas por causa da forma como o gradiente é, por causa do tipo de curvas que tem – curvas cegas na entrada – e também porque é muito acidentado, acrescenta bastante caráter. Nem parece um novo traçado. Vai ser bom porque, como vimos em Mugello, novas pistas são divertidas.”

Christian Horner (chefe da equipe): Não comentou.

Racing Point (120 pts):

(Foto: Racing Point/Divulgação)

Sergio Perez: Estamos no meio de uma onda de corridas desconhecidas agora. Fazia muito tempo que não corríamos em Nürburgring até a última etapa, Portimão é totalmente novo na F1 e temos Ímola chegando. É incomum ter uma série de provas em pistas que não conhecemos bem. Como piloto, gosto dessa sensação. É sempre mais difícil correr em um novo circuito pela primeira vez. Espero que isso ajude a misturar as coisas e criar uma disputa emocionante para os fãs.”

Lance Stroll: Na sexta-feira, tudo girará em torno será da rapidez com que aprenderemos o circuito. Eu suspeito que, ao se classificar, todos estarão ansiosos para ir e maximizar tudo. É tão competitivo na Fórmula 1 que você sempre precisa ter um fim de semana limpo, mesmo em um traçado mais familiar, então não acho que será diferente aqui. Precisamos apenas nos concentrar em nosso programa, trabalhar com ele e tirar tudo do carro ao longo do fim de semana. Estou animado para começar.”

Mclaren (116 pts):

(Foto: Mclaren/Divulgação)

Carlos Sainz: Portimão é definitivamente um traçado desconhecido para mim, como o é para muitos dos pilotos e para a F1. Gosto do desafio e procuro acelerar desde o início do fim de semana. Nossos rivais estão se apresentando na pista e ainda queremos estar na batalha para terminar em primeiro lugar no campeonato. Ainda faltam seis corridas e continuaremos a nos esforçar até a última.”

Lando Norris: “É muito bom podermos correr em pistas como Portimão, que são completamente novas na F1 durante esta temporada inusitada. O circuito é provavelmente novo para muitos pilotos, com alguns deles tendo experiência lá em níveis juniores. Na verdade, tive que fazer um teste de dois dias lá em um MP4-26 2011 em 2017, que foi um pouco diferente dos testes de poucas voltas habituais em Silverstone. Não tenho certeza se isso vai me dar um pouco de vantagem sobre os pilotos que são novos na pista, mas vamos ter que esperar para ver. Vamos tentar conseguir alguns bons pontos nesse fim de semana.”

Andreas Seidl (chefe da equipe): É muito bom ir a Portugal e a uma nova pista nesta temporada, especialmente pelas circunstâncias que este ano trouxe. Esta será a primeira vez que a Fórmula 1 corre no circuito de Portimão, sendo apenas utilizada para os testes de inverno durante a temporada 2008-2009. Semelhante a Mugello, o circuito é um desconhecido com dados históricos limitados na pista, por isso estamos tentando entender como os carros de F1 atuais irão se comportar por meio de simulação. Tenho certeza de que será um bom teste para todas as equipes e pilotos compreenderem totalmente a pista e se prepararem da melhor forma para a qualificação e para a corrida.”

Renault (114 pts):

(Foto: Renault/Divulgação)

Daniel Ricciardo: Tenho boas recordações de corridas em Portimão. A primeira vez que corri lá foi em 2009 na Fórmula 3 britânica, e lá embalei o título naquele ano. Foi a penúltima rodada; subi ao pódio na primeira corrida e terminei em quinto na segunda, mas foi bom o suficiente para levar o título. No início daquele ano, também experimentei lá, pela primeira vez, um carro de Fórmula Renault 3.5. É um circuito que eu realmente gostava naquela época, então tenho certeza que será ainda melhor em um carro de Fórmula 1 moderno. Há uma boa elevação e curvas rápidas e fluidas para entrar. É um traçado muito emocionante. O clima deve ficar ainda mais quente do que foi em Nürburgring, então voltarei ao meu jeito sorridente de sempre. Devemos ter um programa normal de sexta-feira para executar e vamos tentar entrar nele desde o início e buscar alguns pontos sólidos.”

Esteban Ocon: Estou ansioso para correr em Portugal. Visto de fora, o Autódromo do Algarve parece uma volta de montanha-russa. Eu pilotei no meu simulador doméstico e é um grande desafio. É muito acidentado, há várias mudanças de elevação e algumas curvas legais, então acho que será especial em um carro de Fórmula 1. Existem muitas curvas de velocidade média e isso exigirá muito do RS20. É diferente de Nürburgring em termos de clima também. Vai ser interessante e temos de nos adaptar às novas condições e à pista mais rápido do que as outras. Esse é o objetivo.

Ferrari (80 pts):

(Foto: Ferrari/Divulgação)

Charles Leclerc: Corri apenas uma vez em Portimão: em 2015 na Fórmula 3. Pelo que me lembro, é muito divertido pilotar com muitas subidas e descidas. É um circuito moderno e interessante e o tempo deve ser muito mais quente do que na última corrida na Alemanha. Será interessante verificar o handling (manejo) do nosso carro em todos os diferentes tipos de curvas com temperaturas mais altas.”

Sebastian Vettel: “Nunca corri em Portimão, por isso não tenho experiência para avaliar, mas sempre achei muito estimulante correr em uma nova pista. Ao estudar o layout, posso ver que há muitas mudanças de gradiente e vários cantos cegos que serão difíceis de analisar. Será importante aproveitar ao máximo os treinos livres para pegar o jeito do circuito o mais rápido possível.”

AlphaTauri (67 pts):

(Foto: AlphaTauri/Divulgação)

Pierre Gasly: Nunca fui a Portimão, mas tive dois dias no simulador para me preparar, assim como Ímola. Vai ser emocionante ir a duas pistas que não conheço. Acho interessante ir a novos lugares: já este ano tivemos Mugello, onde nunca tinha corrido, e também Nürburgring foi a minha primeira vez com um carro de Fórmula 1 e tenho curtido isso. Portimão parece ser uma pista muito bonita, com muitas mudanças de elevação e algumas curvas incomuns, e embora eu ache que algumas equipes testaram lá muitos anos atrás, nunca foi realmente usado para a Fórmula 1. Será importante que a equipe esteja bem preparada e faça um bom trabalho nos treinos livres. Vamos ver como vamos lá. No momento, parecemos bastante fortes aos domingos, conseguindo lutar pelos pontos, mesmo que tenhamos um pouco de dificuldade na qualificação. Estou ansioso por isso e por um tempo mais quente, porque estava muito frio em Nürburgring. Também será bom voltar a condições mais normais.”

Daniil Kvyat: Eu nunca corri em Portimão, por isso vai ser uma experiência completamente nova para mim e suponho que para a maioria dos outros pilotos. Será um desafio interessante. Há algum tempo dei algumas voltas no circuito do Algarve no simulador, mas não estou com ele fresco na memória. Acho que teremos que trabalhar muito e aprender tudo o que pudermos na sexta-feira e no sábado de manhã. É um novo começo; um layout bastante incomum, com quedas e subidas, então algo diferente para trabalhar. Devemos ter um clima ideal lá nesta época do ano, talvez na casa dos 20 anos, certamente melhor do que as condições incomuns que tivemos em Nürburgring.”

Alfa Romeo Racing (5 pts):

(Foto: Alfa Romeo/Divulgação)

Kimi Raikkonen: Portugal é uma pista nova para todos nós e não acho que nenhum piloto tenha qualquer experiência lá com as máquinas atuais, então estamos todos começando no mesmo nível. À custa de soar repetitivo, a situação quando vamos a Portugal não é muito diferente de todas as outras corridas. Temos de fazer um bom trabalho no sábado e no domingo, o carro está a melhorar, mas se dificultarmos a nossa vida na qualificação é bastante difícil recuperar espaço na disputa. Vimos nas últimas provas que podemos ser competitivos, então esperamos estar na mistura também neste fim de semana.”

Antonio Giovinazzi: As últimas corridas nos deram um pouco de confiança: é sempre positivo lutar entre os dez primeiros e somar pontos, pelo que esse tem de continuar a ser o objetivo em Portugal. Já corri lá na F3 em 2015 mas, além de conhecer o traçado da pista, não acho que essa experiência signifique muito em um dos carros modernos da F1. Acho que vai ser um traçado divertido para pilotar, tem muitas mudanças de elevação e deverá proporcionar boas corridas; ficaria feliz em ter boas memórias lá.”

Frédéric Vasseur (chefe da equipe): “O circuito do Algarve é mais um passo no desconhecido para a equipe, outro novo local onde vamos começar o nosso fim de semana de corridas do zero. Como uma equipe, temos sido bastante ágeis na adaptação a uma nova pista e trouxemos pontos em ambas as ocasiões em que visitamos um local novo – ou mais recente, para que possamos tentar estar no ritmo mais uma vez neste final de semana. Temos lutado dentro ou fora dos pontos, o que é um bom passo em frente, mas não podemos parar de tentar avançar porque o pelotão intermediário continua extremamente competitivo.”

Haas (3 pt):

(Foto: Haas/Divulgação)

Kevin Magnussen: Eu testei lá há muito tempo na minha carreira em categorias de base – lembro que a pista é muito legal. É um circuito complicado e único, com muitas curvas cegas. Deve haver algumas partes interessantes do traçado para ultrapassagens também, e ela tem uma reta bem longa. Vai ser um novo desafio e é um que espero ansiosamente.”

Romain Grosjean: Em um novo circuito, eu acho, o mais importante primeiro é se familiarizar com o layout. Obviamente, você tem que encontrar a configuração básica certa, mas os meninos têm sido muito bons nisso. Ver o que a simulação está dizendo em termos de velocidade nas curvas e relação de marchas – isso dá a você uma primeira ideia adequada de quanta velocidade você vai realizar nas curvas e isso ajuda a acelerarmos o mais rápido possível. Este ano, com o nosso calendário, acho que estamos correndo em muitos circuitos diferentes que são realmente bons, além de corrermos na maioria dos principais autódromos mundiais.

Guenther Steiner (chefe da equipe): Acho que este ano, com exceção das pistas de alta velocidade como Monza e Spa, o resto dos circuitos são muito semelhantes. Enquanto não tivermos retas realmente longas, o carro estará exatamente onde estamos – e esse não é nosso melhor ano. Em geral, gosto bastante do desafio de ter um novo circuito e da oportunidade de aprender coisas novas. Parece que nessas circunstâncias temos um desempenho melhor. Com mais incógnitas, há mais coisas que trazemos para a mesa que podem nos ajudar. Não temos os recursos das equipes maiores e a experiência de muitos anos em circuitos. Cada nova pista de corrida tem novos desafios, e parece que com os novos desafios – nossos caras reagem muito rapidamente. Esperemos que aconteça também em Portimão.”

Williams (0 pts):

(Foto: Williams/Divulgação)

George Russell: Estou ansioso por correr em Portugal, pois é um novo circuito no calendário deste ano. Algarve é uma pista muito boa e não corria lá desde 2015. É muito ondulada e com bastante caráter, algo que todos os pilotos amam. Será um desafio para todas as equipes sem dados anteriores para confiar, o que esperançosamente misturará as coisas.”

Nicholas Latifi: Sem dúvidas, estou animado por entrar em ação em Portugal. Algarve é um traçado onde corri apenas uma vez, em um dia de teste, há alguns anos. Pelo que me lembro, é uma pista muito técnica com muitas mudanças de elevação muito acentuadas, o que dá uma sensação de montanha-russa. Deve ser muito divertido de pilotar pra valer e será um novo desafio para todos descobrirem e encontrarem a configuração, já que a F1 ainda não correu lá. Estou ansioso por isso e espero que tenhamos um bom fim de semana.”

NOVIDADES PARA O GP:

Lance Stroll (Foto: Fórmula 1/Divulgação)

Após Lance Stroll revelar na manhã de quarta-feira (21) que seu teste de COVID-19 deu positivo ao voltar de Nürburgring, a Racing Point afirmou em nota que o piloto canadense estará no GP de Portugal, após testar negativo para a doença.

Conforme declarado por Lance na mídia social, a Racing Point pode confirmar que ele testou positivo para COVID-19 no domingo, 11 de outubro. Lance deixou o box da equipe na Alemanha no sábado, 10 de outubro, pois não pôde competir devido ao efeito de uma dor de estômago. Todos os membros da equipe no GP de Eifel regressaram ao Reino Unido através de um voo charter privado e todos os testes deram negativos à chegada e novamente no teste de pré-evento para o Grande Prêmio de Portugal“, afirmou a futura equipe Aston Martin em seu comunicado.

(Foto: Fórmula 1/Divulgação)

Apesar do teste negativo para COVID-19 de Lance nessa semana, Nico Hulkenberg também estará no paddock durante o GP português como piloto reserva da Racing Point.

Número reduzido de fãs nas arquibancadas

Há uns meses atrás, os representantes do autódromo planejavam receber cerca de 50 mil fãs nas arquibancadas em cada um dos três dias de atividades, mas com a nova onda de contaminação pelo coronavírus no país europeu e novas medidas restritivas impostas, Portimão reduziu o número de público para 27.500, conforme o acordo aprovado pelo governo local.

Autódromo Internacional do Algarve (Imagem: Fórmula 1/Divulgação)

O Autódromo Internacional do Algarve possui 4.653 km de comprimento e a distância de corrida terá um total de 66 voltas. Por ser um traçado novo no calendário de corridas da Fórmula 1, não há recorde de volta mais rápida estabelecido.

Como alguns pilotos comentaram, uma característica marcante desse circuito é a presença de vários aclives e declives por toda a sua extensão, que geram alguns pontos cegos em certos trechos.

A corrida acontecerá no próximo domingo, dia 25, às 10h10 (horário de Brasília), e será transmitida ao vivo pela Rede Globo de Televisão.

Entrevistas disponibilizadas pela assessoria de imprensa de cada equipe.