Início Moto GP MOTO GP – Corridas Intensas – GP da Alemanha – 2018

MOTO GP – Corridas Intensas – GP da Alemanha – 2018

775
Um domingo para lembrar com muita saudade

Chegamos à nona etapa do campeonato da Motovelocidade em 2018. Como aguardado, o GP da Alemanha em Sachsenring deixará muita saudade. Todos que acordaram 5h45 da manhã para acompanhar a Moto3, Moto2 e MotoGP não se arrependeram da decisão.

Moto3
Fonte: twitter/@88jorgemartin

Na categoria de entrada, depois de nova pole na carreia, o espanhol #88 Jorge Martin venceu a corrida e agora lidera o campeonato com 130 pontos.

Na segunda posição da corrida chegou o italiano #12 Marco Bezzecchi que também termina a primeira parte do campeonato na vice liderança com 123 pontos.

Em terceiro na prova o britânico #17 John McPhee.

Resumidamente a prova da Moto3 foi o que esperávamos, muito competitiva com vários tombos e uma disputa incessante pela primeira posição com várias trocas de pilotos na P1 durante 80 % da corrida.

Bezzecchi, Arbolino, Ramirez, Arenas, Di Giannantonio e McPhee travaram nervosas disputas contra Martin e alternaram com o espanhol a busca pela primeira posição até 12 minutos para o final.

Neste momento, na entrada da curva 1 Di Giannantonio, que estava na P2 e tentava ultrapassar Martin, passa na linha branca e colide com Martin caindo e quase levando o ponteiro junto, que escapa mas desce para 4ª posição.

Três voltas depois Martin chega em Bezzecchi e passa novamente para ponta. Martin começa a abrir vantagem para Bezzecchi, faltando duas voltas a diferença estava em 2 segundos.

Moto3 termina com Martin, Bezzecchi e McPhee no top3. A classificação após a corrida ficou assim de acordo com www.motogp.com:

Fonte: www.motogp.com
Moto2

Na categoria de acesso para MotoGP conhecemos hoje um vencedor inédito, o sul africano da KTM #41 Brad Binder que teve uma das melhores corridas da sua vida.

Fonte: twitter/@motogp

O top3 antes da largada era formado por Pasini, Marini e Bagnaia. Binder largava na p10. Apagaram-se as luzes vermelhas e Pasini é ultrapassado por Marini e Bagnaia. O brasileiro Eric Granado cai da p27 para p29.

Na segunda volta Pasini cai na curva 12 e quase leva Bagnaia junto, que no susto escapa mais desce para p25. O italiano vai para casa mais cedo. Na volta seguinte é Baldassarri quem deixa a corrida após queda.

Faltando 25 voltas para terminar e o top3 estava formado com Marini, Mir e Binder. Na volta seguinte Mir passa Marini no fim da reta e assume a ponta.

Nada mal para estreante na categoria que está só de passagem pois tem contrato assinado com Suzuki na MotoGP para 2019.

Nagashima caiu na curva 3 quando faltavam 23 voltas e neste momento a briga era intensa entre Alex Márquez e Miguel Oliveira, o português companheiro de Binder na KTM.

Faltando 20 voltas para terminar existiam dois pelotões distintos brigando muito: Mir, Marini e Binder, no outro pelotão Schrotter, Lowes e Oliveira. Cai Danny Kent na curva 13.

Na volta seguinte, Binder passa Mir e assume a P1. Oliveira passa Lowes e assume p5. Os dois pilotos da KTM estavam endiabrados hoje.

Quando faltavam 13 voltas, Marini passa Mir e assume a P2  no final da reta. Suas voltas depois Oliveira passa Schrotter e assume P4.

Mir passa Marini faltando 11 voltas para terminar e assume a P2.

Faltando 7 voltas para o final Bagnaia que largou na P3, se envolveu na queda de Pasini, desceu para P25 faz corrida de recuperação e está na p15 nesse momento. Na volta seguinte passa Aegerter e assume p14.

Com 4 voltas para o final Oliveira se aproxima de Marini enquanto Mir se aproxima de Binder. Essa dupla pressão foi intensa até o final da prova, mas o resultado não se alterou.

Vitória de Binder, com Mir em segundo, Marini em terceiro e Oliveira em quarto. A volta das férias promete briga muito acirrada entre esses pilotos.

Classificação final de acordo com www.motogp.com:

Fonte: www.motogp.com
MotoGP

Quem será que venceu na Alemanha? Essa é fácil de responder: Marc Márquez… de novo pela 9ª vez. Pode isso Arnaldo?

Fonte: twitter/@marrcmarquez93

Segundo vimos pode sim, não brinquem com o formiga atômica. Quer saber como eu vi essa façanha? Vamos lá.

Fonte: twitter/@hrc_motogp

Largada, primeira fila com Márquez, Petrucci e Lorenzo = Lorenzo na frente antes da primeira curva. Lorenzo é um excepcional “largador” e não foi diferente dessa vez.

Lorenzo e Petrucci com seus foguetes Ducati passam Márquez e o doutor Rossi tenta a mesma proeza, porém Márquez estava esperto e ficou com a p3.

Faltando 28 voltas Crutchlow passa Viñales assumindo a P5 enquanto Rins e Pol Espargaró abandonam. Duas voltas depois Márquez passa Petrucci enquanto Lorenzo abre dos dois uma pequena distância.

Nakagami cai na curva 13 faltando 25 voltas quando Márquez marcava a melhor volta e se aproximava de Lorenzo. Na volta seguinte Petrucci marca a melhor volta porque Rossi se aproximava.

Faltando 22 voltas Rossi passa Petrucci assumindo a P3. Volta seguinte e Crutchlow cai na curva 12. Márquez quer a P1 de Lorenzo de qualquer maneira.

A pressão de Márquez sobre Lorenzo dá resultado. Depois de um erro de Lorenzo onde Márquez quase passa, na entrada da reta, faltando 17 voltas, o formiga atômica recupera a primeira posição.

Faltando 15 voltas Rossi já aparecia na frente de Lorenzo que pela escolha errada do pneu dianteiro perde rendimento a cada volta nas frenagens.

Ainda temos 13 voltas quando Márquez começa a sumir na pista aproveitando sua escolha de pneus com configuração mais dura. Enquanto isso Rossi e Lorenzo continuam brigando pela P2. Lorenzo passa nas retas e Rossi retoma nas freadas. Faltando 11 Rossi marca a melhor volta.

Quando faltavam 10 voltas Márquez já estava 1.2″ na frente de Rossi. Lorenzo, Petrucci, Dovizioso, Bautista, Viñales, Zarco, Pedrosa e Smith fechavam o top10.

Faltando 7 voltas Márquez abria 2.4″ de Rossi e Petrucci chegava em Lorenzo. Lorenzo é vencido por seus pneus. Faltando 5 voltas Petrucci passa para P3. Viñales também passam pelo #99.

Faltando 4 voltas Marc Márquez deixa Rossi 3″ para trás. Na volta seguinte Bautista passa Lorenzo ao escorregar na curva 1 e assume a P4. Briga de momento entre Viñales e Petrucci, melhor para o espanhol na curva 13 que assume a P3.

Última volta aberta e fechada por ele, Marc Márquez. O GP da Alemanha é dele pela 9ª vez. Pode pedir música 3 vezes. Termina a primeira parte do campeonato na liderança com 165 pontos, seguido de Valentino Rossi com 119 e Maverick Viñales com 109.

Segue a classificação final da corrida de acordo com www.motogp.com:

Fonte: www.motogp.com

Férias merecidas para toda essa turma. Próximo encontro na República Checa em 5 de agosto de 2018. Até lá pessoal.

No Twitter estou em @gilsonrc e no @tomadadetempo

Gilson Roberto Costa

“Professor, Analista de Sistemas, apaixonado pela esposa e filhos e um grande torcedor dos esportes de velocidade. Uma pessoa de bem com a vida que gosta muito de conversar e entender a natureza humana” – Gilson é um parceiro/colunista voluntário do Tomada de Tempo e escreve sobre as mais diversas categorias de esporte a motor no Brasil e no Mundo!