Início Fórmula 1 FÓRMULA 1 – Resultado Final – Deu Lewis Hamilton – GP do...

FÓRMULA 1 – Resultado Final – Deu Lewis Hamilton – GP do Japão – 2015

52
Foto: Studio Colombo / Pirelli / Fotos Públicas
Foto: Studio Colombo / Pirelli / Fotos Públicas

Resultado Final – GP do Japão – 2015 – E nesta madrugada de sábado para domingo (27/09/2015), com transmissão COMPLETA pela Rede Globo, tivemos o GP do Japão de Fórmula 1. A pole position de Rosberg, como já havia dito, caiu no colo do alemão devido o acidente de Kvyat no treino classificatório. Mas não durou muito, já na largada perdeu diversas posições (Hamilton, Vettel e até Bottas). No final acabou se recuperando, ganhou a posição de Vettel nos boxes, já que Ferrari dormiu no ponto e a Mercedes antecipou a parada de Rosberg, garantindo a dobradinha! Dobradinha? Sim, óbvio, quem você acha que levou o caneco de OURO? Ele, Lewis Hamilton e fácil, fácil! Vettel fechou o pódio. A outra Ferrari ficou logo atrás com Kimi.

Foto: Studio Colombo / Pirelli / Fotos Públicas
Foto: Studio Colombo / Pirelli / Fotos Públicas

A Williams? Bottas até mandou bem e chegou onde poderia (5º). Mas Felipe Massa, o rapaz do carro branco, conseguiu uma raspadinha de pneu com pneu junto à Red Bull de Ricciardo. O brasileiro largou MUITO mal e na passagem, o pneu traseiro de Ricciardo tocou/raspou o dianteiro de Massa. Consequência? Os dois com seus pneus furados! Fim de prova praticamente. Junto com a situação de Kvyat com carro remendado e ainda largando dos boxes, podemos dizer que FIASCO total para a Red Bull e para Felipe Massa! Azar? Não sei, prefiro chamar de displicência. Mas cada um que faça seu juízo.

A McLaren até que andou bem, principalmente Alonso que ficou brigando por muito tempo nas posições intermediárias (9º, 10º). Mas ao ser ultrapassado facilmente por Verstappen, o espanhol não aliviou e disparou via rádio: “Motor de GP2! É vergonhoso!”. Realmente falta muita velocidade final às batedeiras elétricas. No final, Alonso ficou em 11º e Button em 16º. Mas teve quem não gostasse dos comentários de Alonso, sim, o alto escalão da Honda (que paga o salário do piloto) e Ron Dennis que disparou:

“Eu não vou tolerar esse tipo de coisas. Ele não mostrou o profissionalismo que gostaria que todos os nossos pilotos tivessem. Ele estava no carro, estava frustrado, e seus comentários para a equipe técnica não eram uma maneira particularmente construtiva para se comunicar com todos. O caminho para eu lidar com pilotos é através dos canais de gestão de Eric (Boullier, diretor de corrida) ou, em certas circunstâncias, falar com eles eu mesmo”.

Após a prova, Fernando Alonso ainda disse:

“Me sinto envergonhado quando estou competindo, porque é frustrante quando você vê todos os outros cometendo erros, indo para fora da pista, ficando de lado. Quando você olha no espelho, na reta, eles já estão lado a lado com você. O déficit que temos na potência é como se fosse outra categoria. Mas por outro lado, os dois carros terminaram a corrida, por isso espero ter algumas informações úteis a partir dessa quilometragem. No próximo ano temos de mudar muitas coisas na unidade de potência, por isso vai ser um trabalho a médio prazo para a próxima temporada, e não para as próximas corridas”.

O brasileiro Felipe Nasr, largando lá no final, chegou a brigar por posições com Ericsson, Vertappen e cia. Mas no final o carro voltou a ter problemas intermitentes, principalmente com relação à estabilidade nas curvas. Acabou abandonando a 2 voltas do fim. Um bom destaque foi Hulkenberg que conquistou um lindo 6º lugar. Ainda, tivemos muitas brigas por posições no pelotão intermediário com Ericsson, Perez, Verstappen, Sainz e Kvyat. A melhor parte foi a ultrapassagem do moleque Verstappen para cima de Sainz e mostrou que para ultrapassar não precisa pedir ao “titio” para mandar o da frente deixar. Para quem não se lembra, no GP de Cingapura, após uma bela corrida de recuperação, Verstappen vinha à frente de Sainz e a equipe ordenou que o garoto deixasse Sainz passar, Verstappen respondeu UM BELO “NÃÃÃÃÃOOOOO”. Depois disse à imprensa: “Se eu permitisse, meu pai me daria um chute nos países baixos”. Garoto sim, novo sim, erra e ainda vai errar muito, mas tem personalidade e competência! É de perfis assim que a F1 está precisando. Vamos ver ao longo da carreira o que realmente vai dar. Concordo que o NÃO dele não pode ser comparado com o “SIM” de Massa e Barrichello na época da Ferrari. Eram situações diferentes, mas da parte de Verstappen, é um bom começo para mudar as coisas. Sim sei que é utópico!

Uma grande polêmica ficou por parte da transmissão japonesa. A Mercedes reclamou da baixa cobertura de seus carros durante a corrida. Niki Lauda disparou sobre o assunto:

“Foi engraçado, porque eu estava assistindo na TV por um tempo e vi Saubers, carros da Honda. Mas eu não sei o porquê (da Mercedes ter tido tão pouca cobertura). Alguém deve fazer a filmagem aqui, e eu tenho que perguntar o que está errado”.

O ex-piloto, ainda acrescentou: “Eu tenho que perguntar. Eu tenho que ver Bernie próxima semana e perguntar-lhe qual é a razão, você faz uma pergunta e recebe uma resposta. No momento eu não posso dizer muito, mas foi engraçado hoje. Mesmo o pit stop de Lewis, o líder, só vi ele saindo dos boxes. Nós nem sequer vimos como ele mudou seus pneus. Por isso, foi interessante”.

E na verdade foi realmente isso que aconteceu, não foi um exemplo de transmissão. A repetição da largada mesmo só ocorreu após 4 voltas. Várias outras falhas, mas em relação ao foco nos demais pilotos que não da Mercedes, tenho que dizer que valeu a pena! Era no bolo intermediário que as coisas aconteciam, boas disputas, ultrapassagens. Mas realmente, ao menos as paradas dos ponteiros poderiam ter sido melhor apresentadas. Mas é o mercado, dos interesses, das prioridades! No final uma boa prova!

VEJA O RESULTADO FINAL

1 – Lewis Hamilton – Mercedes – 1:28:06.508s
2 – Nico Rosberg – Mercedes – 18.964s
3 – Sebastian Vettel – Ferrari – 20.850s
4 – Kimi Raikkonen – Ferrari – 33.768s
5 – Valtteri Bottas – Williams/Mercedes – 36.746s
6 – Nico Hulkenberg – Force India/Mercedes – 55.559s
7 – Romain Grosjean – Lotus/Mercedes – 1m12.298s
8 – Pastor Maldonado – Lotus/Mercedes – 1m13.575s
9 – Max Verstappen – Toro Rosso/Renault – 1m35.315s
10 – Carlos Sainz – Toro Rosso/Renault – 1 Volta
11 – Fernando Alonso – McLaren/Honda – 1 Volta
12 – Sergio Perez – Force India/Mercedes – 1 Volta
13 – Daniil Kvyat – Red Bull/Renault – 1 Volta
14 – Marcus Ericsson – Sauber/Ferrari – 1 Volta
15 – Daniel Ricciardo – Red Bull/Renault – 1 Volta
16 – Jenson Button – McLaren/Honda – 1 Volta
17 – Felipe Massa – Williams/Mercedes – 2 Voltas
18 – Alexander Rossi – Marussia/Ferrari – 2 Voltas
19 – Will Stevens – Marussia/Ferrari – 3 Voltas
20 – Felipe Nasr – Sauber/Ferrari – Abandonou

VEJA COMO ESTÁ A CLASSIFICAÇÃO DO MUNDIAL (Top10)

1º LEWIS HAMILTON – 277 pontos
2º NICO ROSBERG – 229
3º SEBASTIAN VETTEL – 218
4º KIMI RÄIKKÖNEN – 119
5º VALTTERI BOTTAS – 111
6º FELIPE MASSA – 97
7º DANIEL RICCIARDO – 73
8º DANIIL KVYAT – 66
9º ROMAIN GROSJEAN – 44
10º SERGIO PÉREZ – 39

PRÓXIMA ETAPA

O próximo palco do Mundial de Fórmula 1 será na Rússia em 11/10/2015. Veja o calendário completo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Veja nossa galeria de fotos – GP do Japão – 2015

Veja como foi o GRID de LARGADA do GP do Japão 2015