Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – Mclaren usará motores Mercedes a partir de 2021

FÓRMULA 1 – Mclaren usará motores Mercedes a partir de 2021

140
(Foto: reprodução twitter oficial @MclarenF1)

A escuderia inglesa voltará a ter parceria com a equipe alemã, alguns anos depois de terem sido companheiras no final dos anos 90 até 2014. A Renault continuará a fornecer seus motores para a Mclaren até o ano que vem.

A McLaren, decidiu encerrar um relacionamento de 20 anos com a Mercedes no final de 2014 por assinarem um contrato de trabalho com a Honda. Essa parceria rendeu grande sucesso no final dos anos 80 e início dos anos 90, mas não deu certo, desencadeando um acordo com a Renault para 2018.

O CEO da Mclaren, Zak Brown, implantou uma nova estrutura de gerenciamento, liderada pelo novo chefe da escuderia Andreas Seidl, e a equipe decidiu que a Mercedes é o caminho a seguir.

Zak, em entrevista à F1, afirmou: “Este acordo é um passo importante em nosso plano de longo prazo para retornar ao sucesso na Fórmula 1. A Mercedes é a referência, tanto em equipe quanto em uma unidade de energia, por isso é natural procurarmos garantir um relacionamento com a empresa para a próxima fase de nossa jornada. Este anúncio reflete a confiança de nossos acionistas e é uma mensagem importante para nossos investidores, nossa equipe, parceiros e fãs que estamos comprometidos em devolver a McLaren à frente do campo“.

Seidl, também se pronunciou: “2021 será um marco importante para nós, enquanto continuamos nossa luta de volta à frente, por isso é vital que tenhamos os elementos-chave em vigor agora para nos preparar para a nova era do esporte. Estamos ansiosos para renovar nosso relacionamento com a Mercedes a partir de 2021. Ao mesmo tempo, a Renault continua sendo um parceiro valioso e um concorrente formidável, e estaremos focados em continuar nossa colaboração durante o restante desta temporada e na próxima.”

A Mercedes fornecerá quatro equipes a partir de 2021. Além da McLaren (e a própria equipe alemã), Williams e Racing Point. Esta é a primeira vez que eles têm uma lista de quatro jogadores fortes desde 2016, quando forneceram a Manor. Enquanto isso, a Renault fornecerá apenas sua própria equipe de obras.

O chefe da Renault, Cyril Abiteboul, comentou a decisão da Mclaren:

Desde que nossa parceria começou, a McLaren passou da nona para a quarta posição no Campeonato de Construtores. Olhando além dos termos do contrato atual, que termina no final de 2020, era evidente que a Renault e a McLaren têm ambições diferentes para o futuro. Cada um dos diferentes elementos desta decisão foi cuidadosamente avaliado nas últimas semanas. 2021 será uma temporada crucial para todas as equipes e é importante que tenhamos uma visão precisa e clara dos pontos fortes e ambições de nossos concorrentes.

Esta decisão está alinhada com a visão da Renault de se tornar uma equipe de trabalho, com o objetivo de retornar à frente. A Renault continuará honrando seus compromissos com a McLaren Racing na próxima temporada, como sempre foi o caso em nossa longa história de motores fornecidos.”

Atualmente, a Mercedes lidera a classe na maior parte da era dos turbo-híbridos.