Início Stock Car STOCK CAR – Resultado Final – 8ª Etapa – Londrina/PR – 2016

STOCK CAR – Resultado Final – 8ª Etapa – Londrina/PR – 2016

102
Foto: Fabio Davini - Vicar - Fotos Públicas
Foto: Fabio Davini – Vicar – Fotos Públicas

O limiar entre a juventude e a experiência! Assim podemos resumir a 8ª Etapa de 2016 da Stock Car em Londrina/PR, que recebeu o público após 4 anos de ausência no calendário e proporcionou a todos um SHOW de altíssimo nível! Desde os treinos classificatórios, tudo já indicava uma etapa muito acirrada e com muita emoção, e os pilotos/equipes não deixaram barato e fizeram o seu melhor!

CORRIDA 1

Na primeira prova, não deu para pole Max Wilson e nem para Cacá Bueno (2º lugar no grid). A grande fase e o alto nível de Felipe Fraga dominou tudo! Fraga, que venceu a Corrida do Milhão e recebeu o Trofeu Mobil de Melhor Ultrapassagem no sábado, faturou mais uma e disparou na liderança do campeonato.

Foto: Fabio Davini - Vicar - Fotos Públicas
Foto: Fabio Davini – Vicar – Fotos Públicas

Após a largada, o piloto da CIMED foi logo para cima de Cacá Bueno, após várias trocas de posições, Felipe definiu a ultrapassagem e partiu para cima de Max Wilson! Sabe aquele estilo “faca no dente”? Com uma ótima estratégia de uso dos botões de ultrapassagem, passou Max e conseguiu abrir vantagem segura para não ser mais incomodado.

“A gente conseguiu fazer uma estratégia diferente com o push, e eu conseguia usar a cada uma volta e meia em vez de esperar duas. Com isso a gente conseguiu se livrar logo no começo e estou muito feliz. Foi irado. São 30 pontos a mais na conta e esse era o nosso objetivo”, afirmou o piloto da Cimed Racing.

Cacá Bueno, após ser ultrapassado por Fraga, foi perdendo posições para Valdeno, depois Ricardinho, Marcos Gomes. Em seguida ainda permitiu que Serginho Jimenez (em mais uma prova espetacular) e Rubinho o ultrapassasse. O filho do Galvão acabou apenas em 7º lugar. Já Max Wilson vinha em segundo e parecia que aguentaria a pressão de Valdeno, Ricardo Maurício e Marquinhos que vinham voando atrás do piloto da Eurofarma-RC. Mas o azar, grande azar reinou e tirou o doce da boca de Max Wilson! Com um pneu furado na penúltima volta, além de perder a prova, também dava adeus à vice-liderança do campeonato.

Porta aberta, quem aproveitou foi o Expresso da Paraíba, Valdeno Brito! O piloto mora em Londrina desde 2006 e para a torcida, foi como um piloto da casa e fizeram a festa! Garantiu a segunda posição e somou pontos importantes. Mas não foi fácil segurar Ricardinho que combateu com força, porém não foi tão efetivo e fechou o pódio.

“Deu tudo certo. O retorno a esta pista valeu muito a pena pelo esforço de todos os envolvidos para que a Stock Car voltasse a Londrina. Espero que agora continue por mais vários anos: é bom para a cidade, para a categoria, todos os pilotos gostam, e fico muito feliz com a prova. Foi bem difícil a corrida, ali segurando o Ricardinho, e no final com o carro faltando um pouco de tração, ficando traseiro, mas graças a Deus depois de muitas situações complicadas e as vezes em que quase me vi rodando, Deus abençoou e consegui conquistar este segundo lugar. Andar ali na frente não foi fácil” – Valdeno Brito

Gomes, Jimenez, Barrichello, Cacá, Diego Nunes, Raphael Abbate e Nestor Girolami fecharam o TOP 10. Estes foram os que definiram o grid invertido na prova #2. Veja o resultado completo da corrida #1:

1º #88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – 36 voltas em 46min18s116 (média de 142,5km/h)
2º #77 Valdeno Brito (TMG Racing) – a 1s995
3º #90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 2s824
4º #80 Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 3s604
5º #73 Sergio Jimenez (Cavaleiro Sports) – a 15s511
6º #111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 18s953
7º #0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 22s119
8º #70 Diego Nunes (União Química Racing) – a 23s609
9º #26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 34s083
10º #63 Nestor Girolami (Eisenbahn Racing Team) – a 40s006
11º #28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 41s092
12º #74 Popó Bueno (Cavaleiro Sports) – a 41s763
13º #18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 52s238
14º #51 Átila Abreu (Shell Racing) – a 53s733
15º #21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 55s096
16º #25 Tuka Rocha (RZ Motorsport) – 1min06s063
17º #9 Guga Lima (TMG Racing) – a 1min07s185
18º #56 Danilo Dirani (RZ Motorsport) – a 1min12s126
19º #110 Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – a 1 volta
20º #29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 1 volta
21º #3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 2 voltas
22º #65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 3 voltas
23º #5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 9 voltas
NÃO COMPLETARAM
24º #46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 12 voltas
25º #83 Gabriel Casagrande (C2 Axalta Racing) – a 23 voltas
26º #12 Lucas Foresti (Full Time-ProGP) – a 28 voltas
27º #10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 30 voltas
28º #4 Julio Campos (C2 Axalta Racing) – a 31 voltas
29º #8 Rafael Suzuki (Vogel Motorsport) – a 35 voltas
MELHOR VOLTA: Marcos Gomes, 1min12s290

CORRIDA 2

Na corrida 2, grid invertido e os 10 primeiros foram: Nestor Girolami, Raphael Abbate, Diego Nunes, Cacá Bueno, Rubens Barrichello, Sergio Jimenez, Marcos Gomes, Ricardo Mauricio, Valdeno Brito e Felipe Fraga. Com a necessidade de parada nos boxes dos ponteiros, que certamente deram prioridade à prova #1, quem acabou dando as caras foram pilotos como Allam Khodair, Átila Abreu e Thiago Camilo, que fizeram suas paradas na primeira corrida.

Foto: Fernanda Freixosa - Vicar - Fotos Públicas
Foto: Fernanda Freixosa – Vicar – Fotos Públicas

Nestor Girolami da Eisenbahn Racing Team até segurou a ponta por algumas voltas, mas acabou fora da prova. Rubens Barrichello que largou em 5º começou a ganhar posições. Já na 2ª volta, com a entrada do carro de segurança para retirada do carro de Lucas Foresti, toda estratégia definida antes da prova foi por terra. Vários pilotos decidiram entrar nos boxes para abastecimento. Mas Rubinho manteve-se firme e com a mente concentrada na economia de combustível!

Passadas algumas voltas quem começou a incomodar o campeão de 2014 foi o próprio companheiro, grande Allam Khodair! Mas rapidamente chegaram Átila Abreu, Thiago Camilo e Vitor Genz para a disputa, iniciando uma disputa maravilhosa entre eles e Khodair. Desta forma, Rubinho respirava mais tranquilo na ponta. Mas para premiar em definitivo a estratégia de Barrichello, tivemos outro safety car (Rafael Suzuki rodou na pista). Claro, a vantagem conquistada na pista virou pó, mas por outro lado, era mais uma chance de economizar gasosa e talvez conseguir terminar a prova sem entrar para os boxes.

Após a relargada, o grupo com Khodair, Abreu, Camilo e Genz continuou “se matando” e assim Rubinho abriu vantagem novamente e GARANTIU uma vitória FANTÁSTICA, onde a experiência e estratégia reinaram! Logo atrás, Átila Abreu conseguiu ultrapassar Allam Khodair, que também foi vencido por Genz, Camilo e Zonta. Khodair acabou apenas em 6º, mas valeu cada minuto da corrida! Átila tirou a “urukubaka” e somou belos pontos em um campeonato que não tem conquistado muita coisa. Com a ultrapassagem de Vitor Genz sobre Camilo na reta de chegada, o piloto Gaúcho conquistou um MERECIDO pódio após 22 anos sem a presença de um piloto gaúcho no TOP 3 (Desde 1994 com João Campos). Thiago Camilo e Zonta fecharam o TOP 5.

Foto: Fabio Davini - Vicar - Fotos Públicas
Foto: Fabio Davini – Vicar – Fotos Públicas

Parabéns MESMO ao Rubens Barrichello e a equipe – com direito a “sambadinha” e tudo! Claro, as entradas de safety car foram determinantes, mas corrida também tem sorte e momento além da categoria e desempenho. Sabemos disso! Para uma primeira vez “pisando” no solo sagrado de Londrina, o ex-F1 fez bonito e mandou muito bem!

“Foi no desespero. Com certeza, a equipe Full Time, o Mauricio e as entradas do safety car – isso a gente não pode negar -, além de ter economizado na primeira corrida tanto pneus, push e gasolina maximizaram as nossas chances. Mas a última volta foi uma das quais eu senti mais medo na minha carreira. É aquela lei da atração, que você não quer chamar uma coisa ruim, mas fica esperando que o carro vá dar uma falhada. Eu até usei um último push na chegada porque se eu estivesse mais rápido pelo menos eu passava pela bandeirada. Realmente agradeço a Londrina por todo o carinho e volto para São Paulo com o dever cumprido. Foi minha primeira vez em Londrina, adorei e estamos lutando pelo campeonato, o que é importante!” – Rubens Barrichello

O gaúcho Vitor Genz, assim como Valdeno na prova #1, era o mais emocionado no pódio: “A gente largou mais de trás e nos preparamos para essa segunda corrida. Acho que consegui fazer uma prova muito boa. Meu chefe de equipe, o Carlos Alves, sempre diz para eu ser bem agressivo. Eu vi a oportunidade e consegui a duas curvas do final caçar este pódio. Estou muito feliz, dedico isso à minha namorada, meu pai, minha família e minha equipe”.

Max Wilson que tinha tudo para sair muito bem de Londrina, além de não completar a prova #1, chegou apenas em 9º na prova #2. Fraga, vencedor da prova 1, terminou em 12º, mas somou pontos suficientes para manter-se bem na liderança da temporada. Júlio Campos infelizmente não conseguiu terminar ambas as provas.

Resultado da corrida #2:

1º #111 Rubens Barrichello (Full Time) – 22 voltas em 31min33s899 (média de 127,7 km/h)
2º #51 Átila Abreu (Shell Racing) – a 1s762
3º #46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 2s192
4º #21 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 2s693
5º #10 Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 2s797
6º #18 Allam Khodair (Full Time Sports) – a 3s187
7º #5 Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 4s779
8º #90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 7s566
9º #65 Max Wilson (Eurofarma RC) – a 9s702
10º #80 Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 9s778
11º #70 Diego Nunes (União Química Racing) – a 10s143
12º #88 Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 10s814
13º #73 Sergio Jimenez (Cavaleiro Sports) – a 11s471
14º #77 Valdeno Brito (TMG Racing) – a 11s639
15º #0 Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 11s673
16º #25 Tuka Rocha (RZ Motorsport) – a 12s544
17º #3 Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 25s066 (punida)
18º #26 Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 5 voltas
NÃO COMPLETARAM
19º #9 Guga Lima (TMG Racing) – a 8 voltas
20º #8 Rafael Suzuki (Vogel Motorsport) – a 9 voltas
21º #28 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 10 voltas
22º #63 Nestor Girolami (Eisenbahn Racing Team) – a 12 voltas
23º #56 Danilo Dirani (RZ Motorsport) – a 14 voltas
24º #110 Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – a 14 voltas
25º #74 Popó Bueno (Cavaleiro Sports) – a 15 voltas
26º #29 Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 17 voltas
27º #4 Julio Campos (C2 Axalta Racing) – a 20 voltas
28º #12 Lucas Foresti (Full Time-ProGP) – a 21 voltas
29º #83 Gabriel Casagrande (C2 Axalta Racing) – a 20 voltas (excluído)
MELHOR VOLTA: Max Wilson, 1min13s137

CAMPEONATO

Com a prova de Londrina/PR tivemos uma reviravolta na classificação geral! Claro, Fraga segue intocável com 196 pontos. Max Wilson com a péssima prova #1, cai de 2º para 5º. Cacá Bueno com 2 resultados ruins (7º e 15º) despenca também! E abrem brechas para quem mandou super bem em Londrina: Rubinho assume a vice-liderança com 157 pontos, seguido de Valdeno Brito com 147. Gomes, atual campeão é o 4º com 136. Veja o TOP 10:

Felipe Fraga – 195
Rubens Barrichello – 157
Valdeno Brito – 147
Marcos Gomes – 136
Max Wilson – 135
Diego Nunes – 127
Cacá Bueno – 122
Daniel Serra – 118
Allam Khodair – 112
Vitor Genz – 110

GALERIA DE FOTOS

Vejam alguns cliques do final de semana nas lentes de Fernanda Freixosa, Fábio Davini e Duda Bairros (todos da VICAR / Fotos Públicas):

PRÓXIMA ETAPA

Daqui 3 semanas, em 16 de outubro de 2016, a Stock Car retorna às pistas para a 9ª etapa em CURITIBA/PR (Na verdade Pinhais/PR). Claro, nós do TOMADA DE TEMPO, estaremos lá, minuto a minuto. Veja o calendário completo!