Início Bate-Papo nas Pistas BATE PAPO NAS PISTAS – Único brasileiro no grid do DTM conheça...

BATE PAPO NAS PISTAS – Único brasileiro no grid do DTM conheça Augusto Farfus – 2017

67

Buscando completar a missão de apresentar a vocês os melhores pilotos do automobilismo mundial, retorno para a nova temporada do Bate Papo nas Pistas. Considerado por todos um piloto excepcional, tive o prazer de bater um papo nessa tarde com Augusto Farfus, o único representante brasileiro no grid do DTM.

Augusto Farfus momentos antes da largada do DTM – Foto: BMW Motorsport

Iniciando sua carreira de forma meteórica, logo aos seis anos o piloto já começava a decorar sua sala de troféus. Sobre as duas rodas, o paranaense conquistou seu primeiro campeonato de motovelocidade, período que também o credenciou como o menino da moto mágica.

Um ano depois, Farfus descobriu a sua verdadeira paixão: o kart e sem pensar duas vezes, começou a dominar os campeonatos paranaenses, participando também de várias competições nacionais.

Farfus iniciava sua adolescência sendo tricampeão paulista de kart, até que aos 16 anos, se mudou para a Europa, onde deixou o kart para se dedicar a competições nos monopostos.

Disputando os campeonatos europeu e italiano de Fórmula Renault, o paranaense conquistou o título de Campeão Europeu e logo depois o Campeonato Europeu de F-3000, tornando-se o piloto mais jovem da história a vencer o campeonato.

Em 2004, estreou no WTCC (Campeonato Mundial de Turismo) como piloto oficial da Alfa Romeu, time que defendeu até o ano de 2006 quando passou a integrar a equipe oficial da BMW.

Nesse período, defendendo as cores de sua equipe no WTCC, o piloto venceu duas vezes as 24 Horas de Nürburgring, porém no ano de 2010 a montadora encerrou suas atividades na categoria, apresentando para Farfus o campeonato alemão de turismo, o famoso DTM.

Recentemente, o piloto participou de mais um enduro em sua carreira e após um tempo conversando sobre as 24 Horas de Daytona, desafio que Farfus teve a honra de conduzir a 19ª edição do Art Car da BMW, pintado pelo artista norte-americano John Baldessari, iniciei perguntando qual foi sua maior dificuldade na Florida, lembrando que a prova foi marcada por muita chuva e várias bandeiras amarelas.

“O desgaste é muito grande, você dorme pouco e existiu a tensão de guiar na chuva o que acaba exigindo ainda mais do piloto”.

“Foi um momento tenso, onde a gente queria manter o ritmo e recuperar o tempo, nosso carro na pista seca não era tão rápido quanto era na pista molhada”.

“As 24 horas de Daytona foi talvez uma das mais difíceis dos últimos anos, em função das quase dez horas de chuva. Esses desafios que fazem das 24 Horas de Daytona, uma corrida tão especial!”.

Além do enduro na Florida, dentre os feitos do piloto, podemos mencionar várias vitórias importantes, uma das mais especiais para Augusto Farfus, aconteceu no retorno da BMW as 24 Horas de Nürburgring. Quando o piloto a bordo de uma BMW M3 GT2 conquistou a vitória em uma das provas de longa duração mais difíceis do automobilismo mundial. Farfus continuou me contou um pouco sobre essa prova e seu amor pelo enduro.

“Nürburgring como você mesmo disse, é uma das pistas, se não a mais desafiadora do mundo, poder vence-la foi uma emoção única. É difícil marcar apenas uma corrida de longa duração, sem dúvida nenhuma minha vitória nas 24 Horas de Nürburgring com a M3 GT2 foi muito especial”.

“Eu gosto das corridas de longa duração pelo fato de você ter que trabalhar em conjunto, com os engenheiro, companheiros de equipe onde você divide o carro. Existe todo um trabalho em equipe que faz toda a diferença. É isso que me fascina, eu gosto muito das 24 Horas”.

Depois de uma pequena parada nos boxes para reidratação, voltamos, porém dessa vez o assunto foi as mudanças no regulamento técnico para a próxima temporada do campeonato alemão de turismo. Farfus me contou um pouco sobre as mudanças e suas expectativas para essa temporada no DTM.

“Com a reestruturação do DTM, irei dividir os boxes com o Wittmann e também com o Timo Glock, o que é muito bom, é muito bom se comparar e ter como referência o atual campeão”.

“A equipe RMG é muito profissional, já venceu dois campeonatos no DTM, o lado que pode se considerar “negativo” será que recomeçarei do zero, nova equipe, novos mecânicos, novos engenheiros”.

Farfus inúmeras vezes mencionou que se considera um piloto realizado por estar no DTM, porém em sua adolescência, o piloto por um tempo cultivou o sonho de um dia estar no grid da principal categoria do automobilismo mundial. Perguntei se existe uma possibilidade futura de vê-lo em outras categorias ou até mesmo pilotando em pistas brasileiras.

“Porque não participar de outras categorias? É sempre bom ter experiências novas. Quando tem a corrida dos convidados no Brasil sempre divido o carro com o Rubinho na Stock Car”.

“A Stock Car é uma categoria fantástica, com um nível altíssimo dos pilotos e extremamente disputada. Acompanho de perto, quem sabe no futuro eu não vá dar as caras na Stock Car”.

“Hoje me sinto realizado no DTM, mas que no DTM na BMW. Participo de todos os programas que a montadora faz e para mim isso é um ponto muito importante na minha carreira, ter essa ligação próxima com BMW. No momento meu foco é na BMW, dando sequência nesse trabalho de mais de 10 anos”.

Em todos esses anos de carreira, muitos pilotos iniciantes tem o paranaense como ídolo e também inspiração, pedi a ele que com toda sua experiência, apresentasse seus conselhos a nova geração de pilotos.

“Antes de mais nada, ele tem que ter certeza que é isso que ele quer, que é isso o sonho dele, como eu disse é um mundo muito duro e sacrifícios precisam ser feitos na carreira de um piloto. O automobilismo é um mundo muito cruel, que nem sempre o talento abre portas”.

“Quando encontro um menino que está começando, eu sempre tento passar que antes de mais nada, ele precisa ter paixão pelo esporte, muitos quando começam a correr tem paixão pelo carro e são dois mundos totalmente diferentes”.

“Tenho muito orgulho e sou muito abençoado em poder viver do meu sonho. Eu tenho paixão pelo esporte a motor, é um esporte fantástico, quem gosta sabe o que eu estou dizendo”.

Com os conselhos do piloto, finalizo o nosso bate papo agradecendo ao Augusto que concedeu um espaço em sua agenda, fazendo assim parte do nosso time de estrelas no Bate Papo nas Pistas. Meu muito obrigado a Mariana Veigas que também foi importantíssima para o sucesso desse bate papo.

E você, gostou do nosso Bate Papo? Gostaria de conhecer mais sobre o piloto? Então siga em suas redes sociais: Facebook, Instagram e fique por dentro de todas as novidades de Augusto Farfus no DTM.

Tomada de Tempo, aqui a sua noticia é pole position.