Início Destaque NASCAR – No “dia mundial da velocidade”, Truex Jr. vence as 600...

NASCAR – No “dia mundial da velocidade”, Truex Jr. vence as 600 Milhas de Charlotte – 2019

68
Emoção dentro e fora da pista foi a marca das 600 Milhas de Charlotte. Créditos: Tyler Strong | Nascar Digital Media (nascar.com)

Salve salve fãs da Nascar ! Para quem gosta de corridas, o último domingo foi aquele dia do ano especial. É o domingão que você senta no sofá, coloca as guloseimas de um lado, o copo do outro e fica com o controle da TV na mão. Afinal é o dia que temos o GP de Mônaco na F1, as 500 Milhas de Indianápolis na Indy e as 600 Milhas de Charlotte na NASCAR. Como neste espaço falamos sobre esta última, vamos nos ater então à melhor corrida do dia.

Depois da extraoficial e divertida festa do “All Star Race” no fim de semana anterior, corrida na qual Kyle Larson embolsou 1 milhão de dólares por um dia de trabalho, o campeonato da NASCAR voltou com esse “mini endurance”. Afinal, 600 milhas são quase 1000 quilômetros, percorridos entre 4 e 5 horas de corrida e com o pé cravado no assoalho. É um desafio físico e mental para os pilotos e uma prova de resistência para as máquinas. E nessa prova especial até o formato da corrida é diferente, já que são 400 voltas divididas em quatro segmentos de 100 voltas.

Na pole lá estava um dos pilotos que ainda busca sua primeira vitória na categoria, o jovem William Byron e seu Chevrolet #24. A tradicional marca realmente encontrou o caminho das pedras na temporada, mas o veloz Byron vai ter que aguardar mais um pouco.

Tenho certeza que a maioria das pessoas acreditava que até 2/3 da prova, a corrida seria administrada pelos pilotos, como em todas as corridas de longa duração. Amigos, tudo é diferente na NASCAR e o “pau quebrou” já no primeiro segmento. Ocorreram várias bandeiras amarelas, o bom Erik Jones e o querido Matt DiBenedetto ficaram rapidamente pelo caminho, o polêmico Kyle Busch mandou Ricky Stenhouse Jr. aparar a grama, Daniel Hemric espremeu o boxeador Clint Bowyer nas cordas, e sim, Martin Truex Jr, que seria o vencedor ao final das 400 voltas, teve um encontro com o muro no primeiro segmento que o levou aos boxes. Mas como vimos inúmeras vezes, essa categoria permite recuperações e reviravoltas. Esse seria o ritmo da corrida.

Após dois segmentos muito agitados e vencidos por “Bad” Brad Keselowski, um momento marcou o evento. Na segunda feira posterior à corrida, seria feriado nos Estados Unidos, o chamado “Memorial Day”, que é o dia em que são especialmente lembrados os homens e mulheres que perderam suas vidas em combates pelas Forças Armadas americanas. Nem é preciso falar sobre o sentimento de patriotismo do americano, bem como a ligação com suas Forças Armadas. Isto posto, várias homenagens foram prestadas, como os nomes de soldados falecidos nos vidros dos carros, hino nacional cantado por um militar e a mais emocionante, ao fim do segundo segmento, os carros voltaram aos boxes e os motores foram desligados para um momento de silêncio. Este “silêncio ensurdecedor” vindo dos boxes e das arquibancadas impressiona a quem está acostumado com os estádios de futebol. Mesmo não sendo americano, somos alcançados pela emoção do momento.

Carros de volta aos boxes e silêncio por aqueles que se foram em combate. Créditos : Brian Lawdermilk | Getty Images (nascar.com)

De volta para a velocidade e direto para o último segmento. Após pancada de Kyle Larson nos irmãos Austin e Ty Dillon, e um pequeno “big one”, a corrida rumava para seu fim com Truex Jr. brigando pela ponta com Chase Elliott e com o incrível Joey Logano, que não tinha aparecido durante toda a corrida para nas voltas finais dar o ar da graça e mostrar que campeonato se ganha com estratégia.

Faltando 10 voltas, Keselowski achou o muro e causou a derradeira bandeira amarela. Como de costume, ponteiros para os boxes. Nesse momento apareceram dois carros numa tentativa heróica de sucesso. David Ragan que andava no fim do pelotão não trocou os pneus e Ryan Newman trocou apenas dois para formarem a dupla na ponta do grid nas últimas voltas. Ficamos todos pensando. Vai dar? Serão os gênios da estratégia? Não! Fizeram o “bonito” em bandeira amarela, pois quando a verde foi acionada a expectativa virou frustração e ambos foram engolidos pelo pelotão.

O incrível Logano pulou na frente e parecia que seria mais uma vitória do #22. Mas apenas parecia, o ótimo Truex Jr. mergulhou faltando apenas quatro voltas e segurou o ímpeto do atual campeão, cruzando a linha 0.33 segundos na frente. Grande corrida e grande vitória do Toyota #19. Obviamente Truex Jr. é um dos candidatos ao título em 2019.

Martin Truex Jr. vence pela terceira vez na temporada. Créditos : Jared C. Tilton | Getty Images (nascar.com)

Destaques ainda para a corrida de recuperação de Ricky Stenhouse Jr. e uma boa P5 final e mais uma boa chegada de Chris Buescher na P6, tendo em vista sua modesta equipe.

O colunista segue na torcida pelo fim do jejum do hepta Jimmie Johnson #48 (que segue firme), pela recuperação do rockeiro Bubba Wallace #43 e pelo crescimento do bom chorão e passional Matt DiBenedetto #95. Força galera!

Segue a tabela com os 30 primeiros em busca das 16 vagas dos playoffs. Do 13º ao 20º, são pilotos que ficam flutuando entre zona de perigo e eliminação. A cada corrida esse grupo muda. E se alguém ali atrás achar uma vitória… Tensão para eles e diversão para nós.

A NASCAR volta neste domingo para mais uma etapa em Pocono e esta coluna irá aproveitar merecidas férias por 15 dias para engordar por aí, mas estaremos no twitter e Instagram à disposição. Até a volta e divirtam-se com a NASCAR!

E como diria Kal-El : “Para o alto e avante !!”

MELHORES MOMENTOS

SIGA A GENTE