Foto: Fernanda Freixosa / Stock Car / Fotos Públicas
Foto: Fernanda Freixosa / Stock Car / Fotos Públicas

Por volta de 10hs caiu verdadeiro dilúvio no circuito do parque industrial de Ribeirão Preto. As 11:00 o clima já era mais ameno e ao menos não caia muita água.

Após a volta de alinhamento de pista, Daniel Serra em conversa via rádio com sua equipe:

“É impossível largar, não é nem questão de grip, mas de visibilidade. Não dá para ver nem 20 metros à frente! Não tem como ter corrida!”.

Felizmente em seguida a chuva deu uma trégua e a largada acontece no horário definido (11:00), porem em fila indiana e atrás de safety car para evitar maiores problemas.

Largada com Max Wilson na ponta, seguido de Cacá Bueno, Ricardo Mauricio, Allam Khodair, Thiago Camilo, Marcos Gomes. Rubens Barrichello, o atual campeão larga na 7ª colocação e Átila Abreu, pela complicação climática do treino classificatório, larga apenas em 29º. Clique aqui e veja o que rolou no treino de sábado!

Após 2 voltas com carro de segurança, largada dada! Pilotos contidos e sem muita agressividade! Rubens Barrichello tem problemas com a borboleta e não consegue trocar marcas adequadamente. Mas mesmo assim consegue segurar o carro na pista e perde apenas posição para Júlio Campos. Max Wilson larga bem e abre mais de 3 segundos após 10 minutos de prova. Átila Abreu, REI de RIBEIRÃO, 11 voltas depois já estava em 18º. Após 12 voltas já é perceptível que a pista começa a secar e os tempos melhoram volta a volta.

Rubens Barrichello após metade da prova ainda tinha 18 “botões de ultrapassagem” e parece ter alguma estratégia interessante para a segunda prova. Parabéns ao piloto que, apesar dos problemas de câmbio, se mantem em 8º.

Em virtude de toda a situação, prova sem muitas ultrapassagens e emoção no início. Exceto alguns toques, entre eles o de Rafa Mattos/Gabriel Casagrande e rodada de Daniel Serra que vinha tentando recuperar posição perdida para Átila Abreu. Galid começa caçada para cima de Rubinho e Max Wilson começa a perder vantagem para Cacá Bueno. Destaque para Marcos Gomes que com boas ultrapassagens, assume a 3ª posição após ultrapassar Ricardinho. Volta 24 e Cacá Bueno parte para conquistar a 1ª posição e em ultrapassagem sensacional passa Wilson que na curva seguinte dá o troco! Finalmente a emoção aparece e a prova fica maravilhosamente interessante! A briga pela ponta continua até que Max Wilson escapa e permite a ultrapassagem de Cacá Bueno (Volta 26). Khodair deixa o carro escapar na curva da ponte e desaba na classificação. Átila Abreu toca Lucas Foresti que beija o muro e vai para o box para tentar voltar para a segunda bateria. Acidente sob investigação e a direção de prova define punição ao dono do carro #51 (Átila) por atitude anti-desportiva. Vida difícil para Átila em Ribeirão Preto.

Rubens Barrichello segue na oitava posição e segue em boa estratégia para a segunda prova. Marcos Gomes (piloto da casa) cola em Max Wilson e briga até o ultrapassa e garante a segunda colocação. Cacá Bueno abre e garante a sua primeira vitória do ano. Rafa Matos e Casagrande penalizados pelo bate-bate entre eles. Outro destaque para Júlio Campos que largou em 8º, ultrapassa Camilo, Ricardinho e o pole Max Wilson, fechando a corrida em terceiro colocado. É visível problemas com pneus do Max, que perde também posições para Ricardo Maurício e Thiago Camilo. Gabriel Casagrande desclassificado por não cumprir a penalização. Não consigo entender atitude dessa natureza!

A equipe AMG que usa final da prova para troca de pneus de Átila consegue inverter o jogo e se deu muito bem na segunda prova, mesmo largando bem no final do grid. Felipe Fraga, após ter ultrapassado Max Wilson, arrebenta seu carro no muro e está fora! Lambança da direção de prova na hora de balançar a bandeira quadriculada (a lá Pelé!) deixa final de prova confuso. Cacá sai do carro e vai direto para cabine da direção de prova, revoltadíssimo! Assim como eu, narrador da SporTV, se revolta com direção de prova colocando segurança para proibir cinegrafista mostrar a bronca de Cacá na direção. #vergonha! O que não pode acontecer é colocar a culpa na fiscal que errou! Ela é apenas uma peça do todo. E por trás tem TODA a direção de prova e principalmente a CBA.

Questionado pelo repórter da SporTV se entendia o que havia acontecido, Cacá dispara:

“Não sei, a CBA tem que explicar o que aconteceu! Não sabia se tinha acabado ou não! Marquinhos tentava passar! Tinha bandeira amarela na pista e pessoas circulando. O rádio dizia que tinha acabado! Só lembrei da bandeirada do Pelé um tempo atrás. Acho que convidaram o Pelé para dar a bandeirada aqui!” – desabafa Cacá Bueno que volta a vencer desde 2013.

Foto: Duda Bairros / Vicar / Fotos Públicas
Foto: Duda Bairros / Vicar / Fotos Públicas

Segue resultado da 1ª prova:

1º #0 – Cacá Bueno – Red Bull Racing – 38 voltas em 48 minutos
2º #80 – Marcos Gomes – Voxx Racing Team – 1.477
3º #4 – Julio Campos – Prati-donaduzzi – 9.335
4º #90 – Ricardo Maurício – RC – 10.751 – DESCLASSIFICADO APÓS A PROVA
5º #21 – Thiago Camilo – Ipiranga-RCM – 13.527
6º #65 – Max Wilson – RC – 17.353 – DESCLASSIFICADO APÓS A PROVA
7º #28 – Galid Osman – Ipiranga-RCM – 28.413
8º #111 – Rubens Barrichello – Full Time Sports – 29.786
9º #18 – Allam Khodair – Full Time Sports – 30.697
10º #46 – vitor Genz – Boettger Competições – 31.153
11º #77 – Valdeno Brito – Shell R. – 36.314 – DESCLASSIFICADO APÓS A PROVA
12º #70 – Diego Nunes – Vogel Motorsport – 36.898
13º #1 – Antonio Pizzonia – Prati-donaduzzi – 41.866
14º #73 – Sérgio Jimenez – C2 Team – 1 volta
15º #88 – Felipe Fraga – Voxx Racing Team – 1 volta
16º #25 – Tuka Rocha – União Química Racing – 1 volta
17º #8 – Rafael Suzuki – RZ Motorsport – 2 voltas
18º #110 – Felipe Lapenna – Schin Racing Team – 2 voltas
19º #2 – Rafa Matos – Schin Racing Team – 2 voltas
20º #51 – Átila Abreu – AMG Motorsport – 2 voltas
21º #3 – Bia Figueiredo – União Química Racing – 3 voltas
22º #14 – Luciano Burti – RZ Motorsport – 4 voltas
23º #26 – Raphael Abbate – Hot Car Competições – 5 voltas
24º #72 – Fábio Fogaça – Hot Car Competições – 6 voltas
25º #5 – Denis Navarro – Vogel Motorsport – 7 voltas
26º #12 – Lucas Foresti – AMG Motorsport – 14 voltas
27º #11 – Cesar Ramos – Cavaleiro Racing Sports – 14 voltas
28º #29 – Daniel Serra – Red Bull Racing – 19 voltas
29º #10 – Ricardo Zonta – Shell Racing – 25 voltas
30º #74 – Popó Bueno – Cavaleiro Racing Sports – 35 voltas
31º #83 – Gabriel Casagrande – C2 Team – 31.574​ – DESCLASSIFICADO

Após intervalo e a discussão das trocas de pneus após finalizada a prova 1, o grid de largada fica assim:
Vitor Genz, Khodair, Rubens Barrichello, Galid, Thiago Camilo, Júlio Campos, Marcos Gomes e Cacá Bueno. Genz larga na pole, mas já com todos os botões de ultrapassagem utilizados.

Os pilotos que pararam nos boxes após terminada a 1ª prova para troca INDEVIDA de pneus, foram EXCLUÍDOS do resultado da primeira bateria. MAIS uma falha grotesca da CBA que foram consultados pela turma da RC e permitiram que o fizessem. Os pilotos que perderão suas pontuações são: Max Wilson, Ricardo Maurício, e Valdeno Brito.

Começa a segunda prova com atraso de 25 minutos e antes de completar a primeira volta todos os que estavam com pneus de chuva param nos boxes. Logo na primeira volta valendo os carros da equipe Schin Racing Team se envolvem em uma batida. Rafa Matos literalmente montou no carro de Lapenna.

Foto: Fernanda Freixosa / Stock Car / Fotos Públicas
Foto: Fernanda Freixosa / Stock Car / Fotos Públicas

Genz segura o pelotão sem pneu e sem botões de ultrapassagem! Átila Abreu que largou em 20º e já com pneus de pista seca, em 3 voltas já ocupa a 11ª posição. Na mesma volta Valdeno acerta a traseira de Max Wilson, acabando com a corrida de Max (péssima prova para o pole position) e Zonta após levar fechada de Fogaça, dá o troco e junta Felipe Fogaça no outro muro! Átila segue firme na recuperação e já é 6º na volta 11. Para variar um pouco Cesar Ramos roda, bate e obriga a entrada de safety car. Ótimo para Genz que ainda consegue segurar a turma toda com pneus de chuva desgastados e ainda sem botões de ultrapassagem. Na relargada Vitor Genz consegue se manter na ponta, mas Tuka Rocha colado e buscando a todo tempo a primeira colocação, seguido de Jimenez, ambos com pneus de pista seca. Volta seguinte Tuka assume a ponta, Jimenez aproveita o embalo e também ultrapassa Genz. Rubens Barrichello em excelente corrida de recuperação vem ultrapassando e faltando 5 minutos para o fim está em 11º. Genz fica sem condições de manter sua posição e segua pressionado por Átila que o ultrapassa e assume a terceira posição. Ótima recuperação do piloto da AMG.

Rubinho assume a 8ª posição após ultrapassar seu companheiro de equipe (Khodair). Impressionante a agressividade de Barrichello, literalmente faca nos dentes!

Vitória maravilhosa do Tuka Rocha na segunda prova de Ribeirão. Parabéns ao Jimenez e Átila por suas estratégias. Destaque enorme para Genz que fez prova maravilhosa e arriscou tudo! Rubens Barrichello com fantástica recuperação!

Tuka Rocha chora ao final e explica que tudo deu muito certo: “Agradeço a família e a equipe por tudo nesse final de semana! Ontem tivemos problema de câmbio. Parabéns à equipe pela estratégia”.

Foto: Carsten Horst / Hyset / Fotos Públicas
Foto: Carsten Horst / Hyset / Fotos Públicas

Segue resultado final da 2ª prova:

1º #25 – Tuka Rocha – União Química Racing
2º #73 – Sérgio Jimenez – C2 Team – 1.223
3º #51 – Átila Abreu – AMG Motorsport – 2.042
4º #5 – Denis Navarro – Vogel Motorsport – 8.906
5º #14 – Luciano Burti – RZ Motorsport – 11.310
6º #111 – Rubens Barrichello – Full Time Sports – 15.696
7º #46 – Vitor Genz – Boettger Competições – 15.787
8º #4 – Julio Campos – Prati-donaduzzi – 16.535
9º #1 – Antonio Pizzonia – Prati-donaduzzi – 17.039
10º #80 – Marcos Gomes – Voxx – 17.330 – DESCLASSIFICADO APÓS A PROVA
11º #83 – Gabriel Casagrande – C2 Team – 17.743
12º #8 – Rafael Suzuki – RZ Motorsport – 17.862
13º #18 – Allam Khodair – Full Time Sports – 20.263
14º #28 – Galid Osman – Ipiranga-RCM – 42.389
15º #70 – Diego Nunes – Vogel Motorsport – 1 volta
16º #21 – Thiago camilo – Ipiranga-RCM – 1 volta
17º #26 – Raphael Abbate – Hot Car Competições – 2 voltas
18º #11 – Cesar Ramos – Cavaleiro Racing Sports – 10 voltas
19º #0 – Cacá Bueno – Red Bull Racing – 11 voltas
20º #10 – Ricardo Zonta – Shell Racing – 15 voltas
21º #72 – Fábio Fogaça – Hot Car Competições – 15 voltas
22º #65 – Max Wilson – Eurofarma RC – 15 voltas
23º #90 – Ricardo Maurício – Eurofarma RC – 15 voltas
24º #74 – Popó Bueno – Cavaleiro Racing Sports – 15 voltas
25º #77 – Valdeno Brito – Shell Racing – 15 voltas
26º #12 – Lucas Foresti – AMG Motorsport – 15 voltas
27º #110 – Felipe Lapenna – Schin Racing Team – 20 voltas
28º #2 – Rafa Matos – Schin Racing Team – 20 voltas
29º #88 – Felipe Fraga – Voxx – sem tempo
30º #3 – Bia Figueiredo – União Química Racing – sem tempo
31º #29 – Daniel Serra – Red Bull Racing – sem tempo

A classificação do campeonato após 2 etapas da Stock Car Brasil 2015:

1º #0 – Cacá Bueno (RBR-Mattheis) – 33 pontos
2º #80 – Marcos Gomes (VRT) – 31
3º #4 – Julio Campos (Mico’s Racing) – 29
4º #18 – Allam Khodair (Full Time) – 27
5º #73 – Sergio Jimenez (C2 Team) – 26
6º #21 – Thiago Camilo (RCM) – 25
7º #111 – Rubens Barrichello (Full Time) – 24
8º #25 – Tuka Rocha (Bassani ) – 23
9º #46 – Vitor Genz (Boettger) – 21
10º #28 – Galid Osman (RCM) – 20
11º #1 – Antonio Pizzonia (Mico’s Racing) – 17
12º #51 – Átila Abreu (AMG) – 16
13º #88 – Felipe Fraga (VRT) – 15
14º #70 – Diego Nunes (Vogel) – 13
15º #90 – Ricardo Mauricio (RC) – 12
16º #14 – Luciano Burti (RZ) – 12
17º #5 – Denis Navarro (Vogel) – 11
18º #8 – Rafael Suzuki (RZ) – 11
19º #65 – Max Wilson (RC) – 7
20º #110 – Felipe Lapenna (Carlos Alves) – 6
21º #2 – Rafa Matos (Carlos Alves) – 5
22º #77 – Valdeno Brito (A. Mattheis) – 5
23º #83 – Gabriel Casagrande (C2 Team) – 4
24º #3 – Bia Figueiredo (Bassani ) – 3
25º #29 – Daniel Serra (RBR-Mattheis) – 1
26º #26 – Raphael Abbate (Hot Car) – 1

Ótima prova mas, sinceramente, tudo o que aconteceu em Ribeirão Preto é uma prova de que a organização da Stock Car, CBA e direção de prova local NÃO possuem condição de levar, de forma correta e sem polêmicas, uma prova que foge do padrão. Choveu? Complicou a vida dos caras! É necessário ter humildade e lembrar que o aprendizado NUNCA deve parar.

Para saber qual o próximo palco da Stock Car 2015, clique aqui e acesse o calendário completo.

Marcelo Henrique Dias Abreu .·.
"Um Goiano, acolhido por Mineiros e apaixonado pela família e por esse SUL maravilhoso. Maluco e apaixonado por automobilismo (Fórmula 1, Stock Car, Turismo e as demais), o que não quer dizer especialista!" - Marcelo é o idealizador e um dos colunistas do Tomada de Tempo!
STOCK CAR – Resultado final da segunda etapa em Ribeirão Preto/SP – 2015
Classificado como:                            

Pin It on Pinterest