Início As máquinas de 2019 WSBK – O que esperar da temporada WSBK 2019?

WSBK – O que esperar da temporada WSBK 2019?

472
Foto: worldsbk.com

Depois de um longo período de espera, o WSBK estará de volta este final de semana. O WSBK trata-se de um campeonato com motos produzidas em série, como Kawasaki ZX10, Ducati Panigale, Honda Fireblade, Yamaha R1 e BMW S100RR. Há rumores de que Suzuki se juntaria ao campeonato, mas por enquanto são só especulações. Por outro lado, a MV Agusta e Aprilia não estarão presentes nesta temporada.

Mas o que podemos esperar desta temporada? Quais as novidades? Que mudanças ocorreram nas equipes? A grande novidade este ano ficou por conta da “terceira corrida” no final de semana, acrescentando uma corrida em relação ao ano passado. Esta terceira corrida trata-se de uma corrida intermediária, como uma pré corrida de classificação de 10 voltas, trazendo mais disputas ao grid. Além disso, há inovações tanto nas equipes quanto nas motos e pilotos.

YAMAHA

A equipe oficial (PATA Yamaha) permaneceu com o mesmo time para 2019: #22 Alex Lowes e #60 Michael van der Mark com a moto R1. A novidade ficou por conta da equipe satélite (GRT Yamaha), trazendo dois pilotos experientes, #33 Marco Melandri, que já esteve no mundial de MotoGP e ano passado defendia a equipe Ducati de fabrica, e o piloto #11 Sandro Cortese que tem passagem pela Moto2 e atual campeão da SSP 600.

Alex Lowes e Michael van der Mark. Foto: Yamaha Racing
Sandro Cortese e Marco Melandri. Foto: Yamaha Racing
DUCATI

A grande expectativa para a equipe italiana ficou por conta da nova configuração de motor. Na temporada anterior a equipe usava o motor L2 de dois cilindros, e para 2019 veio com o motor V4, já testado em outros campeonatos antes de inseri-lo no mundial, e com o objetivo de derrotar sua principal rival Kawasaki. Outra modificação é seu novo piloto #19 Alvaro Bautista, que correu em 2018 pela Ducati satélite no MotoGP e, quando teve oportunidade de andar na equipe de fábrica, mostrou que tem potencial para brigar por pódio. O outro piloto da equipe é #7 Chaz Davies, que já é de casa.

Chaz Davies e Alvaro Bautista. Foto: Ducati Team
KAWASAKI

A mudança da marca verde japonesa foi a chegada do piloto #91 Leon Haslam, compondo o time com o tetra campeão #1 Jonathan Rea. O objetivo da equipe é manter seu legado no mundial, tanto de vitórias e como de títulos de construtores.

Jonathan Rea e Leon Haslam. Foto: Kawasaki team
BMW

Para esta temporada, a montadora apresentou a nova moto S1000RR, que promete ser bastante competitiva. Ademais, esse ano ela conta com os pilotos #66 Tom Sykes campeão em 2013 e #28 Markus Reiterberger – atual campeão da STK1000, no grid. E os dois pilotos pretendem colocar a BMW no pódio.

Tom Sykes e Markus Reiterberger. Foto: BMW Motorrad WorldSBK Team
HONDA

O que está chamando a atenção não é moto em si, pois é a mesma Honda Fireblade do ano passado, nem os pilotos, #2 Leon Camier que já estava na equipe o ano passado e o japonês #23 Ryuichi Kiyonar 3x campeão no BSB campeonato britânico, mas as três letras garrafais na sua carenagem, HRC Honda Racing Corporation, divisão de competições da Honda que, após 17 anos desde o título com o piloto norte-americano Colin Edwards em 2002, quer resgatar o prestigio da marca, em parceria com a Moriwaki Althea.

Leon Camier e Ryuichi Kiyonar. Foto: Moriwaki Althea Honda Team

E é isso! Eu sou Fabrício Barbosa e falamos um pouco do que esperar da temporada 2019 do WSBK. Portanto, fique atento aqui no TDT para saber mais sobre os horários, resultados e tudo do mundial de Superbikes e do mundo da velocidade. Me siga também nas outras redes sociais:

https://instagram.com/ToqueRacing
https://twitter.com/ToqueRacing
https://www.facebook.com/ToqueRacingOficial