Início Destaque NASCAR – “Rei de Pocono”, Denny Hamlin vence a terceira na temporada...

NASCAR – “Rei de Pocono”, Denny Hamlin vence a terceira na temporada – Pocono – 2019

95
Harvick e Logano largaram na frente na estratégica corrida de Pocono . Créditos : Jared C. Tilton | Getty Images (nascar.com)

Salve salve fãs da NASCAR ! Impressionante como alguns pilotos tem a “mão” de determinadas pistas. Quem não se lembra do saudoso Ayrton Senna em Mônaco? Parece ser o caso do contestado Denny Hamlin #11 no trioval de Pocono. A 21ª etapa do campeonato foi a quinta vitória dele no circuito (recordista) e a terceira na temporada.

Na NASCAR, podemos dizer que a corrida começa nas inspeções e dessa vez nove carros foram reprovados, entre eles Austin Dillon #3 (largaria na P5), Jimmie Johnson #48 (largaria na P6) e William Byron #24 (largaria na P8). Os americanos são exigentes com o regulamento e todos esses perderam seus tempos de classificação e foram lançados ao final do pelotão. Sabemos que a categoria permite reações, mas claro que isso dificulta e torna a missão mais difícil.

Todo esportista, independente da modalidade, é impulsionado pela autoconfiança. Kevin Harvick #4 é mais um exemplo. Após a vitória na prova anterior, ele fez a pole neste fim de semana e teve mais um bom resultado (P6). Harvick confiante e embalado é nome forte para o caneco. Ao seu lado, largou Joey Logano #22, que sempre anda na ponta, e com isso, além de garantir vitórias e sua vaga nos playoffs, lidera a fase regular do campeonato. Só pra constar, ao final dessa fase classificatória, o então líder ganhará premiação, troféu e pontos importantes para serem levados para a fase “mata-mata”. A disputa está entre o atual campeão Logano e o amado e odiado Kyle Busch #18. E por falar nesse trio, foi ele que fechou na frente o pragmático primeiro segmento, com Kyle Busch liderando, seguido por Logano e Harvick.

O segundo segmento já não foi tão previsível e estático. Kyle Busch assumiu a ponta, despachando Harvick e Hamlin, e assim a disputa seguiu até que Chase Elliott #9 foi para o muro e trouxe a amarela. Dos líderes, Kyle Busch permaneceu na pista naquele momento e então veio a chuva.

Era uma garoa relevante que segurou a bandeira amarela, mas não gerou uma vermelha. Faltando cinco voltas para o final do segmento foi dada a relargada e Kyle Busch abriu mão dos pontos e foi para os pits visando a terceira e decisiva fase da corrida. O segmento fechou com Jimmie Johnson na frente. Seria um indício que o fim do jejum de vitórias estava próximo e que J.J. garantiria sua vaga? Spoiler: Não!

Iniciado o terceiro segmento, ficou evidenciado o domínio da equipe Joe Gibbs no fim de semana. Em determinado momento, os quatro primeiros colocados eram os seus carros, nessa ordem, Kyle Busch#18, Erik Jones#20, Martin Truex Jr#19. e Denny Hamlin#11. Alías, faço novamente uma menção honrosa para Jones. O garoto de 23 anos reagiu bem à pressão em torno do seu nome e vem de duas P3 nas provas anteriores e ficou com a P2 nessa etapa.

Erik Jones reagiu na temporada e encaminha vaga para os playoffs. Créditos : Torey Fox | Getty Images (nascar.com)

Mas no fim da prova, a grande questão era: E o combustível, vai dar?
Nessa situação, o piloto tem que saber tirar o pé e ao mesmo tempo não deixar de ser competitivo. A corrida virou questão de matemática e estratégia. Kyle Busch foi o primeiro a precisar do abastecimento e saiu do páreo. Faltando 19 voltas para o fim, Hamlin foi pra cima e passou Truex Jr. e Erik Jones, assumindo a ponta.
E qual seria o resultado da soma dos seguintes fatores : bandeira amarela, poucas voltas para o final da corrida, poucas etapas e poucas vagas para os playoffs? Prorrogação! Claro! E Stenhouse Jr.#17 e Kurt Busch#1 se acharam na pista (e estão se “prometendo” via twitter). O que seriam mais algumas voltas para quem já estava pilotando com as últimas gotas de combustível ??

Nas três voltas de prorrogação, Hamlin foi soberano, não deu chances para seus companheiros de equipe e cravou sua terceira vitória na temporada. O piloto do Toyota #11 já tem várias poles e vitórias na principal categoria da NASCAR, mas ainda não conseguiu nenhum título. Alguns críticos (e este colunista) o apontam como um piloto que na hora de decidir, na reta final, “entrega a rapadura”. O piloto de 38 anos calará seus críticos ao final da temporada? Já me sentirei devidamente calado se ele chegar à etapa final entre os quatro pilotos que disputam o título. Como diria aquele poeta : “Vamos aguardar.”

Denny Hamlin. Quinta em Pocono. Terceira na temporada. Créditos : Chris Trotman | Getty Images (nascar.com)

Vamos ao parágrafo dos destaques finais. Kyle Larson#42 bateu nos treinos livres, classificou com o carro reserva e largou lá atrás para chegar numa ótima P5. Está na “bolha” da tabela, mas segue vivo por uma vaga. Por outro lado, Jimmie Johnson#48, segue fora das 16 vagas e após a corrida trocou seu engenheiro chefe. Sinal de desespero? J.J. nunca ficou de fora dos playoffs desde que foi adotado esse sistema em 2004.

Faltando apenas CINCO etapas para os playoffs, a tabela de classificação está desse jeito. Na minha opinião, a “bolha” segue do 13º ao 18º.

A Monster Cup volta no próximo dia 04 de agosto no tradicionalíssimo circuito MISTO de Watkins Glen! Chance para algum “outsider” arrumar uma vitória e “roubar” uma vaga?? Até lá e viva a NASCAR!

E como diria Kal-El : “Para o alto e avante !!”