Início Fórmula Truck FÓRMULA TRUCK – Etapa desse domingo teve uma dose extra de emoção...

FÓRMULA TRUCK – Etapa desse domingo teve uma dose extra de emoção e muita chuva em Tarumã – 2016

41

Após um sábado de muita chuva e bem tenso em Tarumã, era de se esperar um domingo “talvez” mais ameno, é amigos, mas não foi bem assim.

A tentativa de um domingo mais ameno, foi porque o pessoal da segurança durante a noite de ontem, até tentou usar um desengraxante para limpar a pista, impregnada por produtos utilizados nas provas de arrancada, produtos que ajudam a pista no seco, porém no piso molhado a pista fica realmente muito escorregadia, o literal sabão, mas sem sucesso.

Com a chuva que caiu hoje pela manhã todo trabalho dos amigos da segurança foi “lavado” pela água e o Warm up de hoje de manhã deu o gostinho – amargo – aos pilotos de como estaria a pista logo mais à tarde para a largada.

Wellington Cirino levou a primeira colocação no warm up dessa manhã, e como mencionado por Pachenki e os outros pilotos a pista está muito escorregadia e perigosa.

O piloto paranaense levou a vitória em Tarumã. – Foto: Luciana Flores.

E com chuva ou sem chuva o show tem que continuar, mas temos que concordar que com chuva ofusca sim o espetáculo, e hoje em Tarumã, – para abrilhantar o dia chuvoso – tivemos o pessoal da equipe Só Zerinho fazendo uma participação no evento, fazendo manobras para o público, que mesmo com muita chuva compareceu em peso no Autódromo de Tarumã.

E assim foi até o início da etapa de Tarumã, e ainda com muita chuva foi dada a largada da sétima etapa da Fórmula Truck com o Pace Truck na pista.

Pace Truck pilotado pela Thais Fontoura nos boxes, começava a corrida, Pachenki já largava “babando” atrás de Felipe Giaffone.

E já na segunda volta de corrida o primeiro toque, o monstro Djalma Fogaça entrou por dentro, Pedro Muffato acabou não vendo o Monstro e acabaram se tocando, com esse toque Pedro Muffato acabou atravessado na pista e Luiz Lopes que estava vindo atrás acabou acertando o caminhão de Pedro.

Luiz Lopes foi para os boxes para avaliar as avarias em seu caminhão, e com isso o Pace Truck novamente voltava para a pista já que o bruto de Pedro Muffato estava em uma posição perigosa.

Novamente a relargada, Giaffone de lado entrava nas curvas para defender a posição, já Pachenki extremamente agressivo, buscava a todo custo uma oportunidade para assumir a primeira colocação.

Diogo Pachenki levou a sua primeira vitória na molhada e fria pista de Tarumã. - Foto: Luciana Flores.
Diogo Pachenki levou a sua primeira vitória na molhada e fria pista de Tarumã. – Foto: Luciana Flores.

E a briga continuou firme, e em todas as voltas, Pachenki atacando lado a lado no radar com Giaffone porém sem sucesso, no meio dessa briga Alex Fabiano entrava nos boxes com problemas no motor.

Entravamos ai na última volta da primeira parte da etapa de Tarumã, quando Pachenki, mostrando toda sua experiência e ousadia, jogou de lado com Giaffone e passou na frente no radar e assim levou a primeira parte da prova.

Confira como ficou o resultado da primeira parte da etapa de Tarumã:

1º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes), 11 voltas em 27:58.341 (média de 63.9 kmh)
2º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen), a 0.010
3º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen), a 1.873
4º) 88 – Beto Monteiro (Iveco), a 2.263
5º) 35 – David Muffato (MAN), a 2.598
6º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes), a 2.771
7º) 60 – Wellington Cirino (Mercedes), a 3.107
8º) 72 – Djalma Fogaça (Ford), a 3.591
9º) 15 – Roberval Andrade (Iveco), a 4.196
10º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen), a 6.397
11º) 83 – Regis Boessio (Volvo), a 7.445
12º)   1 – Leandro Totti (Volvo), a 10.800
13º) 53 – Ronaldo Kastropil (Ford), a 19.749
14º) 99 – Luiz Lopes (Iveco), a 55.258
15º) 333 – Alex Fabiano (Volvo), a 4 voltas

A melhor volta ficou com Leandro Totti com o tempo de 1:31.263.

Pace Truck de volta nos boxes e foi feita a relargada para a segunda parte da etapa de Tarumã, Salu na curva do Laço escapou mas voltou, perdendo apenas uma posição.

Logo após, Davi Muffato e Beto Monteiro ficaram lado a lado, Davi Muffato acabou acertando a traseira de Beto Monteiro, sem abandonos apenas danos na carenagem, já no pelotão da frente Pachenki abria vantagem do segundo colocado Felipe Giaffone.

Davi Muffato estava em quarto Salu em quinto quando ocorreu outro toque entre os dois, faltou espaço e Salu levou a melhor, subindo para a quarta posição.

Entra curva e sai curva os brutos de lado, muitos toques e esfregões entre os pilotos, e na primeira posição Pachenki abria vantagem de Giaffone e se desenhava como vencedor da etapa.

No detalhe Pachenki na pista molhada de Tarumã. - Foto: Luciana Flores
No detalhe Pachenki na pista molhada de Tarumã. – Foto: Luciana Flores

A doze minutos para o fim, o Monstro subiu para a quinta colocação, e continuava a troca de tinta entre os pilotos durante toda a etapa.

A cinco minutos de terminar Djalma, mergulhou malandramente e ultrapassou Davi Muffato e Salustiano, e mais trocas de tinta, porque esbarrar no amiguinho na etapa de Tarumã era quase um pré requisito para estar na pista rs.

A três voltas do fim da etapa, Davi Muffato acaba escapando – quase beija a barreira de pneus – e perde todas suas posições, logo após Salu recuperou a posição de Djalma.

Fogaça acabou perdendo rendimento e foi ficando pelo grid, lá na frente nada nem ninguém tirava a diferença de Giaffone para Pachenki, e com 13s de diferença, o piloto paranaense Diogo Pachenki, levou o primeiro lugar no pódio a sua primeira vitória na Fórmula Truck, dia que será sempre marcado na história do piloto.

Confira como ficou o resultado da segunda parte, e final da etapa de Tarumã:

1º) 80 – Diogo Pachenki (Mercedes), 18 voltas em 28:30.745 (média de 56.5 kmh)
2º)   4 – Felipe Giaffone (Volkswagen), a 13.197
3º) 55 – Paulo Salustiano (Mercedes), a 15.485
4º) 60 – Wellington Cirino (Mercedes), a 16.444
5º) 83 – Regis Boessio (Volvo), a 17.597
6º) 88 – Beto Monteiro (Iveco), a 17.908
7º) 15 – Roberval Andrade (Iveco), a 18.619
8º) 35 – David Muffato (MAN), a 19.856
9º)   8 – Adalberto Jardim (Volkswagen), a 44.158
10º)   7 – Débora Rodrigues (Volkswagen), a 44.541
11º) 72 – Djalma Fogaça (Ford), a 54.127
12º) 53 – Ronaldo Kastropil (Ford), a 54.852
13º) 99 – Luiz Lopes (Iveco), a 1:07.045
14º)   1 – Leandro Totti (Volvo), a 17 voltas

Visivelmente emocionado e feliz, Pachenki fala sobre a sua vitória em Tarumã:

E complementando o que eu disse anteriormente, a etapa de Tarumã foi realmente um divisor de águas na temporada 2016, Pachenki vinha mal nas últimas etapas, e com a vitória de hoje chegou a 230 pontos no campeonato, reacendendo as chances no campeonato já que nas próximas duas etapas os pilotos devem cumprir o descarte obrigatório proposto no regulamento da categoria.

A próxima etapa acontece no Autódromo de Cascavel, cidade do vencedor de hoje, situado no Oeste do meu lindo Paraná.