Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – A tecnologia que quase ninguém vê

FÓRMULA 1 – A tecnologia que quase ninguém vê

934

 3 min de leitura

Fórmula 1, e a tecnologia que quase ninguém vê, está confuso? quer saber mais sobre isso? Vem comigo!

Por incrível que pareça, o carro de Fórmula 1 pode ser quase totalmente controlado pelos comandos no volante.

Alguns anos atrás, o piloto precisava manusear vários itens do carro, utilizando botões, marchas e pedais, com o avanço da eletrônica, os volantes utilizados em automóveis de F1 receberam várias inovações, um fato que excluiu muitos botões e facilitou o acesso aos recursos disponíveis.

Atualmente, os volantes possuem botões para as seguintes funções:

  • Volante de Fórmula 1
  • Troca de marcha (para cima, para baixo e neutro)
  • Limitador de velocidade enquanto o carro estiver no box
  • Impulso e ajuste do Motor
  • Controle de tração
  • Alavanca de embreagem
  • Informações sobre voltas, estado do carro e status dos companheiros de equipe
  • Informação sobre o ângulo da asa
  • Controle do sensor lambda

Todos estes itens são apenas algumas das funções que os volantes da Fórmula 1 podem executar, porém cada modelo é diferente e possui botões e um número de recursos que varia bastante.

Vale lembrar que todas as informações e ações que podem ser efetuadas pelo volante são exibidas na tela LCD (em alguns carros já são usadas telas LED) que fica no centro do volante.

Na imagem o volante da Ferrari F1 SF15 T. - Foto: Formula1.com
Na imagem o volante da Ferrari F1 SF15 T. – Foto: Formula1.com

Outro local aonde é sempre testado ano a ano tecnologias novas é no capacete, capacetes cada vez mais resistentes e de alta tecnologia.

A Fórmula 1 é uma categoria diretamente ligada a alta velocidade, chegando a incríveis 370km/h como exemplo o circuito de Baku desse ano, quando se fala em alta velocidade, logo vem à mente a possibilidade de acidentes.

Por isso, há diversas empresas que investem – e investem pesado – no quesito segurança e proteção dos automóveis e também equipamentos utilizados pelos pilotos.

Acidentes como o do piloto Felipe Massa fizeram as empresas investirem ainda mais em pesquisas para a construção e elaboração dos capacetes e das roupas dos pilotos.

Os capacetes não possuem grande tecnologia eletrônica, porém na hora de construí-los é necessário usar tecnologia de ponta para manuseio e manipulação do material empregado no capacete.

Capacete de Ayrton Senna (1992) quando pilotou a McLaren MP4/7 Honda F1. - Foto: Formula1.com
Capacete de Ayrton Senna (1992) quando pilotou a McLaren MP4/7 Honda F1. – Foto: Formula1.com

O capacete utilizado por Felipe Massa era de altíssima resistência, mas a viseira não tinha proteção, era feita de plástico. A Schuberth, empresa que fabrica os capacetes como o utilizado por Massa, passou por mudanças, após o acontecido a empresa começou a utilizar na sua linha de capacetes um disco de titânio no ponto de fixação da peça.

E muita tecnologia vem por aí, o grande laboratório de tecnologias automobilística é disparado a Fórmula 1, e por isso, nós da equipe TDT e claro amantes da categoria e fanáticos por carros de alta performance sempre estamos antenados com as mudanças e segredos da categoria para sempre trazer a vocês as melhores matérias.

Gostou da matéria? Nós acompanhe em nossas redes sociais: Facebook, Instagram e baixe o aplicativo do TDT na Google Play.

Artigo anteriorFÓRMULA TRUCK – Paulo Salustiano busca sua terceira vitória no ano em São Paulo
Próximo artigoSTOCK CAR – Disputa interna agita a luta pela liderança em Cascavel/PR